Categoria: Mês de Nossa Senhora (page 1 of 4)

Maria, Distribuidora das Graças

Meditação para o dia 31 de Maio. Maria, Distribuidora das Graças

Meditação para o dia 31 de Maio

Que lhe arrebentassem os aquedutos, foi à ordem dada por Holofernes para tomar a cidade de Betúlia (Jd 7, 6). Assim o demônio também envida todos os esforços para acabar com a devoção à Mãe de Deus nas almas. Pois, cortado esse canal de graças, mui fácil se lhe torna a conquista. Consideremos, portanto, continua São Bernardo, com que afeto e devoção quer o Senhor que honremos esta nossa Rainha. Consideremos o quanto deseja que a ela sempre recorramos e era sua proteção confiemos. Pois em suas mãos depositou a plenitude de todos bens, para nos tornar cientes de que toda esperança, toda graça, toda salvação, a nós chegam pelas mãos dela. A mesma coisa declara Santo Antonino. Todas as misericórdias dispensadas aos homens lhes têm vindo por meio de Maria.

É por isso Maria comparada à lua. Colocada entre o sol e a terra, a lua dá a esta o que recebe daquele, diz São Boaventura; do mesmo modo recebe Maria os celestes influxos da graça para no-los transmitir aqui na terra. Continue reading

Obséquio e Devoção em honra de Maria

Meditação para o dia 30 de Maio. Obséquio e Devoção em honra de Maria

Meditação para o dia 30 de Maio

Afirmo que, entre todas as práticas devotas, nenhuma há que tanto agrade à nossa Mãe, como recorrer frequentemente à sua intercessão. Peçamos-lhe, pois, auxílio em todas as necessidades particulares. Por exemplo: quando vamos tomar ou dar conselhos, nos perigos, nas aflições e tentações, principalmente nas tentações contra a pureza. Certamente nos há de socorrer a divina Mãe, se a ela recorrermos com a antífona Sub tuum praesidium, ou com a Ave Maria, ou com a simples invocação de seu santíssimo nome, que terá uma força particular contra os demônios.

O beato Sante, franciscano, em uma tentação contra a pureza, recorreu a Maria e ela, aparecendo-lhe imediatamente, lhe pôs a mão sobre o peito e o livrou. Era tais ocasiões também é bom beijar ou tomar na mão o Rosário ou o escapulário, ou então olhar para uma imagem da Virgem Maria. Note-se que lucra cada vez 300 dias de indulgência (= indulgência parcial) quem pronunciar devotamente os nomes de Jesus ou de Maria. Continue reading

Escapulário, Rosário e Novenas

Meditação para o dia 29 de Maio. Escapulário, Rosário e Novenas

Meditação para o dia 29 de Maio

Certos senhorios se gloriam de ter servos que tragam suas librés. Assim Maria Santíssima também estima que seus devotos tragam seu escapulário, em sinal de que são dedicados a seu serviço e fazem parte de sua família. Pessoas sem religião riem, segundo o costume, dessa devoção; mas a Santa Igreja a tem aprovado com muitas bulas e indulgências.

Os padres Crasset e Lezena, falando do escapulário do Carmo, referem que, aos 16 de julho de 1251, apareceu a Santíssima Virgem a São Simão Stock, na Inglaterra, e entregou-lhe um escapulário, garantindo-lhe que aqueles que o trouxessem seriam livres da condenação eterna.

“Recebe, meu filho, disse a Virgem, esse escapulário de tua Ordem, distintivo da minha confraria e um privilégio para ti e para todos os carmelitas. Quem morrer revestido dele, não experimentará o fogo eterno”

Continue reading

Práticas de Devoção a Maria

Meditação para o dia 28 de Maio. Práticas de Devoção a Maria

Meditação para o dia 28 de Maio

Afirmamos ser impossível, moralmente falando, que se perca um devoto de Maria. Verifica-se, entre-tanto isso, com a condição que ele viva sem pecado, ou que pelo menos tenha desejo de converter-se. Nesse caso, certamente, Maria o ajudará. Quisesse alguém, ao contrário, pecar na esperança de ser salvo por Nossa Senhora, esse se tornaria por sua culpa indigno e incapaz da proteção de Maria.

Em segundo lugar nossa devoção deve ser perseverante. Só quem persevera recebe a coroa, diz São Bernardo. Tomás de Kempis, sendo menino, costumava todos os dias recorrer à Virgem Maria, com certas orações. Um dia, porém, delas se esqueceu, e depois as omitiu durante umas semanas. Finalmente, as abandonou por completo. Certa noite viu em sonho como Maria abraçava os seus companheiros, mas em lhe chegando a vez de ser abraçado, ela disse:

“Que esperas de mim, tu que deixaste as tuas devoções? Afasta-te, que és indigno de um abraço meu”

Tomás despertou aterrorizado e recomeçou com as costumadas devoções. Continue reading

A Obediência de Maria

Meditação para o dia 27 de Maio. A Obediência de Maria

Meditação para o dia 27 de Maio

A Santíssima Virgem amava a obediência. Quando da embaixada de São Gabriel não quis tomar outro nome senão o de escrava.

“Eis aqui a escrava do Senhor”

Com efeito, testemunha São Tomás de Vilanova, essa fiel escrava do Senhor nunca o contrariou, nem por ações, nem por pensamentos. Obedeceu sempre e em tudo à divina vontade, completamente despida de toda vontade própria. Ela mesma declarou que Deus se tinha agradado de sua obediência.

“Ele olhou a baixeza de sua serva”

A humildade própria de uma serva é ser sempre pronta a obedecer. Por sua obediência, reparou Maria o dano causado pela desobediência de Eva, afirma Santo Irineu:

“Como a desobediência de Eva causou a morte ao gênero humano, assim pela obediência foi a Virgem, para si e para a humanidade, a causa da salvação”

Continue reading

A Humildade de Maria

Meditação para o dia 26 de Maio

De todas as virtudes é a humildade o fundamento e a guarda lê-se com razão nos sermões sobre a Salve Rainha. Sem humildade, não há virtude que possa existir numa alma. Possua embora todas as virtudes, fugiriam todas ao lhe fugir a humildade. Pelo contrário, Deus tão amante é da humildade, que se apressa em correr onde a vê, escreve São Francisco de Sales a Santa Joana de Chantal.

No mundo era desconhecida essa virtude tão bela e necessária. Mas, para ensiná-la, veio a terra o próprio Filho de Deus, exigindo que, principalmente neste particular, lhe procurássemos imitar o exemplo.

“Aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração” (Mt 11, 29)

E assim como em todas as virtudes foi Maria a primeira e mais perfeita discípula de Jesus Cristo, o foi também na humildade. Por ela mereceu ser exaltada sobre todas as criaturas. Essa foi a virtude em que, desde pequena, se singularizou. Assim nos consta de uma revelação feita a Santa Matilde. Continue reading

Maria Santíssima nossa Esperança

Meditação para o dia 25 de Maio. Maria Santíssima nossa Esperança

Meditação para o dia 25 de Maio

Motivo tem a Igreja em aplicar a Maria as palavras do Eclesiástico (24, 24), com as quais lhe chama a Mãe da santa esperança, Mãe que faz nascer em nós, não a esperança vã dos bens transitórios desta vida, mas a santa esperança dos bens imensos e eternos da vida bem-aventurada. Salve, esperança de minha alma, saudava-a Santo Efrém, salve, ó segura salvação dos cristãos, auxílio dos pecadores, defesa dos fiéis, salvação do mundo. Aqui pondera São Boaventura que, depois de Deus, outra esperança não temos senão Maria e por isso a invoca “como única esperança nossa depois de Deus”. Também é esta a convicção de Santo Efrém. Reflete o Santo sobre a presente ordem da Providência, com que Deus tem determinado (como diz São Bernardo e adiante nós demonstraremos largamente) que todos, que se hão de salvar, hajam de consegui-lo por meio de Maria. E diz-lhe então:

“Senhora não deixe de guardar-nos e de proteger-nos sob vosso manto, já que depois de Deus não temos outra esperança senão a vós”

Continue reading

Maria Santíssima nos Ama

Meditação para o dia 24 de Maio. Maria Santíssima nos Ama

Meditação para o dia 24 de Maio

Maria não pode deixar de amar-nos

Se, pois, Maria é nossa Mãe, consideremos quanto ela nos ama. O amor dos pais, para com os filhos é um amor necessário. E esta é a razão, adverte Santo Tomás, por que, pondo a divina lei preceito aos filhos de amarem os pais, não pôs preceito expresso aos pais de amarem os filhos. Pois o amor aos próprios filhos é amor com tanta força imposto pela mesma natureza, que as mesmas feras mais cruéis, como disse Santo Ambrósio, não pode deixar de amá-los.

Contam os naturalistas que até o tigre, ouvindo a voz dos filhos capturados pelos caçadores, se lança ao mar e vai nadando até ao navio em que os levam. Se, pois, diz nossa Mãe terníssima, nem os próprios tigres se esquecem de sua prole, como poderei eu esquecer-me de meus filhos? Continue reading

O amor divino no Coração de Maria

Meditação para o dia 22 de Maio. O amor divino no Coração de Maria

Meditação para o dia 23 de Maio

Diz Santo Alberto Magno:

“Quanto é grande a pureza, é também grande o amor. Quanto mais um coração é puro e vazio de si mesmo, tanto mais cheio é de caridade para com Deus”

Assim Maria, sendo sumamente humilde e vazia de si, foi cheia do divino amor e nesse amor excedeu a todos os anjos e homens, como disse São Bernardino de Sena. Com razão, a chama São Francisco de Sales Rainha do amor.

“Deu o Senhor aos homens o preceito: Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração” (Mt 22, 37)

Entretanto os homens, diz Santo Tomás, não na terra, mas no céu, poderão cumpri-lo perfeitamente. Na opinião de Santo Alberto Magno, semelhante preceito, por ninguém cumprido com perfeição, de certo modo teria sido indecoroso ao Senhor, que o decretou se não houvesse existido uma santa Mãe que o cumpriu perfeitamente. Tal pensamento é confirmado por Ricardo de São Vitor:

“A Mãe de nosso Emanuel em todo sentido praticou as virtudes com consumada perfeição. Quem como ela cumpriu o preceito de amar a Deus de todo o coração? Tão intenso era-lhe o incêndio do amor divino, que não restava lugar para a menor imperfeição”

Continue reading

Maria, nosso Refúgio nas Tentações

Meditação para o dia 21 de Maio. Maria, nosso Refúgio nas Tentações

Meditação para o dia 22 de Maio

O demônio tem medo da Mãe de Deus

Não só do céu e dos santos é Maria Santíssima Rainha, senão também do inferno e dos demônios, porque os venceu valorosamente com suas virtudes. Já desde o princípio do mundo tinha Deus predito à serpente infernal a vitória e o império que sobre ela obteria nossa Rainha.

“Eu porei inimizade entre ti e a mulher; ela te esmagará a cabeça” (Gn 3, 16)

Mas quem foi esta mulher, sua inimiga, senão Maria, que com a sua profunda humildade e santa virtude sempre venceu e abateu as forças de Satanás, como atesta São Cipriano? É para se notar que Deus falou “eu porei” e não “eu ponho” inimizade entre ti e a mulher. Isto faz para mostrar que a sua vencedora não era Eva, que já então vivia, mas uma sua descendente. Esta devia trazer a nossos primeiros pais, como diz São Vicente Ferreri, um bem maior do que aquele que tinha perdido com o seu pecado. Maria é, portanto, essa excelsa mulher forte que venceu o demônio e, em lhe abatendo a soberba, lhe esmagou a cabeça, conforme as palavras do Senhor:

“Ela te esmagará a cabeça”

Continue reading

« Older posts

© 2019 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑