Tag: tempo comum

Homilia para o 10º Domingo Comum

Dom Henrique Soares da Costa

Por Dom Henrique Soares da Costa

Leituras do Dia

Gn 3,9-15
Sl 129
2Cor 4,13-18 – 5,1
Mc 3,20-35

Caríssimos, iniciemos a nossa meditação da Palavra que o Senhor nos dirige neste X Domingo Comum partindo da tremenda pergunta que o Senhor Deus fez aos nossos primeiros pais e nos faz a nós, filhos de Adão de todos os tempos:

“Onde estás?”

Onde te encontras, ó homem, com tua ânsia de ser como Deus, de ser dono da tua vida, de viver fechado em ti mesmo, no teu comodismo, na tua frieza, na tua autossuficiência, como se te bastasses? Onde estás, ó homem, bicho tirado do pó da terra, no qual soprei, com Meu Espírito, o desejo do Infinito? Continue reading

Homilia para o IX Domingo Comum

Dom Henrique Soares da Costa

Por Dom Henrique Soares da Costa

Caríssimos, comecemos nossa meditação da Palavra de Deus com uma pergunta: o que diz a Escritura Santa sobre o sábado?

A palavra shabbat significa repouso. Segundo a narrativa do Gênesis, no sétimo dia, o Senhor Deus repousou de toda a Sua obra, depois de ter visto que tudo que criara era muito bom:

“Deus concluiu no sétimo dia a obra que fizera e no sétimo dia descansou de toda obra que fizera. Deus abençoou o sétimo dia e o santificou, pois nele descansou depois de toda a obra da criação” (2,2s).

No pensamento do Antigo Testamento, o homem deveria, portanto, descansar no sábado para imitar o Senhor Deus e para reconhecer Nele o Criador de todas as coisas. O sábado seria o dia de louvar e bendizer o Senhor pela criação. O homem reconhece, então, que ele não é Deus; é apenas criatura: só o Senhor é Deus, o Criador do céu e da terra!

Continue reading

Meditação para o V Domingo Comum

Dom Henrique Soares da Costa

Por Dom Henrique Soares da Costa

Iniciemos nossa meditação da Palavra de Deus pela primeira leitura. O Livro de Jó, de modo dramático, mostra a vida humana:

“Não é acaso uma luta a vida do homem sobre a terra? Seus dias não são como dias de um mercenário? Tive por ganho meses de decepção, e couberam-me noites de sofrimentos. Se me deito, penso: quando poderei levantar-me? E, ao amanhecer, espero novamente a tarde… Meus dias correm mais rápido do que a lançadeira do tear e se consomem sem esperança. Lembra-Te de que minha vida é apenas um sopro e meus olhos não voltarão a ver a felicidade”

Eis, caríssimos, não são palavras negativas, desesperadas, essas de Jó. São, antes uma reflexão realista e dolorosa sobre o mistério da vida humana, mas uma reflexão cheia de esperança, porque feita à luz de Deus e, portanto, uma dor feita oração; um aperto de coração feito apelo ao Senhor! Uma coisa é pensar nas realidades negativas de nossa existência simplesmente contando com nossas forças. Que desespero, que desilusão, que vazio de sentido! Outra, bem diferente, é encarar a vida, também com seus trevas, à luz de Deus, o Amor eterno e onipotente! Que esperança que não decepciona, que paz que invade o coração, mesmo na dor! Continue reading

Como funciona o Ano Litúrgico?

Muitas pessoas ficam na dúvida acerca do significado das letras referentes a cada Ano Litúrgico, para a distribuição das leituras bíblicas nas celebrações. É bom termos conhecimento do porquê dos anos litúrgicos A, B, C, e as leituras Bíblicas que lhes são próprias.

As leituras Bíblicas que ocorrem nas celebrações, caracterizam-se com o chamado Ano Litúrgico, criado para acompanharmos através das leituras dos textos bíblicos (Evangelho e outros livros), a vida de Jesus em ordem cronológica do nascimento até a ascensão aos céus. Assim, ouvimos nas celebrações textos que falam do anúncio do Messias, da encarnação, de seu ministério público com milagres, do chamado ao discipulado, discursos, parábolas até culminarmos com Sua morte e ressurreição nos preparando para a Parusia, ou seja, do Cristo Rei do Universo no final do ano litúrgico. Continue reading

© 2018 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑