Tag: tibieza

O que leva ao Purgatório?

Tibieza: é o hábito do pecado venial delibirado. É como que os grãos de areia

Tibieza e Pecado Venial

Meditação para o dia 10 de Novembro

A grande porta aberta para os tormentos do purgatório quando pela misericórdia não se precipitam muitas almas no pecado grave e no inferno, é a tibieza e o seu sintoma certo o pecado venial. Meditemos um pouco o mal da tibieza para vermos como é arriscado viver assim, sem procurar uma vida fervorosa, arriscando a própria salvação e preparando um horrível purgatório depois da morte. Vejamos o que é a tibieza:

A tibieza define-a Santo Afonso pelo que a caracteriza: o pecado venial.

A tibieza, diz o Santo Doutor, é o hábito do pecado venial plenamente voluntário.

A tibieza é o hábito não combatido do pecado venial, ainda que seja um só. É um hábito fundado num cálculo implícito:

— Esta falta não ofenderá a Nosso Senhor gravemente, não me há de condenar. Pois vou cometê-la.

É um hábito dificílimo de se desarraigar da alma. E um hábito muito espalhado, sobretudo entre as pessoas que fazem profissão de piedade e entre as almas consagradas a Deus”.

Continue a ler

Cegueira Espiritual

Meditação para o Dia 04 de Julho

1. Quão triste é ser cego! Seja jovem ou velho, tenha bens de fortuna ou não, é sempre um pobre. Mas, mais triste ainda é o cego de espírito, porque nem a si, nem a Deus conhece. Ainda, continuamente, à beira dum precipício; mais um passo, e precipitar-se-á infalivelmente no abismo. Duas ciências há que deves adquirir e sem as quais não te salvarás: conhecer-te a ti e a Deus. Aquela dar-te-á a verdadeira humildade, salutar confusão pelas repetidas ingratidões e forte estímulo de trabalhar pela salvação da alma; esta causar-te-á santo temor do Onipotente, filial amor e assídua imitação de Suas perfeições. Tens estas duas ciências para adquiri-las? Continue a ler

Nada de desculpas de Tibieza

Meditação para o Dia 17 de Maio

1. A covardia faz crer que o pecado mereça alguma desculpa. Sabe, porém, que só pode servir de desculpa o que como tal é aceito pelo Juiz eterno. A lei divina seria dura e difícil de observar?

“O meu jugo, diz Jesus, é suave, e o meu peso leve”

O mundo por acaso não exige sacrifícios? Quanto não suportas em troca de honras, riquezas, aplausos, vantagens, satisfações, divertimentos, afeições humanas? Queres ser fraco e negligente só no serviço de Deus, que com Sua lei visa unicamente teu bem? Continue a ler

Os Dois senhores e as Almas Tíbias

Tibieza

14º Domingo depois de Pentecostes

Nemo potest duobus dominis servire – “Ninguém pode servir a dois senhores” (Mt 6, 24)

Sumário. As almas tíbias parecem que querem servir ao mesmo tempo a Deus e ao mundo; a Deus, preservando-se de culpas graves; ao mundo, não fazendo caso das culpas veniais deliberadas. Escutem, porém, estas pobres iludidas, o que diz Jesus Cristo no Evangelho de hoje: “Ninguém pode servir a dois senhores: porque, ou há de amar um e odiar o outro, ou se apagar a um e abandonar o outro”. É como que dizer que cedo ou tarde acabará por cair em culpas graves. Além disso, o desgraçado levará vida infeliz; porque ficará privado tanto dos prazeres do mundo como das consolações celestiais. Continue a ler

A ruína de Jerusalém e o fim de uma alma descuidada

Cristo olhando para Jerusalém

9º Domingo depois de Pentecostes

Ut appropinquavit (Iesus) videns civitatem, flevit super illam – “Quando (Jesus) chegou perto, ao ver a cidade chorou sobre ela” (Lc 19, 41)

Sumário. Infeliz da alma que se obstina no pecado ou na tibieza. Adiando a sua conversão de dia para dia, achar-se-á na hora da morte, assim como Jerusalém, cercada de inimigos, que serão os remorsos da consciência, os assaltos dos demônios e os receios da condenação eterna. Desta sorte a sua ruína será quase certa e irreparável. Meu irmão, para que não te suceda tamanha desgraça, reconhece agora o tempo da visitação amorosa do Senhor e obedece prontamente a seu convite. Quem sabe se não é este o último? Continue a ler

Dano que causa aos religiosos a tibieza

Padre Orando

Qui spernit modica, paulatim decidet – “Quem despreza as coisas pequenas, pouco a pouco cairá” (Eclo 19, 1)

Sumário. São infelizes os religiosos que, sendo chamados à perfeição, fazem as pazes com as suas faltas. Nunca se santificarão e correm mesmo grande risco de se condenarem; porquanto o Senhor ameaça vomitá-los de sua boca e abandoná-los, permitindo que das faltas leves passem às faltas graves e à perda da graça divina e da vocação. Oh! Quantos destes infelizes estão agora queimando no inferno! Meu irmão, põe a mão na tua consciência. És tu porventura uma dessas almas tíbias e imperfeitas? Continue a ler

Da Tibieza

abismo

Tire o maior proveito desta Meditação seguindo os passos
para se fazer a Oração Mental proposta por Santo Afonso!

Quia tepidus es, et nec frigidus nec calidus, incipiam te evomere ex ore meo – “Porque és morno, e nem frio nem quente, começarei a vomitar-te da minha boca” (Ap 3, 16)

Sumário. A verdadeira tibieza consiste em que a alma cai em pecados veniais plenamente voluntários, dos quais pouco se arrepende, e que menos ainda se esforça por evitar, dizendo que são coisas de pouca monta. Temamos cair nesta tibieza, porque é semelhante à febre héctica, que não inspira muito cuidado, mas é tão maligna que não deixa quase esperança de cura. Infeliz da alma que faz as pazes com os pecados, posto que leves; a desgraçada irá de mal a pior. Sendo ela tão avarenta para com Deus, como pode pretender que o Senhor seja liberal para com ela? Continue a ler

© 2017 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑