Tag: purgatório (page 1 of 5)

Encerramento do mês do Rosário

O Rosário e o Purgatório

É um tema vasto para nossas meditações e considerações. O dogma do Purgatório é terrível e consolador.

Terrível! Daremos contas ao Senhor até de uma palavra ociosa, diz o Evangelho, e pagaremos até o último ceitil…

Só entraremos no céu, bem perfeitos e santos. E que tormentos os do Purgatório! Nada se pode comparar na terra, dizem os Santos Padres e Doutores da Igreja, às penas dolorosas e terríveis das chamas expiadoras do Purgatório.

Dogma terrível, sim, porém consolador!

Há na outra vida um remédio, uma penitencia, uma expiação e nos tornamos mais puros e menos indignos da visão de Deus! Há consolações no Purgatório, diz São Francisco de Sales e excedem a todas as consolações da terra! E uma delas e a maior sem dúvida é a Materna, doce proteção de Nossa Senhora. A Mãe de Deus, Rainha dos Anjos e do Céu, Rainha do Céu e da Terra é também Rainha do Purgatório!

Felizes os devotos de Maria, diz Santo Afonso, pois Ela os socorre neste mundo, os assiste e consola no Purgatório com sua proteção! Continue reading

Maria nos vale no Purgatório

Meditação para o dia 19 de Maio. Maria nos vale no Purgatório

Meditação para o dia 19 de Maio

Revelou Nossa Senhora a Santa Brígida:

“Eu sou a Mãe de todas as almas do purgatório; pois por minhas orações lhes são constantemente mitigadas as penas que mereceram pelos pecados cometidos durante a vida”

Digna-se até essa Mãe piedosa entrar naquela santa prisão para visitar e consolar suas filhas aflitas, ‘‘Penetrei no fundo do abismo” (Eclo 21 8), isto é, do purgatório — como explica São Boaventura — para consolar com minha presença essas santas almas. Oh! Como é boa e clemente a Santíssima Virgem, exclama São Vicente Ferreri, para as almas do purgatório, que por sua intercessão recebem contínuo conforto e refrigério! E que outra consolação lhes resta em suas penas, senão Maria e o socorro dessa Mãe de misericórdia? Continue reading

A Mãe das Almas do Purgatório

Meditação para o Dia 29 de Novembro

Maria Santíssima não é só na terra a consoladora dos aflitos. O amor de tão doce e santa Mãe se estende até as chamas expiatórias do Purgatório. Que mãe ficaria insensível vendo um filho num braseiro ardente, a sofrer? Nossa Senhora, a mais terna das mães, não é insensível ao padecimento horroroso de seus filhos. Sobre o fogo vingador da Justiça Eterna, derrama a Santíssima Virgem a chuva benfazeja do seu carinho Materno.

“Oh! Como é boa Maria, exclama São Vicente Ferrer, para os seus filhos que gemem no Purgatório! Por sua intercessão, a todo momento, são consolados e socorridos”

Continue reading

O Sofrimento e o Purgatório

Meditação para o Dia 28 de Novembro

“Aliviemos as almas do Purgatório – diz São João Crisóstomo – aliviemo-las por tudo o que nos penaliza, porque Deus tem cuidado em aplicar aos mortos os méritos dos vivos”

Escreve Berlioux:

“O sofrimento é a grande satisfação que o Senhor pede aos devedores da Justiça”

Continue reading

Misericórdia para os Misericordiosos

Meditação para o Dia 04 de Novembro

Deus, que julgará “as justiças da terra”, no dizer do salmista, há de, também, usar de misericórdia para com os misericordiosos. É da Escritura, que a caridade cobre a multidão dos pecados, isto é, que ela cobre, não alguns pecados, apenas, mas “a multidão dos pecados” (1Pd 4,8). Que motivo de confiança na misericórdia Divina terá todo aquele que neste mundo usar de misericórdia para com seu próximo! A caridade faz milagres. A esmola redime, sobe ao Trono Divino e faz descer sobre o coração generoso de quem a deu todas as bênçãos do Céu. Continue reading

Os Esquecidos

Meditação para o Dia 03 de Novembro

Quando morremos, vamos para aquela região que o salmista denomina Terra Oblivionis – “Terra do Esquecimento”. Já Santo Agostinho dizia, com mágoa:

“Oh! Como nos esquecemos dos nossos mortos!”

E São Francisco de Sales acrescentou:

“Não nos lembramos bastante dos nossos mortos; tanto é assim que não falamos muito deles. Fugimos do assunto como de uma coisa funesta”

Continue reading

Pensamentos Consoladores do Purgatório

Meditação para o Dia 02 de Novembro

Segundo um dos biógrafos de São Francisco de Sales, o santo dizia e sempre repetia que, em sua opinião, devemos tirar mais consolação do que temor do pensamento do Purgatório. Verdade é que, naquele lugar de expiação, são tão grandes os tormentos que não se lhes podem comparar as maiores dores desta vida. Mas também as alegrias interiores são lá de forma tal que não há neste mundo prosperidade nem alegria que as igualem. E quereis saber por que consola o pensamento do Purgatório? Continue reading

Paciência e Luta contra as Paixões

Meditação para o Dia 18 de Agosto

Segundo a Imitação de Cristo, Cap. XII – L. III

A alma: Deus e Senhor meu, vejo quão necessária me é a paciência, porque nesta vida acontecem muitas adversidades. Faça eu o que fizer para ter paz, nunca minha vida estará sem batalha e sem dor.

Jesus Cristo: Assim é, filho meu, mas não quero que faças consistir a paz na isenção de tentações ou em não encontrar coisa alguma que te aflija. Antes, quando tiveres padecido muitas tribulações e experimentado muitas adversidades, então crê que achaste a paz. Se disseres que não podes sofrer tanto, como sofrerás o fogo do purgatório? Continue reading

O Purgatório da Terra

Meditação para o Dia 25 de Julho

Podemos expiar nossos pecados aqui e pagar vantajosamente a nossa pena pela penitência. E o sofrimento, suportado pacientemente, ajuda-nos a fazer o purgatório neste mundo. Diz a Imitação de Cristo:

“Aqui tem grande e saudável purgatório o homem paciente, que, recebendo injúrias, mais se dói da maldade do injuriador que da sua própria ofensa; que roga a Deus, sinceramente, por seus inimigos, e de coração perdoa os agravos e, se alguém o ofendeu, não tarda em pedir-lhe perdão; que mais facilmente se compadece do que se ira; que se faz violência a si mesmo e trabalha por sujeitar de todo a carne ao espírito. Melhor é purgar agora os pecados do que deixá-los para os purgar na outra vida” (1)

Continue reading

A Doença

Meditação para o Dia 18 de Janeiro

A doença, olhada pelo prisma da fé, não é um mal. Deus a permite para nosso bem, para a salvação de nossa alma. Fere o corpo para que não morra a alma. Ela nos oferece grandes vantagens. Separa-nos dos loucos e pecaminosos prazeres do mundo. Abate o corpo, que é sempre instrumento do pecado. Afasta-nos das criaturas, da dissipação e de muitas faltas graves. Faz-nos pensar na eternidade e na loucura das vaidades humanas. Continue reading

« Older posts

© 2019 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑