Tag: vida de santo (Page 1 of 2)

Festa de São Bento, Abade

Omnis qui reliquerit domum, vel fratres, aut sorores, aut patrem, aut matrem… propter nomen meum, centuplum accipiet, et vitam aeternam possidebit — “Todo aquele que deixar por amor de meu nome a casa, ou os irmãos, ou as irmãs, ou o pai, ou a mãe…receberá o cêntuplo, e possuirá a vida eterna” (Mt 19, 29)

Sumário. Ó, quão bem sabe Deus recompensar, nesta vida e na outra, os pequenos sacrifícios dos seus servos. Eis como São Bento, por haver deixado as comodidades da casa paterna, possui agora um reino imenso e eterno. Por haver deixado parentes e amigos, ei-lo feito Pai de uma família numerosa e gloriosa. Regozijemo-nos com o santo Patriarca, e para participarmos um dia de sua recompensa, correspondamos à nossa vocação. Vivamos sobretudo desapegados dos bens terrenos, e se o Senhor te chamar a deixar inteiramente o mundo, não hesites em fazê-lo, que nunca disso te arrependerás. Continue reading

Santa Genoveva

Meditação para a Festa de Santa Genoveva

Meditação para a Festa de Santa Genoveva

SUMARIO

Consideraremos, nesta meditação, quanto a santidade de Santa Genoveva foi:

1.° Eminente;

2.° Fecunda em obras maravilhosas.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De não atender à nossa vontade mas só à de Deus nos nossos atos e projetos;

2.° De adotar todas as obras compatíveis com os deveres do nosso estado.

O nosso ramalhete espiritual será a máxima do Espírito Santo:

“A simplicidade dos justos conduzi-los-á felizmente” – Simplicitas justorum diriget illos (Pr 11, 3)

Continue reading

São João Evangelista

Meditação para o dia de São João Evangelista

Meditação para a Festa de São João, Evangelista

SUMARIO

Na nossa próxima oração, aprenderemos de São João:

1.° A amar a Jesus Cristo;

2.° A amar ao próximo;

3.° A amar especialmente a Santíssima Virgem:

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De praticar todas as nossas obras por amor de Deus;

2.° De amar ao próximo com esse amor generoso, que sabe suportar e perdoar;

3.° De avivar o nosso amor para com a Santíssima Virgem.

O nosso ramalhete espiritual será o título, que São João a si próprio deu:

“Era o discípulo a quem Jesus amava” – Discipulus quem deligebat Jesus (Jo 13, 23)

Continue reading

Panegírico de São Tomás de Cantuária

Panegírico de São Tomás de Cantuária

Tomás Becket nasceu em Londres a 21 de dezembro de 1117 duma família anglo-saxônia. Estudou sucessivamente em Oxford, em Paris e em Bolonha. Tendo-se dedicado à carreira eclesiástica, em breve adquiriu grande influência, pelo que Henrique II o elevou à dignidade de chanceler do reino, de preceptor de seu filho, e mais tarde de arcebispo de Cantuária, em 1162. Como quer que o rei pretendesse restringir a jurisdição do clero, pelos seus estatutos de Clarendon, elaborados em 1154, tratou logo o arcebispo de defender animosamente os interesses da Igreja; mas sendo condenado, em 1165, pelo sínodo de Northampton, refugiou-se para junto do Luiz VIII, rei de Franca, que chegou a reconciliá-lo com Henrique II. Ao tempo surgem umas tumultuosas agitações políticas que assinalaram o regresso do arcebispo ao reino; mas o rei da Inglaterra exprimiu imprudentemente o desejo de ser livre do primaz do Cantuária. Imediatamente partiram quatro cavaleiros para a sede do bispado, e ali mataram o infeliz arcebispo mesmo aos pês do altar onde ele ia celebrar o oficio divino. Henrique II teve o desplante de negar este crime, mas no túmulo da vítima confessou-o publicamente e pedia, perdão. A Igreja Católica venera este santo no dia 29 de dezembro.

(V. S. Tomás Becket, sua vida e suas Cartas, obra de M. Darboy, organizada segundo o trabalho de R. Giles. Paris, 1858, 2 vol, em 8º)

Pregado em Paris, na colegiada de Saint Thomas du Louvre, no dia 29 de dezembro de 1668.

SUMÁRIO

Exordio. — Jesus Cristo praticou sempre atos e humilhação, primeiramente na santidade da Sua pessoa e depois em todos os dias da Sua vida. A Igreja não pode gozar de vantagem alguma que lho não custe a morte de seus filhos. Foi por este motivo que São Tomás deu a vida.

Proposição e divisão. — Os mártires que combateram pela fé consolidaram-na pelo testemunho do seu sangue, açaimaram pela sua paciência o ódio público, e pela sua constância invencível confirmaram os fiéis. O santo arcebispo de Cantuária consolidou primeiro a autoridade eclesiástica violentamente oprimida; converteu depois os corações indóceis; e animou em seguida o zelo dos que foram propostos para seus defensores.

1.º Ponto. — Igreja é como que uma desconhecida na terra onde se acha revestida dum caráter real, pela soberania inteiramente espiritual que nela exerce. Os príncipes concederam a Igreja grandes privilégios e a Igreja erigiu aos príncipes um trono nas consciências. Henrique II, rei da Inglaterra, declara-se inimigo da Igreja; mas São Tomás representa com brandura e firmeza que as duas potências devem auxiliar-se mutuamente, e morre pelos direitos da Igreja.

2.º Ponto. — Nos primeiros séculos cristãos eram os príncipes inimigos da Igreja, mas, depois de assinada a paz, operou-se a união. São Tomás resiste até à morte do príncipe que quer usurpar os direitos da Igreja, e o seu sacrifício converteu Henrique II.

3.º Ponto. — O sangue de São Tomás reanimou a coragem do clero, que tem privilégios para que a religião seja respeitada, possui bens para o exercício dos santos ministérios e parada subsistência dos pobres; e tem autoridade para que ela sirva de freio a licença, de barreira a iniquidade e de apoio a disciplina.

Peroração. — Praza ao divino Salvador que todos os que Ele chamou a vida eclesiástica imitem as virtudes, de São Tomás de Cantuária.

In morte mirabilia operatus est
Na morte operou coisas maravilhosas.
(Eclo 48, 15)

Continue reading

Panegírico de Santa Catarina de Alexandria

Panegírico de Santa Catarina

Santa Catarina de Alexandria, virgem e mártir, que viveu pelo ano de 312, foi tão notável pela sua ciência que confundiu e converteu muitos filósofos pagãos. Morreu no reinado de Maximino Daia, presa a uma roda guarnecida de dentes de ferro. O seu corpo foi encontrado no Egito no século VIII e transportado pelos anjos, segundo a lenda, para o mosteiro de Santa Helena, no monte Sinai. Santa Catarina é a padroeira dos filósofos e das escolas. Em 1063 foi instituída uma ordem militar de Santa Catarina, para guardar as suas relíquias no monte Sinai e proteger os peregrinos que vinham venerá-las.

Pregado no dia 26 de novembro de 1693, no Seminário de SaintNicolas-du-Chardonnet.

SUMÁRIO

Exordio. – O orador, servindo-se do exemplo de Santa Catarina, propõe-se mostrar neste Panegírico o uso que devemos fazer da ciência.

Proposição e divisão. – Há três espécies de pessoas que abusam deste dom de Deus: as que só desejam a ciência pela própria ciência, as que a desejam para armar à vanglória, e finalmente as que a pretendem para acumular riquezas. Daqui procede um triplicado móbil criminoso que temos de evitar no estudo: a curiosidade, o orgulho e a avareza.

1.º Ponto. — Santa Catarina soube evitar admiravelmente este tríplice escolho. Quinhoou da ciência; mas essa ciência empregou-a ela a contemplar a luz divina e não a contentar o espírito. Tomou a Deus como princípio e fim de todos os seus conhecimentos, e assim como um edifício que assenta no alicerce deve ser sempre sólido e perdurável, assim também a sua ciência foi verdadeira e fecunda em frutos de salvação.

2.º Ponto. — Ela também difundiu o seu saber pelos filósofos e pelos grandes do mundo; mas com que prudência e sabedoria não se desobrigou ela dessa missão!… Deus, o Deus universal, o Deus eterno, é que foi constantemente o objeto para que ela dirigiu os seus esforços. E não se imagine que isto lhe tenha passado pela mente um instante sequer com o fim de estabelecer a sua glória e a sua reputação. Não, não foi este o seu intuito. Ela só quis ver por toda a parte Nosso Senhor e o Evangelho, procurando granjear-lhes o triunfo, e conseguiu-o.

3.º Ponto. — Finalmente não foram favores temporais que ela buscou na ciência. O seu único móbil, como o prova toda a sua vida, foi conquistar almas para Jesus Cristo. Não teve outro fito, não albergou outro desejo, não procurou outro resultado.

Peroração. — Ah! Aprendamos, como Santa Catarina, a fazer com que tudo convirja para Deus, aprendamos a ver Deus em todas as nossas empresas, proclamemo-lO por toda a parte, tenhamos a generosidade de Lhe pertencer desinteressadamente, e então Deus há de recompensar-nos um dia como recompensou a ela.

Dedit ili scientiam sanctorum
E Ele deu-lhe á ciência dos santos (Sb 10, 10)

Continue reading

Festa de São Francisco Xavier

Meditação para o Dia 03 de Dezembro

1. São Francisco Xavier pertence aos maiores apóstolos de todos os tempos. Por obediência atravessa os mares, abandona a pátria, segue para terras bárbaras e sujeita-se a mil perigos e privações. Em dez anos caminha mais de mil léguas, evangeliza cinquenta e dois reinos, batiza mais de trezentos mil idólatras. Visita os enfermos, ensina as crianças e os velhos, recebe e procura com bondade os pecadores, suporta tudo por amor de Deus. Quão longe estás de assemelhar-te a este Santo! Tens uma centelha sequer de seu amor divino? De sua atividade espantosa pela glória de Deus? Continue reading

Santa Isabel da Turíngia

Meditação para o Dia 19 de Novembro

1. No auge da felicidade e do poder, cercada dos carinhos de seu esposo e de toda a corte, Santa Isabel de Turíngia não se esqueceu de Deus. Consagrou-Lhe as primícias de seu amor. Por isso fez, às escondidas, penitências graves. Por amor de Deus desceu aos hospitais e aos caminhos públicos, para visitar e tratar doentes; por amor dEle distribuiu, com larga mão, a maior parte de suas riquezas; por amor de Deus consentiu na partida de seu esposo extremado, seu único protetor na terra, para a Cruzada. Compara tua vida com estas virtudes. Continue reading

Festa de Santa Teresa de Ávila

Meditação para o Dia 15 de Outubro

1. Santa Teresa é a Santa da oração. Pela oração a alma entra em relações íntimas com Deus. Santa Teresa, já quando criança, teve por esse santo exercício tão ardente desejo do martírio, que tentou ir à Mourama para derramar seu sangue por Jesus. Fez em seguida do seu jardim um deserto, do seu quarto um oratório, do seu coração um altar, e do seu corpo e de sua alma as vítimas a oferecer cada dia a Deus. Nas tentações e nas necessidades recorria à oração, não a deixando nunca, nem quando nada sentia de consolações divinas. E tu?… Quanto te custa, às vezes, esperar o fim duma oração em comum! Continue reading

Festa de São Francisco de Assis

Meditação para o Dia 04 de Outubro

1. Se respeito merece a imagem do crucifixo, não menor respeito se deve ao crucifixo vivo, São Francisco de Assis, distinguido por Jesus com os sinais das cinco chagas. Desde o berço até a morte este Santo foi fiel imagem do Salvador. Nasceu, como Jesus, em pobre estábulo, para onde sua piedosa mãe tinha seguido por inspiração divina. Abraçava, como o Messias, a pobreza absoluta. Andou, como Jesus, pregando e fazendo o bem a todos, e morreu, como Ele, despido de tudo. Tanto conseguiu, com a graça divina, um homem por si fraco como tu. Pede sua intercessão. Continue reading

Festa de Santa Rosa de Lima

Meditação para o Dia 30 de Agosto

1. Santa Rosa de Lima é a Padroeira da América do Sul. A Santa, quando ainda tenra criança, já mostrava uma abnegação singular, não se queixando nunca nas dolorosas operações às quais teve de sujeitar-se. Devendo, por ordem terminante de sua mãe, enfeitar-se, teceu, na coroa de flores que lhe deram, espinhos, os quais, penetrando em sua cabeça, lhe causaram dores quase insuportáveis. Recolhendo-se, aos 21 anos de idade, a um lugar ermo, entregou-se ali a incríveis práticas de penitência. Tal é o modelo; qual é a tua semelhança com ele? Continue reading

« Older posts

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑