Tag: coragem

O Consolador

Meditação para o Dia 12 de Novembro

“Nosso Senhor Jesus Cristo – escreve o piedoso autor das Palhetas de ouro, – para nossa consolação, quis experimentar as amarguras que causa ao coração humano a perda daqueles a quem ama. Lázaro era apenas seu amigo, conforme diz Mpns. de Segur, e, todavia, Jesus, que ia ressuscitá-lo, quis sofrer, para santificá-las, as dolorosas emoções da separação. Quis chorar”

Nada santifica mais do que as lágrimas, quando elas são vivificadas pelo amor Divino. Como nos é dolorosa a morte das pessoas que amamos! Continue reading

Tome a sua Cruz e Me Siga

Meditação para o Dia 24 de Julho

Somos chamados a subir o Gólgota, acompanhando o Mestre.

“Tome a sua cruz e me siga!”

Felizes os que ouviram o convite honroso de Nosso Senhor e se alistaram entre as almas generosas e reparadoras, sempre fiéis em seguir o Esposo no caminho do Calvário. Conta-se que o Pe. João d’Ávila, santo homem de Deus, ilustre filho da Companhia de Jesus, hesitava um dia em prosseguir uma caminhada difícil para assistir ao Santo Sacrifício da Missa. E, fatigado e enfermo, já ia voltar, quando lhe apareceu Nosso Senhor e, mostrando-lhe a chaga do Coração disse:

“A fadiga, o sofrimento, meu filho, não me impediram de chegar ao alto do Calvário!”

Continue reading

Dois belos exemplos sobre este assunto

Parte IV
Capítulo IV

É tão importante, Filotéia, que compreendas bem este ponto, que de bom grado vou explicá-lo um pouco mais. O mancebo citado por São Jerônimo achava-se deitado num leito muito macio, preso por cordões de seda e foi tentado por todos os modos imagináveis por uma mulher impúdica, da qual se serviram para abalar a sua constância; quanto devem ter sofrido os seus sentidos e a sua imaginação! Entretanto, no meio de tantas e tão horríveis tentações, ele testemunhava que seu coração não estava vencido e sua vontade não consentia de modo algum; pois sua alma, vendo tudo revoltado contra ela e até de seu corpo não tendo nenhuma parte a sua disposição, exceto a língua, ele a cortou com os dentes e a lançou no rosto daquela mulher vil, que lhe era mais cruel que os mais furiosos carrascos; inutilmente pensara o tirano vencer pelos prazeres esta alma nobre, que não pode vencer pelos tormentos. Continue reading

Tentações

Meditação para o Dia 29 de Março

Entre as provações das almas generosas, as tentações são das mais duras, constituindo verdadeiro martírio. Elas são variadas e terríveis. E mais hoje do que em tempo algum. Tentações contra a fé, produzidas pelo demônio ou sugeridos pela atmosfera materialista que nos cerca, tentações contra a esperança, tentações de desânimo. Tentações contra a caridade. Que luta, meu Deus! O Inferno parece, às vezes, todo contra nós!… Dolorosas provas! Como vencê-las? Quando a veemência da tentação nos assalta, é imperiosa, domina-nos, fazendo-nos sentir como que abandonados do Céu! Continue reading

É preciso dotar-nos de Coragem

Parte IV
Capítulo II

Por mais bela e suave que seja a luz, ela nos deslumbra os olhos, se estivermos muito tempo na escuridão; e, por mais honestos e amáveis que sejam os habitantes dum lugar em que se é estranho, não se deixa de estar no começo um pouco embaraçado. Poderá, pois, acontecer, Filotéia, que esta grande separação das loucas vaidades do mundo e esta mudança de vida choquem o teu coração com um certo ressentimento de tristeza. Mas tem um pouco de paciência, eu te peço; tudo isso não é nada e passará com o tempo; foi a novidade que causou um pouco de admiração; espera e bem depressa voltarão as consolações. Tens saudades talvez da glória dos aplausos que os loucos motejadores do mundo davam as tuas vaidades; mas, ó meu Deus, queres perder a glória com que o Deus da verdade te coroará eternamente? Continue reading

O Repouso no Céu

Meditação para o Dia 03 de Janeiro

A vida é para a luta. No Céu é que há repouso. Aqui somos soldados em combate, só podendo descansar depois de alcançada a vitória. Nada de covardia nem de desânimo! É preciso que a morte nos venha encontrar com as armas na mão. A nossa peleja é pela conquista do Céu, onde encontraremos o repouso eterno, esse mesmo repouso que imploramos na prece pelos nossos defuntos quando dizemos:

“Dai-lhes, Senhor, o descanso eterno”

O sofrimento é o nosso purgatório na terra. Dura pouco, pois tudo passa depressa no mundo. Continue reading

Jesus, condenado à morte, leva a sua cruz ao Calvário

Capítulo XXVI

Et bajulans sibi crucem, exivi in eum qui dicitur Calvariae locum – “E tomando a sua cruz, caminhou para o lugar chamado Calvário” (Jo 19, 17)

Depois da flagelação de nosso Senhor, vendo-o Pilatos reduzido a um estado tão digno de compaixão, julgou apaziguaria os seus inimigos com lh’o mostrar somente. Conduziu-o pois a uma espécie de balcão, e mostrando-os aos judeus, lhes disse:

“Eis o homem!”

O povo emudeceu, e começava talvez a ganhar a compaixão, mas os príncipes dos sacerdotes e seus ministros bradaram, ao vê-lo:

“Crucifica-o, crucifica-o!”

Pilatos caído da sua esperança diz-lhe agrément:

“Pois bem! Tomai-o vós mesmos e crucificai-o; eu não acho nele causa para o condenar”

Os judeus lhe responderam:

“Nós temos uma lei e segundo esta lei deve morrer porque se fez Filho de Deus. .. Demais, se o não condenas à morte, não és amigo de Cesar”

Continue reading

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑