Tag: ascânio brandão (page 2 of 5)

Os Três Graus da Conformidade

Meditação para o Dia 07 de Janeiro

São três os graus da conformidade com a vontade de Deus. No primeiro grau, a alma sofre com paciência; mas preferiria não sofrer. Não é isento de queixa,embora acompanhada sempre do estribilho: Não pode ser!… Paciência! Deus assim quis! Seja feita a Vontade de Deus! Já é agradável a Nosso Senhor a alma assim resignada, mas ela se acha ainda na via do temor e da imperfeição. No segundo grau, o sofrimento é acolhido como um hóspede do Céu, sendo reconhecido o seu valor e as vantagens que traz para o nosso adiantamento. Continue reading

Os Desígnios de Deus

Meditação para o Dia 06 de Janeiro

Deus tem desígnios insondáveis sobre nós. Só ele sabe o que necessitamos. O sofrimento que, às vezes, tanto nos revolta, é, podemos crê-lo, misericórdia, pura misericórdia Divina. Na Eternidade louvaremos mil vezes a mão que nos feriu. Dor bendita! Digamos com Santo André:

“Ó boa cruz!”

Peçamos a Nosso Senhor que se cumpra a Sua Santíssima Vontade. Continue reading

Fazer o que Deus quer, querer o que Deus Faz

Meditação para o Dia 05 de Janeiro

Eis a síntese da perfeição, o meio seguro de se chegar à santidade. Fora disso, a ilusão, o risco da perdição! Toda a perfeição consiste em que executemos o que Deus quer de nós.

“Se nos queremos santificar, diz o Padre Saint Omer C.SS.R., basta que, renegando a nossa própria vontade, façamos sempre a de Deus,porque todos os preceitos e todos os conselhos Divinos se resumem, em substância, em que devemos sofrer tudo o que Deus quer e como Deus quer” (1)

Continue reading

Seja feita a Vossa Vontade!

Meditação para o Dia 04 de Janeiro

Toda santidade consiste em fazer a vontade de Deus.

“Não acreditemos, dizia Santa Teresa, que o nosso adiantamento na perfeição depende de algum meio desconhecido e extraordinário. Não, todo nosso bem consiste na conformidade da nossa vontade com a vontade de Deus” (1)

É o que assim diz Nosso Senhor no Evangelho:

“Nem todo o que Me diz: ‘Senhor! Senhor! – entrará no reino dos Céus, mas o que faz a vontade de meu Pai, que está no Céu, esse entrará no reino dos Céus'” (2)

Continue reading

O Repouso no Céu

Meditação para o Dia 03 de Janeiro

A vida é para a luta. No Céu é que há repouso. Aqui somos soldados em combate, só podendo descansar depois de alcançada a vitória. Nada de covardia nem de desânimo! É preciso que a morte nos venha encontrar com as armas na mão. A nossa peleja é pela conquista do Céu, onde encontraremos o repouso eterno, esse mesmo repouso que imploramos na prece pelos nossos defuntos quando dizemos:

“Dai-lhes, Senhor, o descanso eterno”

O sofrimento é o nosso purgatório na terra. Dura pouco, pois tudo passa depressa no mundo. Continue reading

O Cortejo do Menino Jesus

Meditação para o Dia 02 de Janeiro

Hoje a Santa Igreja festeja o Santíssimo Nome de Jesus e adora a Jesus Menino nos braços de Maria. O nome de Jesus! Bálsamo suave para as feridas de nossos corações! Quando nas horas de dor nos sentirmos levados a murmurar e à irritação, digamos muitas vezes, até que passe a tempestade e se acalme nosso espírito:

“Jesus! Jesus! Meu doce Jesus!”

Muita devoção, almas que sofreis, muita devoção ao nome de Jesus! Aceitai a sua cruz. Continue reading

Mais um Ano!

Meditação para o Dia 01 de Janeiro

Sem a cruz não podemos viver. Sem ela não nos salvaremos. Nosso Senhor disse:

“Quem não recebe a minha cruz e não me segue não é digno de mim” (1)

Nosso Divino Rei Crucificado abriu-nos a estrada real da santa cruz, a única que vai dar ao Céu. Como custa, Senhor, carregar o fardo tão pesado das amarguras da vida! Bem dizia Jó:

“A vida do homem na terra é um combate”

Continue reading

Meditação Final

Lições sobre as Almas do Purgatório

Lições do Purgatório

Meditação para o dia 30 de Novembro

Antes sofrer agora… depois… depois será terrível! Agora, nossas orações, sacrifícios esmolas têm um valor de certo modo infinito, pelos méritos do Sangue Preciosíssimo de Jesus Cristo. Podemos fazer por nós, isto é, ganhar para nossa alma aqui, e para as almas que sofrem no purgatório. Depois… ah!, quando nossa alma se separar do corpo, daremos contas até de uma palavra ociosa, como diz o Evangelho, e pagaremos até o último ceitil das nossas dívidas para com Deus. Agora quanto mérito e quanta riqueza para a vida eterna!

Aproveitemos o tesouro da misericórdia de Deus. Não abusemos da graça. Aproveitemos, sobretudo, o tesouro infinito da Santa Missa.

É o que melhor podemos dar às almas de nossos entes queridos. A Santa Missa é o primeiro e o maior dos sufrágios pelos mortos. Por ela se apagam nossos pecados e aliviadas são as almas do purgatório.

Afirma São Jerônimo, um dos grandes Doutores da Igreja: Enquanto a sacerdote celebra a Santa Missa, muitas almas são libertadas do purgatório.
Continue reading

As Últimas Vontades dos Mortos

Funeral Católico: Respeitemos os Mortos!

Meditação para o dia 29 de Novembro

Somos obrigados a executar com justiça e consciência as últimas vontades dos nossos mortos. O que no leito de morte nos pediram, o que deixaram em testamento seja respeitado, porque daremos contas severas a Deus desta tremenda injustiça se lesarmos os direitos dos mortos e não cumprirmos suas últimas vontades.

As pobres almas do purgatório são vítimas da Justiça de Deus, porque devem expiar seus pecados, e muitas vezes também vítimas das injustiças dos homens. Herdeiros que defraudam os bens dos mortos e nem se lembram de lhes sufragar a pobre alma com uma só Missa! Filhos que discutem e se odeiam por uma miserável herança e cometem toda sorte de injustiças, lesando-se mutuamente numa louca ambição, ao invés de em paz honrarem a memória dos pais e cumprirem as cláusulas dos testamentos. É uma das mais tremendas injustiças. Lesar os vivos é um pecado, mas lesar os mortos tirando-lhes os sufrágios por injustiça, é um pecado que só pode atrair a vingança de Deus. Diz o Espírito Santo que haverá um juízo sem misericórdia para quem não usou de misericórdia.

“Que juízo tremendo e duro não há de ser o de quem defraudou os direitos dos mortos ? Lesar um pobre, disse o Quarto Concilio de Cartago, é se fazer assassino do pobre”

Que não será o que lesa o direito das pobres almas? Continue reading

Como evitar o Purgatório?

Como evitar o Purgatório?

Pode-se evitar o Purgatório?

Meditação para o dia 28 de Novembro

Há em geral entre muitos a ideia de que é impossível entrar no céu logo depois da morte, principalmente quando se pensa na Justiça de Deus, na Santidade Divina e a miséria humana. O purgatório não é sempre inevitável. Pode-se evitar o purgatório e é vontade de Deus que façamos tudo neste mundo para merecer logo o céu. É impossível! É dificílimo!… Sim, difícil, não há dúvida, mas impossível, nunca! Não digamos como tantos: contanto que eu arranje um lugar no purgatório… Por humildade, e em verdade, podemos falar assim, mas por covardia e para afrouxarmos no trabalho da nossa perfeição, nunca o podemos dizer, nem proceder assim. Havemos de fazer tudo para evitar o purgatório.

“Aqui, disse Santa Catarina de Genova, pagamos com um, a dívida de mil, e na outra vida precisamos de mil para pagar um… Está em nossas mãos ganhar muito e preparar a entrada do céu logo depois da morte”

Santa Teresa viu almas entrarem no céu sem terem passado pelo purgatório. Procurar evitar o purgatório é o melhor meio de se livrar dele. Evitemos o pecado venial, sejamos fiéis ao nosso dever, tenhamos uma grande pureza de intenção em nossos atos. Façamos muitas obras de caridade, fujamos de toda vaidade e hipocrisia em nossas ações, sejamos sinceros, humildes, simples, tenhamos paciência em nossos sofrimentos, sejamos resignados à vontade de Deus em todas as coisas. Quantos meios ao nosso alcance para evitarmos o purgatório! Zelemos a pureza de consciência e a pureza de intenção. Não é impossível escapar do purgatório. Está em nossas mãos. Uma alma fervorosa se abrasa neste mundo nas chamas do Divino Amor que purifica cada dia mais e se santifica de tal modo, que logo se lhes abram as portas do céu.
Continue reading

Older posts Newer posts

© 2018 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑