Meditação para Dia 22 de Março

1. Como se fora a um ladrão, saístes vós com espadas e paus para me prender“.

Eis a censura amorosa do divino Cordeiro. No momento em que é humilhado profundamente, tratado com desumana crueldade, não profere nem uma palavra menos compatível com seu amor. Seus inimigos, porém, não o querem compreender, pois, “puseram as mãos sobre Jesus e o prenderam“. Terrível crime! As criaturas prendem a seu Deus; os pecadores, ao único que pode e que veio salvá-los. O céu, os elementos o permitirão? Sim, para que tu possas ser salvo.

2.Então, todos os discípulos, desamparando-o, fugiram“. Que dor, para o coração de Jesus, ver-se, em tal momento, desamparado por aqueles que tanto amava e sempre distinguia! Todos fogem. João, o apóstolo predileto; São Pedro, o mais distinguido e quem mais assegurava ser fiel. Não confies em teu próprio zelo. Sem Deus, és fraco e cairás. Pede, pois, constantemente, a graça da perseverança final. Esforça-te também em consolar a Jesus por dupla fidelidade.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 96)