Tag: amor de Deus (page 1 of 2)

A Bondade de Deus

Meditação para o Dia 06 de Dezembro

1. Não quero a morte do pecador, mas que se converta de seu caminho e viva“. É Deus, três vezes santo, quem o diz… Todo o gênero humano tornara-se réu de morte pelo pecado de Adão; quanto mais culpado és tu, que ainda fizeste pecados pessoais! Os anjos, que tinham pecado antes de Adão, não tiveram um Salvador. O homem peca e é remido. Por que esta preferência? É o mistério do amor de Deus… Infinitas graças nós todos devemos a quem tão desinteressadamente se compadeceu de nós. Continue reading

Bondade de Deus

Meditação para o Dia 07 de Novembro

1. “Tenho compaixão deste povo, porque, olhai: há já três dias que não se apartam de mim e não tem o que comer”. Quanto fervor o deste povo! Seguiu a Jesus, apesar do perigo de não poder matar a fome. Não envergonham eles o teu pouco fervor, que julga demais ficar um quarto de hora na companhia de Jesus Sacramentado? Eles não se queixam da falta de viveres e da fome. E tu? Que sofres por amor de teu Deus? E apesar de não fazeres nada por Ele, ou só pouco, pretendes alto galardão no céu? Continue reading

Como Deus te Ama

Meditação para o Dia 02 de Setembro

1. Deus é a caridade“. Ele tirou-te do nada. O corpo, com todas as suas faculdades, é seu presente. A alma, de infinito valor, recebeste-a de Deus; as criaturas ficaram sujeitas a ti; anjos te servem. Deus mesmo, por incompreensível amor, assumiu tua natureza; tornou-se menino, pobre; trabalhou, sofreu e morreu por ti. Fundou a Igreja para tua salvação, instituiu a santa Eucaristia, para se sacrificar muitas vezes por ti e para tu O teres presente. Como correspondes a tanto amor? Continue reading

Amor de Jesus em querer satisfazer por nós

Sagrada Face de Nosso Senhor Jesus Cristo

Dilexit nos, et tradidit semet ipsum pro nobis oblationem et hostiam Deo – “(Jesus) amou-nos e se entregou a si mesmo por nós em oblação e como hóstia para Deus” (Ef 5, 2)

Sumário. Nunca se deu, nem se dará jamais, no mundo outro fato semelhante ao que está consignado nos Evangelhos. Estando o homem por sua própria culpa condenado à morte eterna, o Filho de Deus pediu e obteve de seu divino Pai, que o deixasse tomar a natureza humana e pagar com a própria morte as penas devidas ao homem. Que te parece, irmão meu, este amor do Filho e do Pai? Todavia, a maior parte dos homens, talvez tu também, não responderam a tamanho amor senão com ingratidão.
Continue reading

Obedecer por Amor de Deus

Meditação para o Dia 09 de Agosto

1. Não há ninguém na terra que não tenha de obedecer a alguém. Deus tem como seus representantes os pais, autoridade eclesiástica e civil, etc. Que disparate contemplar neles só a pessoa e o caráter humano, desprezar suas ordens ou cumpri-las à força! Obediência – palavra misteriosa que poucos compreendem a fundo e, menos ainda, põem em prática. palavra odiosa a muitos, a todos aqueles que a tem por fraqueza e covardia! Entretanto, a história de toda a mocidade de Jesus está compreendida nas palavras:

“Desceu com eles, e veio para Nazaré e lhes estava sujeito”…

Continue reading

Dom do Temor de Deus e da Fortaleza

Meditação para o Dia 10 de Junho

1. Excelente Dom do Espírito Santo é o Amor de Deus, temor inspirado pelo amor e pelo respeito das vistas de Deus, fixadas sobre nós. “Deus me vê!” é a máxima do temente a Deus. Este dom conserva em eminente pureza, dá horror pela menor ofensa a Deus; na oração faculta uma grande devoção; no lugar santo inspira uma atitude respeitosa e uma profunda adoração; nos trabalhos, verdadeira dedidcação; por toda a parte dá uma modéstia exemplar. Enfim, dá amor sempre crescente, porque sempre cresce a compreensão da grandeza das perfeições divinas. Continue reading

Do amor de Deus e dos principais meios de o adquirir

Jesus Misericordioso

Capítulo XLIV

Nos ergo diligamus Deum, quoniam Deus prior dilexit nos – “Amemos pois a Deus, porque Deus nos amou primeiro” (1Jo 4, 19)

Deus ama-nos: não o podemos duvidar depois de tudo o que ele fez por nós. Ama-nos com a mais viva ternura e como se fôramos necessários à sua felicidade: ama-nos, apesar das nossas ingratidões, apesar das nossas misérias; ama-nos e quer de nós ser amado.

“Meu filho, diz ele a cada homem em particular, meu filho, tu a quem eu criei, a quem eu remi, a quem eu acumulei de benefícios, dá-me o teu coração; uma só coisa te peço: que me ames”

Mas não contente com nos incitar a ama-lo pela multidão de seus benefícios, não contente com atrair-nos ao seu amor pelas mais doces expressões, Ele nos ordena expressamente:

“Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças”

Continue reading

Jesus é desamparado de Deus seu Pai

Capítulo XXXIII

Deus meus, Deus meus, ut quid dereliquisti me? – “Deus meu, Deus meu, porque me abandonastes?” (Mc 15, 34)

Profundas trevas cobriam milagrosamente a face da terra; toda a natureza, à vista do seu Deus moribundo, estava na consternação e pasmo… E Jesus há três horas guardava um profundo silencio. De súbito exclama com uma voz forte:

“Deus meu! Deus meu! Porque me desamparastes?…”

Ó meu Jesus! Que cruéis não deviam ser as vossas dores, que de alguma sorte vos forçaram a vós, tão doce, tão resignado, tão paciente, vos lastimardes ao vosso Pai!
Continue reading

Ventura infinita: amor a Deus!

Meditação para Dia 06 de Março

1. Como meu Pai me amou, assim vos amei eu. Permanecei no meu amor“. Quem jamais apreciará condignamente a permissão de elevar seus olhos ao próprio Deus, de amá-lo, e, o que é mais, de ser mesmo obrigado a amá-lo? Se Deus no-lo não dissesse, como nos atreveríamos a crê-lo? O Criador pede amor à sua criatura! Como compreender este mistério! Já lho agradeceste devidamente? O pensamento nesta sorte inaudita acompanha-te a toda a parte? Aproveitas essa licença, que de ti deve fazer a mais feliz das criaturas?Poder amar a deus, e ser por Ele amado!… Continue reading

Jesus Cristo desceu do céu à terra, não por necessidade ou próprio interesse, mas por nosso amor

Capítulo VI

Per viscera misericordiae Dei nostri in quibus visitavit nos oriens ex alto – “Pelas entranhas de misericórdia do nosso Deus: com que lá do alto nos visitou este sol no Oriente” (Lc 1, 78)

Se o filho de Deus desceu do céu à terra para remir-nos, nem a necessidade, nem o próprio interesse o impeliu, que sua glória e felicidade são de todo independentes, não do homem somente, mas ainda de todas as criaturas. “Ele é o Senhor“, diz o Salmista, “e não precisa dos nossos bens“.

Quem o forçou a vir foram as entranhas da sua misericórdia, foi a compaixão das nossas misérias, foi o desejo de nos querer provar seu amor, trazendo um remédio eficaz para todos os males. E é isto o que canta a Santa Igreja, ao oferecer o Santo Sacrifício, dizendo:

“Jesus Cristo desceu do céu por nós outros e por nossa salvação”

Continue reading

Older posts

© 2017 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑