Tag: sacramento da penitência (page 1 of 2)

A Satisfação

Meditação para a Quinta-feira da Quarta Semana da Quaresma. A Satisfação

Meditação para a Quinta-feira da Quarta Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos sobre a terceira parte do Sacramento da Penitência, a satisfação de obra, e veremos:

1.° A sua importância;

2.° A sua extensão;

3.° A maneira de a cumprirmos.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De cumprirmos a nossa penitência o mais cedo possível após a confissão, acompanhando-a
de um grande desejo de nos tornarmos melhores;

2.º De sofrermos de bom grado todas as tribulações que a Providência nos enviar, e de lhes juntar algumas mortificações voluntárias, por exemplo, nas nossas refeições, na nossa curiosidade ou desejo de ver, na busca das nossas comodidades.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do concílio de Trento:

“Toda a vida cristã deve ser uma perpetua penitência” – Tota vita christiana, perpetua debet esse paenitentia

Continue reading

A Confissão

Meditação para a Quarta-feira da Quarta Semana da Quaresma. A Confissão

Meditação para a Quarta-feira da Quarta Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos sobre a confissão e veremos que ela deve ser:

1.° Humilde;

2.° Sincera;

3.º Inteira.

— Tomaremos depois a resolução de aplicar estas três condições a todas as nossas confissões; e conservaremos para ramalhete espiritual o conselho do Espírito Santo:

“Não te envergonhes de confessar os teus pecados” – Non confundaris confiteri peccata tua (Eclo 4, 31)

Continue reading

Do Ódio que Deus tem ao Pecado

Meditação para a Quinta-feira da Terceira Semana da Quaresma. Do Ódio que Deus tem ao Pecado

Meditação para a Quinta-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos sobre o segundo motivo de contrição: é o sumo desagrado que causam a Deus:

1.º O pecado venial;

2.º O pecado mortal.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De evitarmos com grande cuidado os pecados veniais, pois que Deus tanto os abomina;

2.º De deplorarmos, todos os dias da nossa vida, os pecados mortais que tivemos a desgraça de cometer no passado.

Conservaremos como ramalhete espiritual a palavra do Salmista:

“O meu pecado diante de mim está sempre” – Peccatum meum contra me est semper (Sl 50, 5)

Continue reading

Da Ofensa que o Pecado faz a Deus

Meditação para a Quarta-feira da Terceira Semana da Quaresma. Da Ofensa que o Pecado faz a Deus

Meditação para a Quarta-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Como a contrição, para ser válida, deve fundar-se em motivos de fé, como vimos na nossa última oração, meditaremos sobre o primeiro destes motivos, e veremos:

1.° Quanto o pecado, considerado como ofensa de Deus, é um mal digno de todas as nossas lágrimas;

2.° Quanto mais horrendo ainda o tornam as circunstâncias em que o pecador o comete.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos penetrarmos bem deste grande motivo de contrição antes de nos apresentarmos no sagrado tribunal;

2.º De o recordarmos cada dia, de manhã e à tarde, para nos excitarmos ao horror do pecado.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do filho pródigo:

“Meu Pai, pequei contra o céu e diante de vós, já não sou digno de ser chamado vosso filho” – Pater, peccavi in caelum et corum te: jam non sum dignus vocari filius tuus (Lc 15, 18.19)

Continue reading

Contrição Suma e Sobrenatural

Meditação para a Terça-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Consideraremos, na nossa próxima oração, dois outros caracteres essenciais da contrição; e veremos que ela deve ser:

1.º Suma;

2.° Sobrenatural.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De despertarmos na nossa alma a fé nestas duas verdades, e de conservarmos em nós o sentimento habitual delas;

2.° De fazermos atos de fé mais decisivos, todas as tardes, no nosso exame de consciência e cada vez que nos confessarmos.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

“Eu aborreci e abominei a iniquidade” – Iniquitatem odio habui, et abominatus sum (Sl 128, 163)

Continue reading

Contrição Interior e Universal

Meditação para a Segunda-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Prosseguiremos as nossas meditações sobre o Sacramento da Penitência, interrompidas pelos Evangelhos, tão cheios de interesse, que temos meditado, e veremos que devemos ter nas nossas confissões:

1.° Uma contrição verdadeiramente interior;

2.° Uma contrição verdadeiramente universal.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De fazermos todas as tardes, em seguida ao nosso exame de consciência, um ato de contrição interior e universal;

2.° De fazermos, de dia ou de noite, a cada pecado que cometamos, um ato de contrição interior.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmo:

“Sacrifício para Deus é o espírito atribulado; ao coração contrito não o desprezareis, ó Deus” – Sacrificium Deo spiritus contribulatus: cor contritum… Deus, non despicies (Sl 1, 19)

Continue reading

O Sacramento da Penitência

Meditação para a Terça-feira da Primeira Semana da Quaresma. O Sacramento da Penitência

Meditação para a Terça-feira da Primeira Semana da Quaresma

SUMARIO

Como a fragilidade humana está tão exposta a sucumbir às tentações que a acometem, meditaremos no Sacramento da Penitência, que Nosso Senhor instituiu para nos perdoar os nossos pecados, e veremos:

1.° A excelência deste sacramento;

2.° A importância de bem o receber.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De agradecermos muitas vezes a Nosso Senhor, com piedosas aspirações, esta adorável instituição;

2.° De nos prepararmos melhor para as nossas confissões.

Conservaremos como ramalhete espiritual as mesmas palavras da instituição do Sacramento da Penitência:

“Aos que vós perdoardes os pecados, ser-lhes-ão eles perdoados, e aos que vós os retiverdes, ser-lhes-ão eles retidos” – Quorum remiseritis peccata, remittuntur eis; et quorum retinueritis, retenta sunt (Jo 20, 23)

Continue reading

A Santa Confissão

Parte II
Capítulo XIX

Nosso Senhor instituiu na Sua Igreja o Sacramento da Penitência ou Confissão para purificar as nossas almas das suas culpas, todas as vezes que se acharem manchadas. Nunca permitas, Filotéia, que teu coração permaneça muito tempo contaminado do pecado, tendo um remédio tão eficaz e simples contra a sua corrupção. Uma alma subjugada por um pecado devia ter horror de si mesma; e o respeito devido aos olhos da divina Majestade a obriga a purificar-se dele o mais cedo possível. Ah! Por que havemos de morrer desta morte espiritual, tendo nas mãos um remédio tão eficaz para nos curar? Continue reading

Espírito necessário para fazer bem a Confissão Geral

Sacramento da Penitência: Confissão dos Pecados

Capítulo XIX

Aí temos, Filotéia, as meditações de maior necessidade para alcançar o teu fim. Depois que as tiveres realizado, determina-te então a fazer com coragem e humildade a tua confissão geral, mas toma sentido no meu conselho: não deixes tua alma perturbar-se por alguma vã apreensão. Bem sabes que o óleo do escorpião é o melhor remédio contra o seu veneno; assim também a confissão do pecado é o remédio mais salutar contra o mesmo pecado; ela destrói-lhe tanto a confusão como a malícia. Continue reading

Antes de tudo é necessário que a Alma se Purifique dos Pecados Mortais

Sacramento da Penitência: Confissão dos Pecados

Capítulo VI

Libertar-se do pecado deve ser o primeiro cuidado de quem quer purificar o coração, e o meio de fazê-lo se depara no sacramento da penitência. Procura o confessor mais digno que possas achar; toma um desses livrinhos próprios para ajudar a consciência no exame que se deve efetuar sobre a vida passada, como os de Granada, Bruno, Arias, Auger; lê-os com atenção, notando, ponto por ponto, tudo em que ofendeste a Deus desde o uso da razão e, se não confias em tua memória, assenta por escrito o que notaste. Depois do exame, detesta e abomina os pecados cometidos, pela contrição mais viva e perfeita que podes suscitar em ti, em considerando estes motivos valiosíssimos: que pelo pecado perdeste a graça de Deus, abandonaste os teus direitos sobre o céu, mereceste as penas eternas do inferno e renunciaste a todo o amor de Deus. Continue reading

« Older posts

© 2019 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑