Tag: paraíso (page 1 of 2)

“Amém. Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso”

Capítulo IV. "Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso"

Explica-se literalmente a segunda palavra de Cristo na Cruz

A segunda palavra ou sentença proferida por Cristo na Cruz, segundo, testifica São Lucas foi à magnifica promessa a um dos dois ladrões também com Ele crucificados:

“Amém. Hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23, 39)

Foi a origem desta segunda palavra haverem sido dois ladrões condenados ao mesmo suplício da Cruz, e estar cada um pendente na sua, um à direita, outro à esquerda de Cristo, e agravar um deles os seus passados crimes, injuriando o Redentor, dizendo-Lhe, arguindo-o de nada poder:

“Se és Cristo livra-te dos tormentos, e a nós também”

Ora São Marcos e São Mateus dizem (Mt 27; Mc 15), que os ladrões, crucificados com Cristo lhe exprobravam o seu pouco poder, porém o que se deve entender, é, que aqueles Evangelistas empregaram o número plural por singular; o que é freqüente na Sagrada Escritura, como observou Santo Agostinho nos Livros da uniformidade dos Evangelistas (1): pois o Apóstolo escrevendo aos hebreus a respeito dos profetas, diz (Hb 11, 33-37): Açaimaram as bocas dos leões; foram apedrejados, foram serrados, e apesar disto, quem açaimou as bocas dos leões, foi só Daniel; só Jeremias foi apedrejado; e serrado só Isaías. A isto se deve acrescentar, que São Mateus e São Marcos não dizem tão claramente que ambos os ladrões insultaram Cristo, como São Lucas explicitamente escreve (Lc 23, 39): Um dos ladrões que com ele foram crucificados, lhe dirigia impropérios; acrescendo mais, que não há motivo nenhum para o mesmo ladrão ora O insultasse, ora O louvasse. Continue reading

Meditação para deliberar entre a Vida Mundana e a Vida Devota

“Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduzem à perdição e numerosos são os que por aí entram. Estreita, porém, é a porta e apertado o caminho da vida e raros são os que o encontram” (Mt 7, 13-14)

Capítulo XVIII

PREPARAÇÃO

1. Põe-te na presença de Deus.
2. Implora com humildade o Seu auxílio.

CONSIDERAÇÃO

I. Imagina ainda uma vez que estás numa vasta região, que vês à tua esquerda o príncipe das trevas, assentado num trono muito alto e rodeado duma multidão de demônios, e que descobres ao redor desta corte infernal muitos pecadores e pecadoras, que, dominados do espírito do mundo, lhe rendem as suas homenagens. Observa com atenção todos os desventurados vassalos desse rei abominável; considera como uns estão fora de si, levados pelo espírito da cólera, da raiva e da vingança, que os torna furiosos, e como outros, dominados do espírito da preguiça, só se ocupam de frivolidades e vaidades; aqueles, embebidos no espírito da intemperança, igualam-se a loucos e a brutos, estes, empavesados no espírito do orgulho, tornam-se homens violentos e insuportáveis; alguns, possuídos do espírito de inveja, consomem-se pesarosos e tristes, muitos são corrompidos até à podridão, pelo espírito da impureza, e muitos outros, irrequietos pelo espírito da avareza, perturbam-se pela cobiça de riquezas. Considera como estão aí sem repouso e sem ordem, olha até que ponto se desprezam mutuamente, quanto se odeiam, se perseguem, se dilaceram, se destroem, se matam. Eis ai, enfim, a república do mundo, tiranizada por este rei maldito: quão infeliz e digna de compaixão! Continue reading

Meditação sobre uma alma que delibera a escolha entre o Céu e o Inferno

Escolha: Céu ou Inferno

Capítulo XVII

PREPARAÇÃO

1. Põe-te na presença de Deus.
2. Pede a Deus humildemente que te inspire.

CONSIDERAÇÃO

I. No começo desta meditação imagina que estás numa vasta região com o teu anjo da guarda, mais ou menos como Tobias, o jovem que viajava em companhia do arcanjo Rafael, e que ele, abrindo o céu ante teus olhos, te mostra a beleza e glória dessa mansão, ao mesmo tempo que faz aparecer o inferno debaixo de teus pés.

II. Feita esta suposição, de joelhos, como em presença do teu bom anjo, considera que na realidade te achas neste caminho entre o céu e o inferno e que um e outro estão abertos para te receber, conforme a escolha que fizeres. Mas pondera atentamente que a escolha que pode fazer-se agora, nesta vida, perdura eternamente na outra. Continue reading

Meditação sobre o Paraíso

Paraíso e a glória de Deus

Capítulo XVI

PREPARAÇÃO

1. Põe-te na presença de Deus.
2. Pede a Deus que te inspire.

CONSIDERAÇÃO

I. Representa-te uma noite serena e tranquila e pondera quão agradável é para a alma contemplar o céu todo resplandecente ao brilho de tantas estrelas. Ajunta a estes encantos inefáveis as delícias dum claro dia, em que os raios mais brilhantes do sol, entretanto, não encobrissem a vista das estrelas e da lua; e, feito isso, dize a ti mesma que tudo isso não é absolutamente nada, em comparação com a beleza e a glória do paraíso. Oh! Bem merece os nossos desejos esta mansão encantadora. Ó cidade santa de Deus, quão gloriosa, quão deliciosa és tu!

II. Considera a nobreza, a formosura, as riquezas e todas as excelências da companhia santa daqueles que vivem aí; esses milhões de anjos, serafins e querubins; esses exércitos inumeráveis de apóstolos, de mártires, de confessores, de virgens e de tantos outros santos e santas. Oh! Que união bem-aventurada a dos santos na glória de Deus. Continue reading

A Posse de Deus

Meditação para o Dia 04 de Novembro

1. O desejo irresistível e inato de felicidade não fica satisfeito pelos bens da terra; tanto os bens internos, como externos, são insuficientes. Se conseguires saber muito, restará ainda mais que ignoras; menos ainda poderão satisfazer-te outros bens. A riqueza, longe de apagar, aumenta a sede e tira a paz do coração. Honras e poder trazem desassossego de ânimo, expõem à crítica e à inveja. Ainda menos que tudo isto, gozos sensuais poderão trazer-te a felicidade, pois eles prejudicam a saúde corporal e espiritual, causam fastio e deixam remorsos. Continue reading

Amizade e Felicidade Eterna

Meditação para o Dia 03 de Novembro

1. Alegrai-vos e exultai, porque alto galardão vos espera no céu“. As alegrias do céu são tantas que não é possível encará-las devidamente de uma vez. Se amigos verdadeiramente bons já na terra muito contribuem para tornar mais intensiva a alegria, o que será no céu, na companhia dos anjos, dos santos, do próprio Deus? Difícil é achar-se na terra amigos de todo bons. O caráter, a educação, a maior ou menor ilustração, as ideias, a cobiça, etc., prejudicam a completa harmonia. No céu, porém, a união de vistas é perfeita, a amizade sincera e constante. Continue reading

Gozo sem Fim

Meditação para o Dia 30 de Maio

1. O que faz o inferno ser inferno é a eternidade. Ela também faz o céu ser céu. Caia no inferno um raio de esperança de um fim, e já deixará de ser o lugar do desespero. Caia no céu uma sombra de medo dum termo de suas alegrias e já não será mais o lugar do gozo infinito. Mas, alma feliz! Nada receies; o céu é eterno:

“Entrarão para a vida eterna”

Enquanto Deus for Deus, os bem-aventurados serão felizes no céu. Deus é imortal, por isso será eterna a felicidade. Eternamente prazer, consolação, júbilo, felicidade, segurança! Quem o compreenderá? Quem o apreciará bastante? Continue reading

Gozos Eternos

Meditação para o Dia 29 de Maio

1. Por que tantos homens estão como acorrentados a este mundo? É devido aos breves prazeres da terra. Estes mesmos deviam antes lembrar-nos daqueles eternos gozos, de que são apenas um reflexo. O que na terra é chamado prazer, é comum a justos e pecadores. Que deverá, pois, ser aquilo que Deus reservou a seus favorecidos! Aos inimigos já dá tanto, aos filhos diletos não dará infinitamente mais? Continue reading

O Paraíso

Entrada do Céu

Capítulo XLVI

Oculus non vidit, nec auris audivit, nec in cor hominis ascendit quae praeparavit Deus iis qui diligunt illum – “O olho não viu, nem o ouvido ouviu, nem jamais veio ao coração do homem o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1Cor 2, 9)

O paraíso! O paraíso!… Ah! Deus meu! Ao só pensar nesta bela mansão, minha alma se inunda de consolações, meu coração desfalece de alegria e de amor, e meus olhos se convertem em duas fontes de lágrimas. Ao pensar no paraíso compreendo que não há proporção entre as penas desta vida e a recompensa que na outra nos está preparada.

Ao pensar no paraíso, os sofrimentos tornam-se-me delicias, as humilhações e desprezos revestem-se-me de encantos, e as mais pesadas cruzes me parecem fazer-se leves. Continue reading

Maria Santíssima conduz os seus servos ao paraíso

"Quem é verdadeiramente servo de Maria está certo de que está escrito no livro da vida e se salvará"

Qui me invenerit, inveniet vitam, et hauriet salutem a Domino – “Aquele que me achar, achará a vida, e haverá do Senhor a salvação” (Pv 8, 35)

Sumário. De que serve inquietarmo-nos com as sentenças das escolas sobre a predestinação para a glória? Quem é verdadeiramente servo de Maria está certo de que está escrito no livro da vida e se salvará; porque de todos aqueles que perseveram na sua devoção a esta bem-aventurada Mãe, ninguém se perdeu. Só se condena aquele que não recorre a ela ou deixa de ser seu servo. Procuremos, portanto, entrar sempre mais e permanecer nesta arca da salvação; e cada vez que nos for possível, procuremos, por palavras e exemplos, fazer que outros também ali entrem.
Continue reading

« Older posts

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑