Amados irmãos e irmãs em Cristo, Salve Maria!

Apresento-lhes um livrinho bem piedoso de um frade Franciscano, no qual muito colaborou para a Santa Igreja em terras brasileiras no período de 1876 – 1952, trata-se do Frei Pedro Sinzig OFM e seu livro Meditações Diárias para todos os Dias do Ano. Um livro de Espiritualidade com breves reflexões sem deixar de lado a profundidade dos temas. Espero que lhes seja muito útil tais reflexões para mergulharmos num diálogo mais íntimo com Deus e para autoconhecimento.

Como de praxe, vou atualizando esta página conforme as meditações forem publicadas.
Portanto, fiquem atentos ao Sumário abaixo.

Duas Palavras

– Eu meditar?!

– E por que não? Meditar é conversar com Deus, é refletir sobre as verdades da Santa Religião, é conhecer-se mais a si mesmo, é tomar boas resoluções, é antecipar a ocupação celestial, e isto te poderá ser alheio?

– Mas é costume só de clérigos e religiosos.

– De fato, é costume, porque os sacerdotes e os religiosos prezam realmente a garantia de sua salvação eterna e seu progresso espiritual. Se, porém, eles, afastados dos perigos do mundo, julgam necessária a meditação, quanto mais indispensável se torna ela aos seculares, tão expostos ao esquecimento dos deveres cristãos!

– Mas não é uso fazer meditações.

– Sim, não é uso geral. Quem estranhará isto? Não disse Jesus: “Muitos são chamados, mas poucos serão escolhidos”? Quem seguir as máximas e os costumes do mundo, verá um dia, com grande susto, que não caminhou no trilho estreito que leva ao céu, e sim na estrada larga que desemboca na eterna perdição.

– A meditação parece coisa dispensável.

– Pelo contrário. O céu não é fruto que por si caia na boca de quem o quer. para empregar séria e constantemente os meios de salvação da alma, é preciso muita e muita reflexão, que faça compenetrar-se da indiscutível verdade: Só uma coisa é necessária!

– Ainda que quisesse meditar, falta-me tempo.

– É sério? Deus acaso foi injusto contigo, não te concedendo o tempo para te salvares? Oxalá que francamente confessasses que só para a meditação e outras obras de piedade te falta tempo; que este não falta para o descanso, o recreio, a diversão, a satisfação da própria vontade e, às vezes, o pecado. Ninguém te pede negligenciar trabalhos e obrigações; antes, a meditação, ainda que feita só por minutos, te fará ser mais pontual no cumprimento de todos os deveres.

– Mas não posso; falta-me a prática, ocorrem-me mil distrações.

– Deus exigirá de ti o que não podes? Ao filho amoroso não custa pensar no pai, e tu serias incapaz de conversar com Deus? Pensar em seus benefícios, na encarnação, vida e morte de Jesus? Nos últimos momentos que te esperam: morte, juízo, inferno ou céu? – Não te assustem as distrações. O demônio não se oporia ao que te traz vantagens inestimáveis?… Para que Deus te ajude e conforma-te com sua santa vontade, quer te deixe saborear as doçuras de sua presença, quer te prove por aparente desamparo.

– E como poderei meditar?

– Se não preferes outro método, poderá servir-te o seguinte:

1. A Preparação

a) Põe-te vivamente na presença de Deus, teu Criador e Pai, Salvador e Juiz.
b) Invoca com humildade e fervor o Espírito Santo.
c) Faze atentamente a respectiva leitura.

2. A Meditação

a) Procura afundar-te nas verdades apresentadas, conhece o que te falta, e compara o seu proceder com o de Jesus e dos Santos.
b) Afetos salutares serão a consequência natural do precedente exercício; arrepende-te do passado, aspira a esta ou àquela virtude, aumenta o justificado receio do inferno, o desejo do céu e a confiança na divina misericórdia. É útil te demorares nesses afetos.
c) Faze poucos, mas bem determinados propósitos.

3. A Conclusão

a) Agradece a Deus, que se dignou falar a teu coração.
b) Oferece-lhe tua vida, corpo e alma.
c) Pede seu auxílio para executares os propósitos e implora a intercessão de Nossa Senhora, do Anjo da Guarda e dos Santos.

– Achas difícil tudo isto? Experimenta; a prática te ensinará. Um ignorante, dotado de boa vontade, conseguirá fazer meditações mais úteis do que os instruídos que em si mesmos confiarem.

Medita, e viverás!

As meditações deste livrinho não são todas minhas. Servi-me, entre outras, das meditações de Nicoláu Avancino, S. J., de M. Hamon e dos “Gedanken und Ratschlaege” de A. Doss., S. J., dando-lhes a forma que julguei conveniente adotar. Esforcei-me para reunir nas poucas linhas de cada meditação os pensamentos precisos para que não falte assunto a uma reflexão de 20 – 30 minutos e que a mesma meditação convenientemente desenvolvida, possa servir também para singelas práticas.

Faço votos para que este modesto opúsculo não seja de todo inútil, até que por outros, mais competentes que eu, forem publicadas meditações que mais correspondem à beleza e grandeza de nossa Santa Religião.

Sumário

Meditações para o Mês de Janeiro

1 de Janeiro. Circuncisão do Senhor. Bons anos!

2 de Janeiro. O Nome mais Santo

3 de Janeiro. Tudo em nome de Jesus

4 de Janeiro. O amor quer sofrer

5 de Janeiro. Jesus, o Salvador

6 de Janeiro. Festa dos Magos do Oriente

7 de Janeiro. Dá a Deus e receberás o cêntuplo

8 de Janeiro. “Senhor, fortificai a minha fé”

9 de Janeiro. Sofrer por Deus é a moeda aceita no céu

10 de Janeiro. Zelo d’almas

11 de Janeiro. Só em Deus há Felicidade

12 de Janeiro. Tudo por Maria

13 de Janeiro. “Senhor, fortificai a minha fé”

14 de Janeiro. O Caminho da Cruz e da Obediência

15 de Janeiro. Deus castiga a quem ama

16 de Janeiro. O Menino Deus ensinando

17 de Janeiro. A época da graça e do amor

18 de Janeiro. Bem-aventurados os Humildes

19 de Janeiro. Sempre Humilde

20 de Janeiro. Jesus Pobre

21 de Janeiro. Jesus Obediente

22 de Janeiro. Reza Sempre

23 de Janeiro. Deus dá audiência a quem Reza

24 de Janeiro. Conversa com teu Deus

25 de Janeiro. O Mistério da Redenção

26 de Janeiro. Jesus sofrendo em teu lugar

27 de Janeiro. O Mistério do Amor Divino

28 de Janeiro. Segue a Jesus

29 de Janeiro. Valor do tempo

30 de Janeiro. Fazes bom uso do tempo?

31 de Janeiro. Não te limites ao necessário

Meditações para o Mês de Fevereiro

1 de Fevereiro. Humildade e felicidade de Maria

2 de Fevereiro. Purificação de Nossa Senhora

3 de Fevereiro. Sê Santo!

4 de Fevereiro. Feliz só em Deus

5 de Fevereiro. Salvar-te-ás?

6 de Fevereiro. Sofre por amor a Deus

7 de Fevereiro. Persevera no bem

8 de Fevereiro. Amas a Deus?

9 de Fevereiro. De quem é teu coração?

10 de Fevereiro. Visitas a Jesus?

11 de Fevereiro. Aparição de Nossa Senhora de Lourdes

12 de Fevereiro. Gostas de estar com Deus?

13 de Fevereiro. O que fazes para não perder a Jesus?

14 de Fevereiro. Onde se encontra a Deus?

15 de Fevereiro. Continuas a estar com Deus?

16 de Fevereiro. Prefere o serviço de Deus a tudo

17 de Fevereiro. Jesus em Nazaré

18 de Fevereiro. Jesus Obedecendo

19 de Fevereiro. Jesus, Manso e Humilde de Coração

20 de Fevereiro. Deus Justo – Deus Misericordioso

21 de Fevereiro. O Inocente é odiado

22 de Fevereiro. A Vítima Divina

23 de Fevereiro. Jesus vai Sofrer

24 de Fevereiro. Jesus, Rei Divino

25 de Fevereiro. A Inveja

26 de Fevereiro. Jesus Chorando

27 de Fevereiro. Cai um apóstolo!

28 de Fevereiro. A Traição

29 de Fevereiro. Jesus te ama

Meditações para o Mês de Março

1 de Março. A última Páscoa

2 de Março. Lava-pés por Jesus

3 de Março. A Traição

4 de Março. A primeira Comunhão indigna

5 de Março. Sê Humilde

6 de Março. Ventura infinita: amor a Deus!

7 de Março. O amor ao próximo

8 de Março. Zelo pela salvação das almas

9 de Março. Por sofrimentos passageiros

10 de Março. Feliz quem sofre por Deus!

11 de Março. De Jerusalém a Getsemani

12 de Março. A fraqueza humana

13 de Março. Jesus triste até à morte

14 de Março. Santa resignação

15 de Março. Jesus em agonia por ti

16 de Março. Conforto para novos sofrimentos

17 de Março. Vigilância e Oração

18 de Março. Cristo entregue por um apóstolo!

19 de Março. Festa de São José

20 de Março. O Beijo de Judas

21 de Março. “Mete a tua espada na bainha”

22 de Março. Jesus preso e desamparado

23 de Março. Malícia humana

24 de Março. Jesus esbofeteado

25 de Março. Anunciação de Nossa Senhora

26 de Março. Jesus Inocente e Calado

27 de Março. Hipocrisia humana

28 de Março. O pobre Jesus

29 de Março. São Pedro do lado dos inimigos

30 de Março. Ódio Incansável

31 de Março. Jesus julgado, achado sem crime

Meditações para o Mês de Abril

1 de Abril. Paciência e Humildade de Jesus

2 de Abril. Um assassino preferido a Jesus!

3 de Abril. Jesus condenado por seus filhos

4 de Abril. Jesus é açoitado

5 de Abril. Jesus é coroado de espinhos

6 de Abril. Jesus não tem quem o defenda

7 de Abril. Bondade Divina – Malícia Humana

8 de Abril. A Via Dolorosa

9 de Abril. Jesus Crucificado

10 de Abril. Jesus Perdoando

11 de Abril. Eis tua Mãe

12 de Abril. Desamparado na Cruz e com Sede

13 de Abril. Tudo Consumado

Quinta-feira Santa. O Sacramento do amor

Sexta-feira Santa. Morte do Filho de Deus

Sábado de Aleluia. Maria sem seu Filho

Domingo da Ressurreição. Aleluia! Jesus vive!

18 de Abril. Confiança e Fervor

19 de Abril. As Mulheres no Sepulcro

20 de Abril. Ressurge com teu Jesus

21 de Abril. Respeito e Obediência às Autoridades

22 de Abril. São Pedro e São João indo ao Sepulcro

23 de Abril. Perdoa a todos e sê Fiel

24 de Abril. Amor Respeitoso e sincero de Madalena

25 de Abril. Madalena no Sepulcro

26 de Abril. Bondade de Jesus Ressuscitado

27 de Abril. Preparação à vinda de Jesus

28 de Abril. O Sacerdote – Teu Benfeitor

29 de Abril. Jesus e Tomé

30 de Abril. Obediência e Pureza

Meditações para o Mês de Maio

1 de Maio. Que farás por Maria neste Maio?

2 de Maio. Ama ardentemente teu Deus

3 de Maio. “Senhor, Tu sabes que Te amo”

4 de Maio. Jesus está contigo

5 de Maio. Criado por Deus e para Deus

6 de Maio. Tua Alma – que Tesouro!

7 de Maio. Da Salvação da Alma

8 de Maio. Onde achar a Felicidade?

9 de Maio. Pecar é romper com Deus

10 de Maio. O que é o Pecado?

11 de Maio. Consequências do Pecado

12 de Maio. O Pecado – um nada?

13 de Maio. Deus morre para satisfazer pelo pecado

14 de Maio. És Rico ou Pobre aos Olhos de Deus?

15 de Maio. O Inferno

16 de Maio. A eternidade do Inferno

17 de Maio. Nada de desculpas de Tibieza

18 de Maio. Não Adiar a Conversão

19 de Maio. Sursum Corda!

20 de Maio. A Morte

21 de Maio. Na Hora da Morte

22 de Maio. O Juízo Particular

23 de Maio. A Misericórdia de Deus

24 de Maio. Bondade de Deus

25 de Maio. Amor sem Limite

Dia da Ascensão de Jesus Cristo

27 de Maio. Morte Feliz

28 de Maio. Sorte Feliz do Penitente

29 de Maio. Gozos Eternos

30 de Maio. Gozo sem Fim

31 de Maio. Fim do mês Mariano

Meditações para o Mês de Junho

1 de Junho. O Mês do Sagrado Coração

2 de Junho. A Oração

3 de Junho. Deves Rezar Muito

Vigília do Espírito Santo

Festa do Espírito Santo

6 de Junho. Pede a vinda do Espírito Santo

7 de Junho. O Dom do Entendimento e da Ciência

8 de Junho. O Dom do Conselho e da Sabedoria

9 de Junho. O Dom da Piedade

10 de Junho. Temor de Deus e Fortaleza

11 de Junho. Os Primeiros Cristãos

Festa da Santíssima Trindade

13 de Junho. Santo Antônio

14 de Junho. Jesus no Santíssimo Sacramento

15 de Junho. Mistério de Milagres

Festa do Corpo de Deus

17 de Junho. A Transformação de tua Alma

18 de Junho. A Preparação à Santa Comunhão

19 de Junho. Sê fiel em tudo

20 de Junho. Sofrer por Deus

21 de Junho. Festa de São Luís Gonzaga

22 de Junho. Felizes e Castos

23 de Junho. Sê Casto

24 de Junho. Festa de São João Batista

25 de Junho. Deus te Vê

26 de Junho. Deus te Vê… Sempre!

27 de Junho. Sê Modesto… Por Deus

28 de Junho. A Modéstia – Grande Meio de Aperfeiçoamento

29 de Junho. Festa de São Pedro

30 de Junho. Festa de São Paulo

Meditações para o Mês de Julho

1 de Julho. Máximas de Cristo e do Mundo

2 de Julho. Visitação de Nossa Senhora a Santa Isabel

3 de Julho. Conheces-te a Ti Mesmo

4 de Julho. Cegueira Espiritual

5 de Julho. Energia e Força de Vontade

6 de Julho. Qual tua Má Inclinação Predominante?

7 de Julho. Que valem os Bens da Terra?

8 de Julho. O Amor Próprio Excessivo

9 de Julho. Amas-te?

10 de Julho. És Vaidoso? Por que?

11 de Julho. Ambição e Orgulho

12 de Julho. A Inveja

13 de Julho. A Ociosidade

14 de Julho. Os Gozos do Mundo

15 de Julho. A Impureza

16 de Julho. Consequências da Impureza

17 de Julho. A Mentira

18 de Julho. Faltas de Caridade

19 de Julho. São Vicente de Paulo

20 de Julho. Palco e Vida

21 de Julho. O Respeito Humano

22 de Julho. Prejuízos causados pelo Respeito Humano

23 de Julho. Pecado e Conversão

24 de Julho. Como Proceder na Tentação

25 de Julho. O Pecado Venial

26 de Julho. Malícia e Consequências do Pecado Venial

27 de Julho. De Mal a Pior

28 de Julho. Rezas Muito e Bem?

29 de Julho. A Virtude Cristã

30 de Julho. Querer Seriamente

31 de Julho. Festa de Santo Inácio de Loyola

Meditações para o Mês de Agosto

1 de Agosto. As Indulgências

2 de Agosto. A Indulgência da Porciúncula

3 de Agosto. A Fé Viva

4 de Agosto. Festa de São Domingos

5 de Agosto. Piedade Verdadeira

6 de Agosto. Transfiguração de Jesus

7 de Agosto. Normas para o Amor do Próximo

8 de Agosto. Amar por Deus e em Deus

9 de Agosto. Obedecer por Amor de Deus

10 de Agosto. Sê Manso como Jesus

11 de Agosto. Perdoa!

12 de Agosto. Perdoa sem Reservas

13 de Agosto. Vida Ativa

14 de Agosto. A Santa Pureza

15 de Agosto. Assunção de Nossa Senhora

16 de Agosto. Sê Humilde

17 de Agosto. Vantagens da Humildade

18 de Agosto. Perfeito nas Coisas Pequenas

19 de Agosto. Vantagens da Boa Intenção

20 de Agosto. Santa Manhã – Santa Noite

21 de Agosto. A Missa Quotidiana

22 de Agosto. Valor da Santa Missa

23 de Agosto. A Casa de Deus

24 de Agosto. O Anjo da Guarda

25 de Agosto. Na Encruzilhada

26 de Agosto. Perto ou Longe de Jesus?

27 de Agosto. A Dignidade Sacerdotal

28 de Agosto. Posso ser Santo!

29 de Agosto. Como poderei ser Santo?

30 de Agosto. Festa de Santa Rosa de Lima

31 de Agosto. A Voz de Deus

Meditações para o Mês de Setembro

1 de Setembro. Médico e Condutor

2 de Setembro. Como Deus te Ama

3 de Setembro. Deus Sabe de Ti

4 de Setembro. Como Rezar

5 de Setembro. Deus no Coração

6 de Setembro. A Mortificação

7 de Setembro. O Bom Sofrimento

8 de Setembro. Natividade de Nossa Senhora

9 de Setembro. Ser Apóstolo

10 de Setembro. Jesus é Batizado

11 de Setembro. Jesus vai ao Deserto e é Tentado

12 de Setembro. Jesus é Tentado

13 de Setembro. Virtudes de São João Batista

14 de Setembro. Aproveitas as Graças de Deus?

15 de Setembro. Jesus te Chamou a Segui-lO

16 de Setembro. Jesus e Maria num Casamento

17 de Setembro. Dois Templos

18 de Setembro. Conversão de Nicodemos

19 de Setembro. A Inveja

20 de Setembro. Jesus e a Samaritana

21 de Setembro. Jesus e o Régulo

22 de Setembro. A Pesca Milagrosa dos Apóstolos

23 de Setembro. Jesus pôs Preceito à Febre

24 de Setembro. Jesus Manda aos Ventos

25 de Setembro. O Inimigo Infernal

26 de Setembro. A Cura do Paralítico

27 de Setembro. Comentários Injustos

28 de Setembro. Mateus Segue a Jesus

29 de Setembro. A Saúde da Alma

30 de Setembro. Morte duma Menina

Meditações para o Mês de Outubro

1 de Outubro. Novo Mês de Maria

2 de Outubro. Festas dos Anjos de Guarda

3 de Outubro. A Cura do Paralítico

4 de Outubro. Festa de São Francisco de Assis

5 de Outubro. É Bom estar com Jesus

6 de Outubro. Jesus Cura num Sábado

7 de Outubro. Bom Exemplo e Humildade

8 de Outubro. Verdadeira Virtude

9 de Outubro. Salva-te, Custe o que Custar!

10 de Outubro. Como falas com Deus, teu Pai?

11 de Outubro. Salva-te a Ti e a Outros

12 de Outubro. Respeitas e Agradeces a Deus?

13 de Outubro. Pede e Perdoa

14 de Outubro. Recorre a Deus para Te Salvares

15 de Outubro. Festa de Santa Teresa

16 de Outubro. Tesouros Eternos

17 de Outubro. Não Julgues a Ninguém

18 de Outubro. Profetas Falsos

19 de Outubro. Religião Verdadeira

20 de Outubro. Pedido e Cura do Leproso

21 de Outubro. O Centurião pede pelo Criado Enfermo

22 de Outubro. O Jovem de Naim

23 de Outubro. Maria Madalena Procura a Jesus

24 de Outubro. Sem Esforço não há Recompensa

25 de Outubro. Por que não Progrides na Virtude?

26 de Outubro. A Semente entre Espinhos e em Boa Terra

27 de Outubro. A Má Semente

28 de Outubro. A Sorte dos Discípulos de Jesus

29 de Outubro. Jesus Acima de Tudo

30 de Outubro. Gratidão e Amor a Deus

31 de Outubro. São Pedro por Cima das Águas

Meditações para o Mês de Novembro

1 de Novembro. Festa de Todos os Santos

2 de Novembro. Dia de Finados

3 de Novembro. Amizade e Felicidade Eterna

4 de Novembro. A Posse de Deus

5 de Novembro. Fé e Confiança da Cananéia

6 de Novembro. Jesus curando o Surdo-Mudo

7 de Novembro. Bondade de Deus

8 de Novembro. Cura de um Cego fora de Betsaida

9 de Novembro. Renunciar a Si Mesmo

10 de Novembro. A Transfiguração de Jesus

11 de Novembro. Os Apóstolos na Transfiguração de Jesus

12 de Novembro. Refúgio só em Jesus

13 de Novembro. Falta de Fé

14 de Novembro. Jesus pagando Impostos

15 de Novembro. O Maior no Reino do Céu

16 de Novembro. “Perdoai-nos as nossas Dívidas”

17 de Novembro. A Cura de Dez Leprosos

18 de Novembro. A Adúltera

19 de Novembro. Santa Isabel a Turíngia

20 de Novembro. As Ovelhas do Bom Pastor

21 de Novembro. O Sacerdócio na Igreja

22 de Novembro. Jesus em casa de Maria e Marta

23 de Novembro. Os Bens da Terra

24 de Novembro. A Figueira sem Frutos

25 de Novembro. A Prestação de Contas

26 de Novembro. A Cura do Cego de Nascença

27 de Novembro. Rico e Pobre

28 de Novembro. A Recompensa Eterna

29 de Novembro. Jesus Paga Generosamente

30 de Novembro. Ainda é Tempo

Meditações para o Mês de Dezembro

1 de Dezembro. O Mês de Natal

2 de Dezembro. As Dez Virgens

3 de Dezembro. Festa de São Francisco Xavier

4 de Dezembro. Ressurreição e Separação Finais

5 de Dezembro. O Último Juízo

6 de Dezembro. A Bondade de Deus

7 de Dezembro. Maria, nossa Mãe

8 de Dezembro. Festa da Imaculada Conceição

9 de Dezembro. Pureza de Maria

10 de Dezembro. Maria e José

11 de Dezembro. Maria, oásis no Mundo Pervertido

12 de Dezembro. O Mistério da Anunciação

13 de Dezembro. Provações de Maria e de José

14 de Dezembro. Santa Isabel e seu Filho

15 de Dezembro. Humildade e Sofrimento do Filho de Deus

16 de Dezembro. Aprecias a Encarnação de Jesus?

17 de Dezembro. Maria e seu Divino Filho

18 de Dezembro. Festa da Expectação do Nascimento

19 de Dezembro. Jesus Oculto a Todos

20 de Dezembro. Pobreza e Sofrimentos do Redentor

21 de Dezembro. A Viagem a Belém

22 de Dezembro. Repelidos em Belém

23 de Dezembro. Maria e José sem Cômodo Decente

24 de Dezembro. A Noite Santa

25 de Dezembro. Natal

26 de Dezembro. Os Pastores em Belém – Santo Estêvão

27 de Dezembro. Os Pastores Adorando – São João

28 de Dezembro. A Mãe Feliz – Os Santos Inocentes

29 de Dezembro. Pastores e Anjos

30 de Dezembro. Alegrias e Dores de Tua Mãe

31 de Dezembro. Um Ano que lá Vai

Biografia do Frei Pedro Sinzig, O. F. M.

Frei Pedro – assim ele era chamado e conhecido – nasceu na romântica cidadezinha de Linz, às margens do Reno, a 29 de janeiro de 1876. Naturalizou-se brasileiro a 9 de fevereiro de 1898, às vésperas de sua ordenação sacerdotal na Bahia. Pertenceu ao grupo dos primeiros franciscanos alemães que restauraram a Província. Veio para cá ainda noviço, em 1893, a bordo do “Leipzig”. Faleceu a 8 de dezembro de 1952, em Düsseldorf, Alemanha.

Alma franciscana

Frei Pedro amava o seu burel franciscano com todas as forças de sua grande alma, não hesitando jamais em colocar o ideal franciscano acima de qualquer outro ideal ou aspiração terrestre, por mais nobre que fosse. Nunca seus brilhantes talentos ou o extraordinário prestígio de que gozava nas classes mais altas da sociedade e nas rodas culturais e artísticas mais finas, eram capazes de alterar sua humildade que, sem dúvida, constituía um dos traços característicos de sua personalidade. Se teve algum orgulho, foi o de ser filho de São Francisco e sacerdote de Jesus Cristo.

Foi frade exemplar, pois batalhou em muitos domínios para a glória de Deus e o bem das almas, para o engrandecimento da cultura e da arte; foi propugnador do ideal cristão na imprensa, na tribuna, no cinema, nas pesquisas históricas.

O artista

Frei Pedro dividia o seu tempo pregando missões, fazendo conferências, dirigindo retiros espirituais, e cultivando a música. Mas, para ele, entregue ao ideal, não bastava ainda a atividade religiosa e musical. A sua missão em terras brasileiras podia abranger outros campos que precisavam também de apostolado. Assim Frei Pedro não foi indiferente aos problemas sociais além de dedicar-se ao jornalismo católico e às letras. Publicista distinto, saíram de sua pena os mais diversos gêneros literários, da obra religiosa ao romance e à novela, dos assuntos históricos e geográficos aos da arte.

Tornou-se conhecido por grande parte de artistas e intelectuais como músico, compositor, musicólogo, regente de coros e de orquestras, professor e diretor da Escola de Música Sacra e redator da sua própria revista, sob o título: “Música Sacra”, através da qual cultivou a crítica musical por mais de 12 anos. Criou no âmbito cinematográfico a revista “A Tela”, cujo fim era orientar sob o ponto de vista estético, moral e religioso, a criação de novos filmes.

O musicista

O trabalho de Frei Pedro em favor da música sacra foi deveras notável. Mais de cem composições surgiram de sua rica inspiração, de oratórios a missas festivas, de ladainhas à própria ópera. Nos últimos três anos de sua vida, Frei Pedro trabalhou na elaboração da ópera “Frei Antônio”, que deveria ser apresentada por ocasião das festas comemorativas de fundação de São Paulo, em 1954.

Frei Pedro lançou o Dicionário Musical, um dos mais sérios trabalhos de sua lavra, recebido pela crítica com efusivas manifestações. Regeu concertos sinfônicos no Teatro Municipal. Foi exímio crítico de arte. Atuou junto ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Fundou a “Pró-Arte”, cujo objetivo era o Intercâmbio Cultural entre o Brasil e a Alemanha. Pertenceu à Academia Brasileira de Música, na época presidida por Villa-Lobos, seu grande amigo.

É difícil detalhar toda a produção musical deste notável religioso que, além de abundante obra publicada, deixou muitos trabalhos inéditos, alguns sem título. Das obras editadas, destacamos como mais importantes: “Benedicite”, “Sursum Corda” e “Cecília”, catorze Missas, seis Ladainhas, cinco Hinos Eucarísticos, quatro marchas de Procissão; “Cem Prelúdios para Órgão”, um “Catecismo em Cânticos”, e a “Jóia do Cantochão”. Além destas obras, Frei Pedro Sinzig escreveu ainda uma “Paixão” segundo São João, os “Oratórios Natal! Natal!”, “São Francisco Seráfico”, “Maria Santíssima” e a “Cantata Santa Cecília”. Não deixando de lado o folclore brasileiro, compôs: “Cancioneiro de Modinhas Populares”, “Modinhas Brasileiras”, “Minha Terra”, “Salve Brasil”, “Estrelas e Flores” e “O Brasil Cantando”.

O escritor

Como escritor propriamente dito, Frei Pedro possuía as mais invejáveis qualidades da concepção artística, aliada a uma cultura harmoniosa e profunda.

Escritor exímio, com quatro dezenas de obras publicadas, escreveu romances, novelas, ensaios e fez traduções.
Destacamos apenas uma parcela de suas obras: “A Caricatura na Imprensa Brasileira”, “Pelo Brasil e pela Fé”, “Frei Fabiano de Cristo”, “Tempestades”, “Os nossos Escritores”, “O Nazismo sem Máscara” (1938), “Pela mão de uma menina”. Nos últimos anos publicou ainda: “O Zepelim e o cão de casa”, “O mês de maio e a Folhinha” e “De automóvel para o céu”. Notável repercussão teve a sua obra: “Reminiscências de um Frade”. Nela Frei Pedro relata as suas aventuras e andanças pelos sertões baianos, e dá a sua versão da Campanha de Canudos e dos fanáticos da região.

Em “Através dos Romances” apresenta breve crítica a uma infinidade de obras de ficção para orientar, literária e moralmente, os leitores cristãos.

Outra obra de grande valor é a vida de “Frei Rogério Neuhaus”, confrade e companheiro de ideal por longos anos. Frei Rogério faleceu em 1934 e ficou conhecido como o sacerdote das massas sofredoras.

O jornalista

Frei Pedro era um jornalista nato. Em abril de 1902, fundou o “Cruzeiro do Sul”, em Lages, SC, que contrastava em idéias e comentários com os outros dois órgãos locais, sendo um porta-voz da política, e outro da maçonaria.

Mais tarde, em Petrópolis, fundou o “Centro da Boa Imprensa” (1910), dando nova orientação à revista “Vozes de Petrópolis”, que ele redigiu por 12 anos (1908-1920).

Foi o organizador do 1° Congresso Nacional dos Jornalistas Católicos, e foi nesse Congresso que lançou as bases do “Diário Católico”, na capital do País. Desde então, desdobrando-se em rara capacidade de trabalho, colaborou com quase todos os jornais do Brasil. Para maior e melhor organização desse futuro diário, seguiu para a Europa, em 1910, fazendo diversas conferências em que apresentava o Brasil como um grande país de possibilidades espirituais e artísticas. Lá angariou recursos e adquiriu uma rotativa para a impressão do futuro jornal. Foi convidado pelo Reichstag (Alemão) a expor o seu trabalho jornalístico no Brasil, pelo que foi condecorado por governos de vários países.
Frei Pedro viveu 60 anos como frade menor. Frei Pedro é a prova de que a inteligência e o coração de um franciscano não envelhecem.

Os restos mortais de Frei Pedro Sinzig foram trazidos da Alemanha e descansam desde o dia 18 de dezembro de 1952, no Cemitério de São João Batista – Botafogo – Rio.

(Esta Biografia encontra-se no site da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil OFM)