INTRODUÇÃO

Ainda que frequentemente, católicos e ortodoxos sejam atacados por outros segmentos “cristãos” no que se refere à devoção mariana taxando-nos de “idólatras”, poucos sabem que o culto a Mãe de Deus não é fenômeno atual e tão pouco, iniciou com a liberdade religiosa concedida pelo imperador Constantino no ano 313 através do Edito de Milão. A veneração a virgem Maria é produto sagrado da fé cristã, conteúdo básico para todo aquele que declara que Jesus Cristo é seu único e suficiente salvador.

Entretanto, a grande questão sempre girará em torno do que Maria Santíssima representa para a fé católica. Ao analisar o conteúdo bíblico que está ligado diretamente a uma mariologia pura e verdadeira, encontramos uma simbologia grandiosa entre a mãe do Senhor e a Arca da Aliança, objeto esse de grande veneração do povo judeu. Para um hebreu, a “arca da aliança” tinha uma representatividade tão grande perante a fé que, havia até mesmo a crença de que o objeto (que possuía imagens) poderia salvá-los das mãos de seus inimigos (1 Sm 4,3). Continue reading