Meditação para o Dia 28 de Junho

“Ditas estas palavras, olhou para trás e viu a Jesus em pé, sem saber que era Jesus. Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras?” (1)

Maria viu Jesus e não O reconheceu. Continua a chorar. E a voz consoladora pergunta:

“Mulher, por que choras?”

Depois, que alegria! Maria!

– “Rabboni!”

Uma só palavra e se dissipam as trevas, abre-se o coração da pecadora arrependida.

Em certas provações da vida espiritual, Jesus se oculta ou fica desconhecido a certas almas que Lhe choram a ausência aparente. Tão perto de Jesus, falando e tratando com Ele no Sacrário, na Comunhão, e não O reconhecem, não O sentem! É um martírio! Só quem ama O pode compreender! Tratar com Jesus e não O reconhecer, adorá-Lo na Eucaristia, no Sacrário, no Altar, na Mesa Santa, e tudo no suplício de uma aridez, de uma frieza, de uma indiferença aterradora! Como não há de chorar a pobre alma? Como Madalena, ela interroga a quem encontra nos caminhos:

“Onde O puseram?”

Como a Esposa dos Cantares suspira, desolada, pelo seu Amado. Esperai com paciência, almas escolhidas. Logo virá o Amado, e O vereis, e em transportes do Amor O reconhecereis.

–Maria! – “Rabboni!” Esperai! Por que chorais?

Referências:
(1) São Mateus 28,5-7; São Marcos 16,5-7; São Lucas, 24,5-6

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 195)