Tag: reflexão

Meditação para a Ascensão do Senhor

Dom Henrique Soares da Costa

Por Dom Henrique Soares da Costa

Hoje, celebramos o mistério da Ascensão do Senhor.

É mistério porque brota do Coração de Deus, o Santo, o Infinito, o Inabarcável, o Incompreensível, o Eterno, o Inefável, o Sábio, Aquele cujas profundezas jamais poderão ser sondadas pela mente e pelo coração humanos; é mistério porque ultrapassa tudo quanto possamos imaginar ou compreender, é mistério porque nos dá a Vida eterna, Vida divina, Vida que “os olhos não viram, os ouvidos não ouviram e o coração do homem não percebeu” (1Cor 2,9), é mistério porque trata-se de uma realidade que somente pode ser compreendia no Espírito Santo de Cristo (cf. 1Cor 2,10) e jamais nos simples limites da humana razão.

A hodierna Solenidade, caríssimos, é uma só com a do Dia de Páscoa:

Aquele, feito homem igual a nós, morto como nós, que admiramos levantado dentre os mortos e constituído em Glória na Ressurreição, hoje, contemplamo-Lo à Direita de Deus, com a mesma autoridade do Pai, e O proclamamos Cabeça da Igreja, Senhor sobre toda a criação, sobre toda a humanidade, Princípio e Fim da história humana e Juiz dos vivos e dos mortos. Continue reading

Meditação para o I Domingo do Advento – Ano A

O Senhor está a Caminho!

Por Dom Henrique Soares da Costa

Mais uma vez, irmãos caríssimos, a bondade do Senhor nos dá a graça de iniciarmos um Ano Litúrgico com este sagrado Tempo do Advento.

Como todos sabeis, nestas duas primeiras semanas das quatro que nos preparam para o Santo Natal, a Igreja nos recorda que o Senhor, que veio a Belém, virá no final dos tempos como Juiz, na Sua bendita Parusia, isto é, na Sua Vinda gloriosa.

E é essencial, amados irmãos, que os cristãos nunca esqueçam isto: o Senhor virá, e o caminho da criação e a corrida da nossa vida neste mundo são uma peregrinação ao Seu Encontro!

Nada nem ninguém tem neste tempo, nesta existência, morada permanente: caminhamos para o Senhor, somos filhos daquele Dia bendito, Dia do Cristo Senhor! Sabemos que “a noite deste mundo vai adiantada e o Dia vem chegando”, Dia de luz, Dia de salvação, Dia no qual o Reino que Cristo plantou com Seu piedoso nascimento, morte e ressurreição, haverá de se manifestar com toda a sua força e toda a sua glória! Continue reading

Para nos prepararmos para a morte não devemos esperar pelo último momento

Não espere o tempo passar....

Estote parati: quia qua nescitis hora Filius hominis venturus est – “Estai preparados; porque não sabeis em que hora tem de vir o Filho do homem” (Mt 24, 44)

Sumário. Devemo-nos persuadir de que o tempo da morte não é o momento próprio para regular as contas. Que dirias de um homem que tendo de entrar em concurso para uma cadeira, quisesse instruir-se somente na hora da prova? Não seria tido por louco o comandante de uma praça que esperasse que o cercassem para fazer provisão de viveres e munições? Não seria loucura da parte de um piloto, se não se munisse de âncoras e cabos senão no momento da tempestade? Tal é todavia o procedimento de um cristão que espera que a morte chegue para por em ordem a sua consciência.
Continue reading

Cristo, razão e esperança da Igreja

Por Dom Henrique Soares da Costa

Diante de algumas situações da Igreja atual, estava eu pensando nos cristãos das origens, nos católicos dos primeiros séculos, nossos antepassados: de fora, perseguições do Império Romano; de dentro, as divisões e as decepções com irmãos que, perseguidos, renegavam a fé…

Isto mesmo: a Igreja sempre viverá em meio a tribulações, a fracassos, a perseguições e escândalos. Nunca terá na terra o que terá somente no Céu: a paz da fidelidade perene de seus filhos e do gozo eterno da Glória…

Pensei, então: Os verdadeiros católicos não são católicos por causa da Igreja, mas por causa do Cristo fidelíssimo, que nos amou até a cruz e nos deu a Sua Igreja como Mãe e canal de Sua graça.

Certamente que os escândalos, o relativismo, o mundanismo, a crise de fé de tantos ministros ordenados e religiosos, o mau exemplo de quem deveria ser presença viva de Cristo – tudo isto nos entristece; no entanto, se compreendermos bem o que é a Igreja, se tivermos os olhos e o coração fixos no Cristo, então todas essas realidades negativas em nada tirarão a nossa paz… Continue reading

Meditação para o 22º Domingo do Tempo Comum

Virtude da Humildade

Leituras do dia

1ª Leitura – Eclo 3,19-21.30-31
Salmo – 67
2ª Leitura – Hb 12,18-19.22-24a

Evangelho – Lc 14,1.7-14

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Aconteceu que, num dia de sábado, Jesus foi comer na casa de um dos chefes dos fariseus. E eles o observavam. Jesus notou como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Então contou-lhes uma parábola:

“Quando tu fores convidado para uma festa de casamento, não ocupes o primeiro lugar. Pode ser que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu, e o dono da casa, que convidou os dois, venha te dizer: ‘Dá o lugar a ele’. Então tu ficarás envergonhado e irás ocupar o último lugar.

Mas, quando tu fores convidado, vai sentar-te no último lugar. Assim, quando chegar quem te convidou, te dirá: ‘Amigo, vem mais para cima’. E isto vai ser uma honra para ti diante de todos os convidados. Porque quem se eleva, será humilhado e quem se humilha, será elevado”.

E disse também a quem o tinha convidado: “Quando tu deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. Então tu serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor. Continue reading

Exilado, longe do Senhor…

Por Dom Henrique Soares da Costa

“Infeliz de mim! Sou estrangeiro em Mosoc,
Moro entre as tendas de Cedar!” (Sl 120/119,5)

Aqui, neste Salmo, Mosoc e Cedar são povos estrangeiros, bárbaros, violentos e idólatras! O salmista, portanto, mesmo estando em Israel, sente-se como se vivesse entre estrangeiros, longe da Terra Santa e, portanto, distante do Senhor.

Para um judeu, estar longe da Palestina era estar distante da Face de Deus. A queixa de Davi, refugiado em Moab, contra Saul reflete bem esta ideia:

“Rogo-te, senhor meu rei, que ouças as palavras do teu servo: se é o Senhor que te impele contra mim, a oferenda do altar o apaziguará; se os homens, sejam malditos perante o Senhor, porque hoje me excluíram da herança do Senhor como se dissessem: Vai, serve a outros deuses! Não se derrame agora o meu sangue na terra, longe da presença do Senhor!” (1Sm 26,18-20).

Mas, observe bem, meu Irmão leitor: o Salmista, mesmo entre o seu povo, o Povo de Israel, povo de Deus, sente-se como estando entre pagãos! E por quê?
Porque mesmo sendo fisicamente membro do Povo de Deus, quantos estão fora dele com o coração! Membro do Povo santo segundo o conceito, o exterior, a profissão formal da fé; mas, longe do Povo de Deus por não aderir realmente ao Senhor e à Sua santa vontade! Continue reading

Procurá-Lo porque já encontrado…

Dos Sermões de São Bernardo (1091-1153), abade e doutor da Igreja

Saiba toda a alma que busca a Deus que ela foi por Ele procurada primeiro, que a buscou antes que ela O buscasse.

«Toda a noite procurei Aquele que o meu coração ama» (Ct 3,1).

A alma procura o Verbo, mas é o Verbo Quem a procura de antemão. Quando entregue a si própria, a nossa alma mais não é do que um sopro que passa e não volta (Sl 78(77),39). Escutai o que ela diz, ao longe fugitiva e à deriva:

«Ando errante como ovelha perdida; vem à procura do teu servo» (Sl 119(118),176).

Continue reading

Ele vem ao nosso encontro…

Por Dom Henrique Soares da Costa

“Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles.
Soprava um vento forte e o mar estava agitado. Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-Se da barca. E ficaram com medo.
Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo” (Jo 6,16-21).

A tarde cai; a noite chega.
O mar é profundo, o vento é forte, o mar está agitado.
E lá vai a barca dos apóstolos, a barca da Igreja…
Como hoje, nestes dias de noite e agitação… Continue reading

A sentença da alma culpada no juízo particular

Juízo Particular

Discedite a me, maledicti, in ignem aeternum, qui paratus est diabolô et angelis eius – “Apartai-vos de mim, malditos para o fogo eterno, que está aparelhado para o diabo e os seus anjos” (Mt 25, 41)

Sumário. Desgraçada da alma cuja vida no juízo não for achada conforme à de Jesus Cristo! Sem demora, o divino Juiz pronunciará contra ela a sentença de condenação eterna – Aparta-te de mim, maldita, para ires arder eternamente no fogo. Meu irmão, agora vivemos em segurança e com indiferença ouvimos falar do juízo; mas quantos há que assim viveram e agora estão no inferno! E quem nos assegura que o mesmo não sucederá conosco? Se a morte nos surpreendesse na primeira noite, qual seria a nossa sentença? Continue reading

© 2018 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑