Tag: aridez espiritual

A Desconsolação como um meio de crescer no amor de Deus

Meditação para o Sábado da 4ª Semana depois da Páscoa. A Desconsolação como um meio de crescer no amor de Deus

Meditação para o Sábado da 4ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Consideraremos as desconsolações como um meio de crescer no amor de Deus:

1.° Porque fazem sobressair a Sua bondade;

2.° Porque dispõem a alma a que Lhe tenha um amor mais vivo;

3.° Porque fazem que Lhe tenha um amor mais puro.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De bendizermos a Deus nas desconsolações, e de exaltarmos o Seu amor, que desce até à nossa miséria;

2.° De O chamarmos a nós com santos desejos muitas vezes repetidos, tais como estes:

“Vinde a mim, ó Jesus! Vinde em meu auxílio; ame-Vos eu, Senhor” – Veni, Domine Jesu,… Deus, in adjutorium meum intende… Diligam te Domine

Estas palavras nos servirão de ramalhete espiritual.
Continue reading

Outras vantagens da Desconsolação

Meditação para a Sexta-feira da 4ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Consideraremos as desconsolações debaixo de um novo ponto de vista:

1.º Como um corretivo do amor-próprio;

2.° Como uma lição de humildade.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos humilharmos diante de Deus por essas desconsolações nos nossos exercícios;

2 De nos humilharmos diante dos homens, reputando todos os outros melhores do que nós, e aceitando todos os desprezos ou faltas de atenção.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Senhor em Isaías:

“Para quem olharei eu senão para o pobrezinho e quebrantado de espirito?” – Ad quem respiciam, nisi ad pauperculum et contritum spiritu? (Is 66, 2)

Continue reading

Vantagens que devemos tirar na Desconsolação

Meditação para a Quinta-feira da 4ª Semana depois da Páscoa. Vantagens que devemos tirar na Desconsolação

Meditação para a Quinta-feira da 4ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Meditaremos sobre as vantagens que podemos tirar das desconsolações; e veremos que podemos tirar:

1.° Os maiores méritos;

2.° As mais sólidas virtudes.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° Nos tempos de desconsolação, de sermos tão exatos no cumprimentos dos nossos deveres como nos dias de consolação;

2.° De nos aproveitarmos com alegria desses dias de prova, para nos acostumarmos pela renuncia e pelo sacrifício à pratica das sólidas virtudes.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Evangelho:

“O reino dos céus padece força, e os que fazem violência são os que o arrebatarão” – Regnum caelorum vim patitur, et violenti rapiunt illud (Mt 11, 12)

Continue reading

Outros modos de proceder na Desconsolação

Meditação para a Quarta-feira da 4ª Semana depois da Páscoa. Outros modos de proceder na Desconsolação

Meditação para a Quarta-feira da 4ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Continuaremos a meditar sobre o procedimento que devemos ter no estado de desconsolação, e veremos que então convém:

1.° Que sejamos mais exatos que nunca aos nossos exercícios de piedade;

2.° Que nos conservemos na união com Deus.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De não cercearmos as nossas práticas de piedade, apesar do pouco gosto que nelas acharmos;

2.° De perseverarmos, ainda que sem atrativo, no espírito de recolhimento e de união com Deus.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Santo Agostinho:

“Deve-se ser fiel a Deus nas mínimas coisas” – In minimis fidelem ecce maximum est

Continue reading

O que devemos fazer na Desconsolação

Meditação para a Terça-feira da 4ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Meditaremos sobre o procedimento que devemos ter no estado de desconsolação, e veremos, que então convém, que nos resguardemos:

1.° Da desanimação que nos-leva a relaxarmo-nos;

2.° Da perturbação que tira a paz da alma.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De aceitarmos de boa vontade o desgosto, o enfado, e a desconsolação, que nos sobrevierem no cumprimento dos nossos deveres;

2.° De nos conservarmos tranquilos e pacientes, não obstante as nossas dores interiores.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

“Em terra deserta, e sem caminho e sem água; nela me apresentei a vós como no santuário” – In terra deserta et invia et inaquosa, sic in sancto apparui tibi (Sl 62, 3)

Continue reading

Causas  da Desconsolação

Meditação para a Segunda-feira da 4ª Semana depois da Páscoa. Causas  da Desconsolação

Meditação para a Segunda-feira da 4ª Semana depois da Páscoa

SUMARIO

Meditaremos:

1.° Sobre as causas mais ordinárias das desconsolações espirituais;

2.° Sobre os meios de as evitar.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De conservarmos em nós o espírito de contemplação com frequentes orações jaculatórias e a oferta das nossas ações a Deus;

2.° De combatermos a distração, causa principal das nossas desconsolações, com a mortificação dos sentidos exteriores e interiores.

O nosso ramalhete espiritual será o conselho do Apóstolo a Timóteo:

“Olha por ti” – Attende tibi (1Tm 4, 16)

Continue reading

A Desconsolação Espiritual

Meditação para o 4º Domingo depois da Páscoa. A Desconsolação Espiritual
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João 16, 5-14

5«Agora vou para aquele que me enviou, e ninguém de vós me pergunta: ‘Para onde vais?’ 6Mas, por vos ter anunciado estas coisas, o vosso coração ficou cheio de tristeza. 7Contudo, digo-vos a verdade: é melhor para vós que Eu vá, pois, se Eu não for, o Paráclito não virá a vós; mas, se Eu for, Eu vo-lo enviarei.

8E, quando Ele vier, dará ao mundo provas irrefutáveis de uma culpa, de uma inocência e de um julgamento: 9de uma culpa, pois não creram em mim; 10de uma inocência, pois Eu vou para o Pai, e já não me vereis; 11de um julgamento, pois o dominador deste mundo ficou condenado.»

Quinta promessa do Espírito – 12«Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender por agora. 13Quando Ele vier, o Espírito da Verdade, há-de guiar-vos para a Verdade completa. Ele não falará por si próprio, mas há-de dar-vos a conhecer quanto ouvir e anunciar-vos o que há-de vir. 14Ele há-de manifestar a minha glória, porque receberá do que é meu e vo-lo dará a conhecer.

Continue reading

A Aridez Espiritual na Meditação

Parte II
Capítulo IX

Se acontecer que não aches prazer na meditação, nem sintas aí consolo algum para a tua alma, eu te conjuro, Filotéia, a não te perturbares com isso, mas procura remediar o mal com os alvitres seguintes: Recita algumas das orações vocais em que teu coração se compraz de preferência; queixa-te amorosamente a Jesus Cristo; chama-O em teu socorro; beija respeitosamente a Sua imagem, se a tens a mão, confessa-Lhe a tua indignidade; dize-Lhe com Jacob: De modo algum, Senhor, me afastarei, se não me abençoardes ou então como a mulher cananéia: Assim é, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa de seus donos. Continue reading

A tristeza os Apóstolos e as desolações espirituais

Vale Desolado

Tire o maior proveito desta Meditação seguindo os passos
para se fazer a Oração Mental proposta por Santo Afonso!

Meditação para o 5º Domingo depois da Páscoa

Expedit vobis, ut ego vadam; si non abiero, Paraclitus non veniet ad vos – “É conveniente a vós que eu vá, porque, se não for, não virá a vós o Paráclito” (Jo 16, 7)

Sumário. Posto que as desolações espirituais sejam a provação mais sensível para as almas amantes de Deus, são também lances da divina Providência para promover o maior proveito espiritual, porquanto deste modo as confirma na virtude e as enriquece com merecimentos. Portanto, se jamais te achares no estado de desolação, imagina-te, para teu consolo, que Jesus Cristo te diz o que disse aos apóstolos, como se refere no Evangelho de hoje: É conveniente para vós que eu me afaste com a minha presença sensível. Continue reading

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑