Tag: ações ordinárias

A Reta Intenção

Meditação para a Sexta Sexta-feira depois de Pentecostes. A Reta Intenção

Meditação para a Sexta Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre a terceira condição, que requer a perfeição das nossas ações ordinárias, a saber a reta intenção, com que nos propomos, em tudo o que fazemos, agradar a Deus; e veremos:

1.° A necessidade desta reta intenção;

2.º As suas vantagens.

— Tomaremos a resolução:

1.° De, em todas as coisas firmarmos bem a nossa intenção na vontade de Deus, e de adotarmos essa vontade com amor e alegria;

2.° De rejeitarmos constantemente qualquer outra intenção, que quisesse envolver-se nos nossos atos.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de São Paulo:

“Tudo quanto quer que fizerdes seja de palavra ou de obra, fazei tudo isso em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, dando por Ele graças a Deus Pai” – Omne quodcumque facitis in verbo aut in opere, omnia in nomini Domini nostri Jesu Christi, gratias agentes Deo et Patri per ipsum (Col 3, 17)

Continue reading

Modo de fazer bem as Ações Ordinárias

Meditação para a Sexta Quinta-feira depois de Pentecostes. Modo de fazer bem as Ações Ordinárias

Meditação para a Sexta Quinta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre a maneira de fazer bem as nossas ações ordinárias e veremos que devemos fazê-las:

1.° Em estado de graça e com uma contínua aplicação em fazê-l as bem;

2.° Com exatidão e fervor.

— Tomaremos a resolução:

1.° De nos conservarmos constantemente em estado de graça;

2.° De fazermos cada uma das nossas ações com exatidão e fervor, ou com grande desejo de as fazer bem.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra da Imitação:

“Ocupai-vos loio no que fazeis” – Age quodi agis

Continue reading

A Perfeição das Ações Ordinárias

Meditação para a Sexta Quarta-feira depois de Pentecostes. A Perfeição das Ações Ordinárias

Meditação para a Sexta Quarta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Depois de termos meditado os primeiros princípios da vida cristã, meditaremos agora a mesma vida cristã; e veremos:

1.° Que a perfeição das nossas ações ordinárias constitui a essência da vida cristã;

2.° Que nada há mais consolador do que esta doutrina.

— Tomaremos a resolução:

1.º De cuidarmos em fazer bem cada coisa desde manhã até à noite, sem desprezar nenhuma;

2.° De nos resguardarmos da ilusão dos que vão buscar a santidade em outra parte.

Conservaremos como ramalhete espiritual a palavra, que o povo dizia de Nosso Senhor:

“Ele tudo tem feito bem” – Bene omnia fecit (Mc 7, 37)

Continue reading

© 2021 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑