Tag: pureza (Page 1 of 3)

Os desposórios de Maria Santíssima

Capítulo 8: Os desposórios de Maria Santíssima
Conveniência de Maria Santíssima ter um esposo

Transportemo-nos hoje em espírito ao templo de Jerusalém para presenciarmos um espetáculo em que a Virgem Maria não se mostra menos admirável, nem nos oferece instruções menos úteis, do que na sua Apresentação. Entrava nos desígnios de Deus que esta Virgem incomparável, escolhida desde toda a eternidade para ser Mãe do divino Redentor dos homens, mostrasse em sua pessoa o modelo completo de todas as virtudes nas diferentes condições da vida. Foi, portanto, sábia disposições da Providência que Maria, havendo de conceber milagrosamente e dar à luz, sem quebra de sua integridade, o Verbo Encarnado, tivesse uma testemunha e guarda, fiel de sua pureza, e fosse ao mesmo tempo o pai putativo e aio do Homem-Deus.

Admiremos os segredos da divina sabedoria! Quão perfeita e retamente ordenados são todos os seus planos! Como ela sabe dispor tudo com força e suavidade para o complemento dos Seus desígnios! Continue reading

A Imaculada Conceição da Santíssima Virgem

Capítulo 3: A Imaculada Conceição

Graça concedida a Maria na sua Conceição

O favor mais precioso que a Santíssima Virgem recebeu da liberalidade divina foi o de ser concebida pura e sem mancha. Por um privilégio só a Ela concedido, Deus a preservou do pecado original, de que todos nascemos culpados. A qualidade de Mãe de Deus, para a qual Maria se achava destinada, exigia esta gloriosa prerrogativa. Aquela que devia dar ao mundo o Deus de toda a santidade; aquela a quem Deus tinha escolhido para ser objeto de Suas complacências; aquela que devia esmagar a cabeça da serpente infernal, poderia ser acaso, ainda por um só instante, escrava do demônio, inimiga de Deus, filha de perdição e da ira? Não! Isso repugnava inteiramente à sabedoria e santidade de Deus. Por esta razão Maria foi pura, santa, imaculada desde o primeiro instante de sua existência. Sua alma, formosa foi cheia então de bênçãos e graças; e enriquecida de todas as virtudes; e seu coração, destinado para ser o santuário da Divindade, nunca foi manchado pelo hálito impuro do pecado. Regozijemo-nos com a Igreja por este favor concedido a Maria; protestemos-lhe venerar e defender até à morte este privilégio admirável, que hoje se acha definido pela autoridade infalível da Igreja como irrefragável dogma de fé. Continue reading

O que se deve fazer para Conservar a Castidade

Meditação para o Vigésimo Terceiro Sábado depois de Pentecostes. O que se deve fazer para Conservar a Castidade

Meditação para o Vigésimo Terceiro Sábado depois de Pentecostes

SUMARIO

Depois de termos visto o que devemos evitar para adquirir ou conservar a castidade, meditaremos sobre o que nos convém fazer; e veremos que nos convém:

1.° Ser Humildes;

2.° Frequentar os Sacramentos;

3.º Orar.

— Tomaremos a resolução:

1.° De não nos fiarmos em nós mesmos e de não nos expormos a perigo;

2.° De recorrermos muitas vezes aos Sacramentos da Penitência e da Eucaristia;

3.° De sermos assíduos à oração de cada manhã, e de termos uma grande devoção à Santíssima Virgem.

O nosso ramalhete espiritual será o conselho de Nosso Senhor:

“Vigiai e orai para que não entreis em tentação” – Vigilate et orate ut non intretis in tentationem (Mt 26, 20)

Continue reading

O que se deve evitar para Conservar a Castidade

Meditação para a Vigésima Terceira Sexta-feira depois de Pentecostes. O que se deve evitar para Conservar a Castidade

Meditação para a Vigésima Terceira Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Depois de nos termos excitado com duas meditações a amar a castidade, meditaremos sobre o que devemos evitar para adquirir ou conservar esta virtude. Devemos evitar:

1.° A vida ociosa e sensual;

2.° As companhias e relações perigosas.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De estarmos sempre ocupados em coisas úteis, sem perder o tempo a pensar e sonhar em coisas vãs, e de adotarmos um regímen de vida contrário à vida sensual;

2.° De nos abstermos das relações sociais, que expõem a perigo e enervam o coração.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de São Paulo:

“Temos o tesouro da castidade em um vaso de barro” – Habemus thesaurum istum in vasis factilibus (2Cor 4, 7)

Continue reading

Horror à Impureza

Meditação para a Vigésima Terceira Quinta-feira depois de Pentecostes. Horror à Impureza

Meditação para a Vigésima Terceira Quinta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Depois de termos meditado sobre a excelência da castidade e o cuidado que devemos ter em conservá-la, consideraremos quanto é horrendo o vício contrário; e veremos:

1.° Que é infinitamente odioso a Deus;

2.° Que faz ao homem um mal incomparável.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos resguardarmos de todas as ocasiões perigosas, principalmente da ociosidade e demasiada liberdade da vista;

2.° De afugentarmos a tentação, logo que ela sobrevier, não combatendo-a diretamente, mas distraindo- nos dela.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Apóstolo a Timóteo:

“Conserva-te a ti casto” – Teipsum castum custodi (1Tm 5, 22)

Continue reading

A Virtude da Castidade ou da Pureza

Mês de Junho: A Virtude da Castidade ou da Santa Pureza

Nota: Quanto a esta matéria, recomenda-se vivamente a orientação e acompanhamento de um diretor espiritual/confessor. Isto inclui a leitura deste capítulo. Digo isto para evitarmos qualquer tipo de escrúpulo e medidas que podem prejudicar ao invés de fazer progredir a fiel alma que busca crescer nessa santa virtude.

Mês de Junho

Breve introdução sobre a Castidade e o Apóstolo Patrono

Quanto à santa pureza, nunca tenhas em conta de demasiada toda e qualquer precaução.

“O sábio teme e foge, diz a Sagrada Escritura; só o louco confia em si mesmo e sucumbe” (Pr 14, 10)

Quem se expõe voluntariamente à ocasião de pecado, dificilmente se preservará da queda. Evita, por isso, toda a familiaridade com pessoas de outro sexo, por mais piedosas que sejam elas, pois o demônio sabe prender entre si as pessoas piedosas por uma certa inclinação natural, que é contrária à pureza do coração; ele não as incita ao princípio a grandes pecados, mas condu-las, se elas não se acautelam, pouco a pouco, à beira do abismo. Por isso, logo que notares qualquer inclinação desregrada no teu corarão, procura sufocá-la imediatamente, porque, se a deixares crescer, será mais forde, dificílimo arrancá-la e destruí-la.

Guarda cuidadosamente tuas vistas, para que não sejas obrigado a exclamar, um dia, chorando e suspirando:

“Meus olhos perderam minha alma” (Lm 3, õl)

No falar observa a maior modéstia, e se tiveres de ouvir conversas inconvenientes, foge quanto antes e, se isso não te for possível, segue o conselho do Espírito Santo:

“Circunda teus ouvidos de espinhos e não queiras ouvir a língua perversa” (Eclo 28, 28)

Corrige aquele que entretém tais conversas ou, ao menos, dá mostras de que uma tal conversa te desagrada.

Procura repelir de teu coração todos os pensamentos desonestos logo que os perceberes. Não entres em questão alguma com o demônio, mas arma-te imediatamente com a oração. A experiência ensina que aquele que recorre a Deus nas tentações não cai, ao passo que consente no pecado quem então deixa de rezar. Por isso, logo que fores atacado por uma tentação impura, invoca os santos nomes de Jesus e Maria; esses nomes têm o poder de afugentar o inimigo e apagar o fogo da impureza. Se a tentação perdura, não te perturbes por isso. Entrega-te então com toda a humildade à vontade de Deus, que permite essa provação, e dize:

Senhor, por meus muitos pecados mereço ser molestado por tentações tão horrorosas; a Vós compete, porém, auxiliar-me. Renova o propósito de antes morrer que ofender a Deus

Persigna-te repetidas vezes com o sinal da Santa Cruz e toma a água benta; recebe os santos Sacramentos, ajoelha-te aos pés de teu crucifixo ou de uma imagem de Santíssima Virgem e pede e suplica até que venha o auxílio.

Habitua-te a rezar, de manhã, ao levantares, três Ave-Marias em honra da pureza imaculada da Santíssima Virgem e faze o mesmo de noite, ao te acomodares.

Sumário
I. A sua natureza
II. Excelência da Castidade
III. Da Vigilância sobre os Pensamentos
IV. Da Modéstias dos Olhos
V. Da Guarda do Coração
VI. Da Virgindade
VII. A Pureza do Redentor
VIII. A Prática da Santa Pureza
IX. Orações para alcançar a Virtude do Mês

Mês de Junho: A Virtude da Castidade ou da Santa Pureza. Apóstolo Patrono: São Tiago, Menor

Mês de Junho: A Virtude da Castidade ou da Santa Pureza. Apóstolo Patrono: São Tiago, Menor

Continue reading

O berço do Salvador: Escola de Pureza

Meditação para a Segunda-feira da 4ª Semana depois da Epifania. O berço do Salvador: Escola de Pureza

Meditação para a Segunda-feira da 4ª Semana depois da Epifania

SUMARIO

Continuaremos as nossas visitas ao berço do Menino Jesus, e procuraremos ali encher-nos de Sua pureza e de Sua inocência, considerando que um coração puro está bem:

1.° Com Deus;

2.º Com o próximo;

3.° Consigo.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De evitarmos com grande cuidado não somente os menores pecados, mas ainda as menores imperfeições voluntárias;

2.º De darmos com este intuito a cada uma das nossas ações toda a perfeição possível.

O nosso ramalhete espiritual será a sexta bem-aventurança:

“Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus” – Beati mundo corde, quoniam ipsi Deum videbunt (Mt 5, 8)

Continue reading

Glória do homem pela Encarnação

Sexta-feira. Glória do homem pela Encarnação

Meditação para Sexta-feira da 2ª Semana do Advento

Sumário

Meditaremos a glória que provém ao homem da Encarnação do Verbo, e veremos:

1.° Que ela eleva o homem em Jesus Cristo ao apogeu da grandeza;

2.° Que o coloca, sob vários aspectos, em um estado melhor do que antes da queda de Adão.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De respeitar e conservar sempre puro o nosso corpo, já que o Verbo Encarnado tanto o honrou;

2.° De crescer todos os dias no amor de Nosso Senhor, que tanto nos amou, e de multiplicar os nossos atos de amor de dia e de noite.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra da Igreja:

O felix culpa, quae talem ac tantum meruit habere Redemptorem – Ó feliz culpa, que nos mereceu ter um tal Redentor! (Benedictio cerei paschalis)

Continue reading

Lírios entre Espinhos

Meditação para o Dia 27 de Outubro

Atormentam-se pobres almas inocentes com as mais horrorosas e imundas tentações contra a angélica virtude. É um suplício e dos mais dolorosos. O pior e mais penoso, é que, após o combate, ficam numa desolação de dúvidas cruéis, sensações desagradáveis e um mal-estar de verdadeira agonia. Os lírios mais formosos são os que florescem entre espinhos. Assim a bela virtude. Nesta vida mortal, até os maiores santos padeceram terríveis assaltos do Demônio e da Impureza. Deus quer a virtude provada e bem polida, como pedra rara ou como ouro, no crisol das tentações. Não vos inquieteis demasiadamente, almas piedosas, com o horror das tentações impuras. Continue reading

Quero, sê Limpo!

Meditação para o Dia 02 de Junho

“E aconteceu que, estando em uma daquelas cidades, eis que um homem, cheio de lepra, vendo a Jesus, veio para Ele e, lançando-se com o rosto em terra, adorava-O suplicando-Lhe, e posto de joelhos, rogou-Lhe, dizendo: Senhor, se queres, bem me podes limpar. Jesus, compadecido dele, estendeu a sua Mão e, tocando-o disse: Quero, sê limpo. E, tendo dito isso, desapareceu dele a lepra e ficou limpo.” (1)

Continue reading

« Older posts

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑