Tag: promessa

Do segundo fruto da sexta palavra

Capítulo 26: Do segundo fruto da sexta palavra
Pode colher-se outro fruto da segunda explicação da palavra de Cristo: “Tudo está consumado”, pois dissemos com São João Crisóstomo que se concluiu com a morte de Cristo a sua trabalhosa peregrinação que não pode negar-se que foi excessivamente custosa, mas que também foi recompensada pelo pouco tempo da sua duração e pela glória e honra que dela lhe resultou. Foi de trinta e três anos: que é, porém o trabalho de trinta e três anos comparado com o descanso da eternidade. Sofreu o Senhor fome, sede, muitas dores e injúrias sem número, pancadas, ferimentos e até a morte, mas agora bebe torrentes de prazer, de prazer interminável. Humilhou-Se, é verdade, tornado o opróbrio dos homens, rebotalho da plebe (Sl 21) por pouco tempo. Deus, porém exaltou-O, e deu-Lhe um nome como não há outro; pois ao nome de Jesus dobrasse todo o joelho no Céu, na Terra, e no inferno (Fl 2). Continue reading

“Vós, irmãos, como Isaac, sois filhos da Promessa!”

Dom Henrique Soares da Costa

Meditação XXVI – sexta-feira da IV semana da Quaresma

Por Dom Henrique Soares da Costa

Reze o Salmo 118/119, 33-40:

33Ensina-me, SENHOR, o caminho das tuas leis
e eu hei-de cumpri-las com fidelidade.
34Dá-me entendimento para cumprir a tua lei;
hei-de obedecer-lhe de todo o coração.
35Conduz-me pela senda dos teus mandamentos,
porque neles estão as minhas delícias.
36Inclina o meu coração para as tuas ordens,
e não para a cobiça.
37Desvia os meus olhos dos deuses vãos;
faz-me viver nos teus caminhos.
38Confirma ao teu servo a tua promessa
destinada aos que te obedecem.
39Afasta de mim a afronta, que eu temo,
pois são agradáveis os teus decretos.
40Vê como tenho desejado os teus preceitos;
faz-me viver segundo a tua justiça.

Leitura da Epístola de São Paulo aos Gálatas 4, 21-31:

21Dizei-me, vós que quereis estar sob o domínio da Lei: afinal não dais ouvidos à Lei? 22Com efeito, está escrito que Abraão teve dois filhos: um da escrava e outro da mulher livre. 23Mas, enquanto o da escrava foi gerado segundo a carne, o da mulher livre foi gerado por causa da promessa.

24Isto está dito em alegoria; pois elas representam duas alianças: uma, a do monte Sinai, foi a que gerou para a escravidão; essa é Agar. 25Ora, Agar é o nome dado, na Arábia, ao monte Sinai, e corresponde à Jerusalém actual, já que se encontra sob a escravidão, juntamente com os seus filhos. 26Mas a Jerusalém do alto é livre; essa é a nossa mãe, 27pois está escrito:

Alegra-te, ó estéril, que não dás à luz;
rejubila e grita, tu que não sentes as dores de parto;
pois são muitos os filhos da abandonada,
mais do que os daquela que tem marido!
28E vós, irmãos, à semelhança de Isaac, sois filhos da promessa. 29Só que, como então o que foi gerado segundo a carne perseguia o que o foi segundo o Espírito, assim também agora. 30Mas que diz a Escritura?

Expulsa a escrava e o seu filho, porque o filho da escrava não poderá herdar juntamente com o filho da mulher livre. 31Por isso, irmãos, não somos filhos da escrava, mas da mulher livre.

Continue reading

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑