Meditação para o Dia 08 de Setembro

Santa Catarina Labouré, a inocente filha de São Vicente de Paulo, viu Nossa Senhora nas aparições da medalha milagrosa. Era tão bela! Das mãos da Virgem, anéis de fulgurantes pedrarias irradiavam luzes esplendorosas que chegavam até a terra, simbolizando as graças e misericórdias de Maria, descendo sobre o mundo.

“O vestido de Nossa Senhora – disse a vidente, com toda a sua adorável simplicidade de camponesa – era da cor do céu, quando ainda de madrugada, pouco antes do nascer do sol”

Que tocante simbolismo! A Aurora da Misericórdia anunciando o Sol do Amor! Hoje nasceu Maria. Raiou a Aurora da Salvação, tão suave e tão bela. O povo costuma cantar, numa de suas trovas de devoção a Nossa Senhora do Rosário:

“Bendito e louvado seja
O Rosário de Maria
Se Ela não viesse ao mundo,
Ai! de nós o que seria!”

Sim! Ai de nós! O que seria, ó Mãe de Misericórdia, se não raiasse hoje para o mundo a aurora fulgurante do vosso nascimento! Como somos felizes!

“Às vezes – escreve Teresinha a Celina (1) – surpreendo-me a dizer à Santíssima Virgem: –Sabeis que me considero mais feliz que Vós? Tenho-vos por Mãe e não tendes por Mãe como eu uma santíssima virgem para amar!… Verdade é que sois Mãe de Jesus, mas Jesus que também é dos mortais, a nós mortais, vos deu na cruz. Somos, pois mais ricos do que Vós; outrora, na vossa humildade, queríeis ser a escrava da Mãe de Deus e entretanto, eu pobre criatura, não sou vossa escrava, mas vossa filha! Sois Mãe de Jesus e minha Mãe”

Que felicidade a de ser filho de Maria! Não é esse pensamento de grande consolo para o nosso exílio?

Referências:
(1) 13 me. lettre à Céline

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 271)