Tag: vida interior (page 1 of 3)

4.º Meio de virmos a ser Humildes: A Vida Privada

Meditação para a Décima Quarta Terça-feira depois de Pentecostes. Quarto meio de virmos a ser Humildes: A Vida Privada

Meditação para a Décima Quarta Terça-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre um último meio de nos tornarmos humildes: é a vida provada; e veremos:

1.° Quanto esta vida é útil para nos ensinar a humildade;

2.° Quão útil é a humildade para nos fazer suportar Cristãmente os trabalhos da vida.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De recebermos todas as provações como avisos que Deus nos dá para nos humilharmos debaixo da sua mão;

2.° De as recebermos por conseguinte com toda a resinação.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de São Pedro:

“Humilhai-vos debaixo da poderosa mão de Deus” – Humiliamini sub potenti manu Dei (1Pd 5, 6)

Continue reading

3.º Meio de virmos a ser Humildes: A Vida Oculta

Meditação para a Décima Quarta Segunda-feira depois de Pentecostes. 3.º Meio de virmos a ser Humildes: A Vida Oculta

Meditação para a Décima Quarta Segunda-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Prosseguindo as nossas meditações sobre a humildade, meditaremos sobre um novo meio de nos tornarmos humildes, que nos ensina o Apóstolo São Paulo, quando nos diz: Estais mortos e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus; e veremos que esta vida escondida:

1.° Corta a raiz da maior parte da tentações contra a humildade;

2.° Torna fácil a humildade.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nunca dizermos nem fazermos coisa alguma com o fim de conseguir a estima e louvor das criaturas;

2.° De gostarmos das posições modestas, que dão menos nas vistas e menos que falar de nós.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Apóstolo aos fiéis do seu tempo:

“Estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus” – Mortui estis, et vita vestra est abscondita cum Christo in Deo (Col 3, 3)

Continue reading

Caracteres da verdadeira e sólida Virtude

Meditação para o 5º Domingo depois do Pentecostes. Caracteres da verdadeira e sólida Virtude

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 5, 20-24

20Porque Eu vos digo: Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino do Céu.»

21«Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás. Aquele que matar terá de responder em juízo. 22Eu, porém, digo-vos: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal; quem lhe chamar ‘imbecil’ será réu diante do Conselho; e quem lhe chamar ‘louco’ será réu da Geena do fogo.

23Se fores, portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta.

Continue reading

Solidão Interior

Meditação para o Sábado depois da Ascensão. Solidão Interior

Meditação para o Sábado depois da Ascensão

SUMARIO

É costume das almas piedosas passarem em retiro o tempo da Ascensão até ao Pentecostes, para se disporem a receber o Espírito Santo, segundo o conselho de Nosso Senhor aos seus Apóstolos:

“Ficai de assento em Jerusalém, até que sejais revestidos da virtude lá do alto” (Lc 24, 49)

Meditaremos por conseguinte:

1.° Em que consiste esse retiro ou solidão preparatória;

2.° Quanto é necessário para receber o Espírito Santo no dia de Pentecostes.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De passarmos todos os nossos dias até ao Pentecostes no espírito de recolhimento o de oração;

2.° De sermos pontuais durante este tempo em fazer os nossos exercícios de piedade;

3.° De evitarmos tudo o que poderia distrair-nos, como certas companhias ou conversações.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra vinda do céu:

“Recolha-se a vossa alma consigo até á descida do Espírito Santo”

Continue reading

Defeitos das nossas Orações

Meditação para a Quarta-feira das Rogações. Defeitos das nossas Orações

Meditação para a Quarta-feira das Rogações

SUMARIO

Depois de termos meditado as qualidades da boa oração, meditaremos os defeitos que a viciam e a tornam ineficaz. Santo Agostinho indica-os em três palavras:

“Nós não pedimos a Deus o que devemos pedir; pedimo-lo mal; pedimo-lo com más disposições” – Petimus mala, petimus male, petimus mali

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos prepararmos melhor para as nossas orações recolhendo-nos conosco antes de as começar, e penetrando-nos da grandeza do ato que vamos praticar;

2.° De orarmos muito mais pelos nossos interesses espirituais e eternos do que pelos interesses temporais.

O nosso ramalhete espiritual será as três palavras da nossa meditação:

“Nós não pedimos a Deus o que devemos pedir; pedimo-lo mal; pedimo-lo com más disposições”

Continue reading

Meios de adquirir a Vida Interior

Meditação para o Sábado da 3ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Terminaremos as nossas meditações sobre a vida interior, considerando três meios de adquiri-la e de aperfeiçoá-la em nós, a saber:

1.° A vida regrada;

2.° A repressão dos sentidos;

3.° O uso frequente das orações jaculatórias.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De não deixarmos ao capricho o emprego do nosso tempo, mas de seguirmos uma norma de vida que assine a cada dever o seu momento;

2.° De nos guardarmos dos pensamentos inúteis, da curiosidade que quer ver tudo e saber todas as novidades;

3.° De nos exercitarmos, de dia e de noite, na santa prática das orações jaculatórias.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do cântico de Zacarias:

“Sirvamos Deus em santidade e justiça diante d’ele por todos os dias da nossa vida” – Serviamus illi in sanctitate et justitia coram ipso omnibus diebus nostris (Lc 1, 74)

Continue reading

Felicidade da Vida Interior

Meditação para a Sexta-feira da 3ª Semana depois da Páscoa. Felicidade da Vida Interior

Meditação para a Sexta-feira da 3ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Para nos penetrarmos cada vez mais da excelência da vida interior, consideraremos a sua influência na nossa felicidade, até neste mundo, e veremos:

1.° A felicidade da alma, que tem uma vida interior;

2.° A desgraça da alma que não tem esta vida divina.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De vigiarmos sobre os nossos sentidos, a nossa imaginação e os nossos pensamentos inúteis, para não cedermos à distração;

2.º De nos acostumarmos à prática das orações jaculatórias, que unem a alma a Deus.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra dos patriarcas:

“Viva o Senhor, em cuja presença estou” – Vivit Dominus… in cujus conspectu sto (1Sm 17, 1)

Continue reading

Excelência da Vida Interior

Meditação para a Quinta-feira da 3ª Semana depois da Páscoa. Excelência da Vida Interior

Meditação para a Quinta-feira da 3ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Meditaremos sobre a excelência da vida interior, e para a compreender:

1.° A compararemos com a vida exterior, que é a vida mundana;

2.º Veremos que ela eleva o cristão à altura da vida divina em Jesus Cristo.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De evitarmos tudo o que nos distrai ou atrai, como certas companhias ou certas conversações;

2.º De nos penetrarmos do espírito de Jesus Cristo, perguntando a nós mesmos muitas vezes:

É assim que falaria ou obraria Jesus Cristo?

É este o espírito ou a intenção que dirigiria as Suas palavras ou os Seus atos?

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de São João:

“Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo para que nós vivamos por ele” – Filium suum unigenitum misit Deus in mundum, ut vivamus per ilium (1Jo 4, 9)

Continue reading

Obrigação da Vida Interior

Meditação para a Quarta-feira da 3ª Semana depois da Páscoa. Obrigação da Vida Interior

Meditação para a Quarta-feira da 3ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Depois de termos aprendido do exemplo de Nosso Senhor em que consiste a vida interior, veremos que esta vida é:

1.° Um dever de razão;

2.º Um dever de fé.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De evitarmos tudo o que distrai, e de nos lembrarmos de tempos a tempos da presença de Deus com um momento de recolhimento de espírito e de reflexão;

2.° De juntarmos às nossas diversas ocupações o frequente uso das orações jaculatórias, e principalmente a prática de oferecer a Deus cada uma das nossas ações.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Jacó:

“Em verdade que o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia” – Vere Dominus est in loco isto, et ego nesciebam (Gn 28, 16)

Continue reading

Princípios da Vida Interior

Meditação para a Terça-feira da 3ª Semana depois da Páscoa. Princípios da Vida Interior

Meditação para a Terça-feira da 3ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Continuaremos a estudar a vida interior de Jesus Cristo, e a consideraremos em seus dois princípios fundamentais, que são:

1.° O espírito de oração;

2.º O espírito de sacrifício.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De fazermos a nossa oração cada manhã antes de qualquer outra coisa;

2.º De fazermos de boa vontade os sacrifícios pequenos ou grandes, que a graça nos inspirar, ou que os acontecimentos nos pedirem.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de São Paulo:

“Andai dignamente diante de Deus, agradando-lhe em tudo” – Ambuletis digne Deo, per omnia placentes (Col 1, 10)

Continue reading

« Older posts

© 2019 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑