Tag: pecados (page 1 of 6)

Sobre a Presunção

Meditação para o Décimo Quarto Sábado depois de Pentecostes. Sobre a Presunção

Meditação para o Décimo Quarto Sábado depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre outro vício oposto à humildade, que é a presunção; e veremos:

1.° Quanto este vício é indigno de uma alma cristã;

2.° De quantos modos nos tornamos presunçosos.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos abismarmos diante de Deus no sentimento das nossas misérias, e de repelirmos toda a complacência no bom conceito, que fôssemos tentados a formar de nós mesmos;

2.° Confiarmos só em Deus, e de desconfiarmos de nós até evitar as menores ocasiões do pecado.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Espírito Santo:

“Quanto maior sois, tanto mais vos deveis humilhar em todas coisas” – Quanto magnus es, humillia te in omnibus (Ecl 3, 20)

Continue reading

Maneira de fazer o Exame de Consciência

Meditação para a Quinta-feira da Primeira Semana da Quaresma. Maneira de fazer o Exame de Consciência

Meditação para a Quinta-feira da Primeira Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos na maneira de fazer o exame de consciência, e veremos:

1.° Os caracteres deste exame;

2.° Os atos que devem acompanhá-lo.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De observarmos no nosso exame as regras indicadas pelos santos;

2.º De o fazermos com uma sincera dor das nossas culpas e com um firme propósito de emenda.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do santo rei Ezequias:

“Repassarei diante de vós pela memória toda a minha vida com amargura da minha alma” – Recogitabo tibi omnes annos meos in amaritudine animae meae (Is 28, 15)

Continue reading

Sermão sobre o Amor pelos Prazeres

Sermão sobre o Amor pelos Prazeres

Sermão para o 3º Domingo da Quaresma

SUMÁRIO

Exordio. — A história do Filho pródigo é um quadro da vida humana e uma perfeita imagem das graças da penitência.

Proposição e divisão.1.° Os prazeres são mananciais de dores; 2.° As dores são mananciais de prazeres.

1.º Ponto. Como sucedeu com o pródigo, os cristãos que se entregam aos prazeres caem, pelo próprio excesso desses prazeres, num abismo de dores; e o corpo e a alma desses infelizes são vítimas de perniciosos efeitos; são como que escravos de si mesmos.

2.º Ponto. A semelhança do pródigo, podem por meio da dor, estar na posse tranquila duma perfeita alegria. As tristezas da Penitência são salutares, e são fecundas em consolações e alegrias.

Peroração. O homem desprendido dos prazeres não achará a morte inexorável, nem cruel.

Homo quidam habuit duos filios, et dixit adolescentior ex illis patri: Pater, da mihi portionem substantiœ quœ me contingit.

Um homem tinha dois filhos, e o mais novo disse um dia ao pai: Meu pai, dê-me a parte da herança que me cabe.

Continue reading

Consideração das Misérias Humanas

Meditação para o Dia 05 de Agosto

Segundo a Imitação de Cristo, Cap. XXII

“Miserável serás onde quer que estejas e para onde quer que te voltes, se não te converteres a Deus. Por que te afliges se te não sucede o que queres e desejas? Quem é que tem todas as coisas à medida dos seus desejos? Por certo, nem eu, nem tu, nem homem algum sobre a terra. Ninguém vive no mundo sem alguma tribulação ou angústia, ainda que seja rei ou papa. Continue reading

Como Vencer os Maus Hábitos

Capítulo 54. Como Vencer os Maus Hábitos - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
«TENHO mau gênio», ou «bebo demais», «estou sempre a criticar» ou «sou preguiçoso», são queixas familiares a quantos acreditam ainda que a nobreza de caráter é um objetivo importante. Não fariam tais afirmações se não tivessem um forte desejo de romper a cadeia dos hábitos maus. E podem realizar este desejo, porque todo o hábito mau pode ser suprimido. Mas para se libertar dele, requerem-se quatro coisas: Continue reading

Em Deus está a nossa Conservação

Capítulo 33. Em Deus está a nossa Conservação - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
SE a nossa vontade se puser do lado de Deus, nunca poderemos desanimar, porque o lado que escolhemos, está sempre vitorioso e nunca é ludibriado. Em Deus está a conservação, no mal a ruína. A realidade das coisas encontra-se sempre do lado de Deus.

O mal é, necessariamente, instável, porque vai contra a natureza das coisas segundo foram criadas. Todas as leis da natureza humana nos impulsionam para o nosso destino específico tanto de santidade como de saúde. Se cuidarmos, devidamente, do nosso corpo, obedecendo às regras da saúde, seremos saudáveis; se violarmos essas leis, a nossa revolta trará a doença, e poucos tomariam o devido cuidado consigo, se a violação das leis da saúde não trouxesse algum castigo, como aviso. Continue reading

“Quo Vadis?”

Meditação para o Dia 05 de Julho

Contam as tradições de Roma que São Pedro fugia, medroso, da perseguição de Nero quando encontrou Jesus no caminho, com a cruz às costas.

“Para onde vais, meu Senhor?”, pergunta o apóstolo. “Para Roma, diz Jesus, e para ser de novo crucificado”

Pedro compreendeu a lição. Voltou e sujeitou-se corajosamente ao martírio. Jesus continua ainda a sofrer. E até o fim dos séculos há de carregar, em seus ombros feridos, o peso enorme de nossos pecados. Continue reading

Egoísmo

Capítulo 3. Egoísmo - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
O EGOÍSMO é uma mentira em ação: supõe que os caprichos, paixões e desejos instintivos têm precedência sobre a lei moral, a fraternidade dos outros seres humanos e a vontade do próprio Deus. O egoísta é como um pêndulo que pugna pelos seus direitos contra os do relógio ou como uma nuvem em rebelião contra o céu, ou como um braço, que teima ignorar o corpo de que faz parte. Fazendo apenas o que os seus desejos interesseiros reclamam, o egoísta acaba por odiar tudo o que faz. É como uma criança da escola progressiva, que se lamenta:

«Mas tenho de fazer sempre aquilo que quero?»

Continue reading

Direito de Confiar

Meditação para o Dia 23 de Maio

O Profeta Davi cantou ao Senhor:

Propilieris peccato meo, mullum est enim – “Usarás de indulgência para com meu pecado,pois ele é grande”

Pois não deveria dizer ele o contrário? Observa um comentador das Escrituras. Se é grande o pecado, como há de ser isso motivo de perdão? Mas é que a Misericórdia se exercita e brilha tanto mais, quanto maior for a miséria. A minha miséria me confere um direito, e direito sagrado: o de confiar na Misericórdia. Continue reading

A Inquietação

Parte IV
Capítulo XI

A inquietação não é simplesmente uma tentação, mas uma fonte de muitas tentações; por isso é necessário que diga algumas palavras sobre este assunto.

A tristeza não é mais do que o pesar que sentimos de algum mal de que somos vítima, — seja ele exterior, como a pobreza, doenças, o desprezo; ou então interior, como a ignorância, securas espirituais, repugnâncias ao bem, tentações.

A alma, pois, ao sentir-se em vista de algum mal, sente desgosto nisso e eis aí a tristeza. O desejo de livrar-se dessc mal e de ter os meios necessários para isso a segue imediatamente; até aqui é razoável o nosso procedimento, porque todos fogem, por n atureza, do mal e desej a m o bem. Continue reading

« Older posts

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑