Tag: abandono

Em Liberdade

Meditação para o Dia 15 de Abril

Ninguém é mais livre do que a alma inteiramente abandonada à Vontade de Deus. Nada a perturba e embaraça. Luta, sofre, trabalha, sempre feliz, numa paz inalterável. As almas imperfeitas sofrem muito. Uma palavrinha as perturba, qualquer moléstia ou contrariedade as atira num mar de aflições e queixas desesperadas. A alma abandonada, confiante, só tem um ideal: fazer a vontade de Deus. Passará da saúde para a doença, da secura para as consolações, da calma para a tentação, dos reveses da sorte para a prosperidade, sempre conformada, humilde, feliz por cumprir a Vontade Daquele que tudo dispõe, neste mundo, para nosso bem. Continue reading

Sim! “Fiat!”

Meditação para o Dia 25 de Março

A mais bela palavra que disse Nossa Senhora foi o “Fiat”, o sim da Anunciação. E dessa palavra nos veio a Redenção, com Jesus, e Jesus Crucificado. Como é poderoso o Sim! Como ele opera maravilhas! O Anjo manifesta a Vontade do Altíssimo e Nossa Senhora, sem hesitar, responde:

Eis a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a Sua palavra.

E toda a vida de Maria foi um sim, um “fiat”, um ato de abandono perfeito, total, à Vontade do Pai Celeste. Continue reading

A Bolinha do Menino Jesus

Meditação para o Dia 24 de Março

Que faz uma criança quando ganha uma bolinha nova e graciosa? Alegra-se, toma-a, cheia de carinho, sorri, feliz brinca com seu pequenino tesouro. Depois, atira-a para um canto, onde fica muito tempo esquecida. Um belo dia toma de novo a sua bolinha e com ela brinca e se diverte. E, quando dela se farta, se encontra um alfinete, fura-a toda e acaba por despedaçá-la, curiosa. Fica assim o destino da bolinha sujeito aos caprichos da criança! Continue reading

O Labirinto

Meditação para o Dia 23 de Março

As provações espirituais, preciosas, na verdade, porém duras, Deus só as envia aos seus amigos prediletos. A santidade é o mais difícil e o mais penoso dos trabalhos. A vida contemplativa só é fecunda e bela porque se passa num verdadeiro calvário. Às alegrias sensíveis e consolações sem par dos primeiros dias de fervor, sucede-se uma aridez penosa. Meu coração é de gelo – dizem as pobres almas – sinto que não tenho amor a Jesus, perdi minha piedade, estou condenada! Que desolação! Vêm logo as alternativas de fervor e aridez. Nas consolações, no fervor sensível, compreende-se tudo, caminha-se com segurança, em pleno dia, à luz do sol radiante e belo. Depois, entra-se numa floresta espessa e já não se pode ver mais a estrada certa. É a desorientação. Nem a palavra do diretor espiritual já nos conforta. Continue reading

O pecador abandonado por Deus

Curavimus Babylonem, et non est sanata; derelinquamus eam – “Medicamos a Babilônia, e ela não sarou; deixemo-la” (Jr 51, 9)

Sumário. Não há maior castigo do que Deus fingir que não vê a iniquidade. Permite que os pecadores prosperem e amontoem pecados sobre pecados. É sinal de que Deus os reserva para os entregar à sua justiça na vida eterna, onde terão tantos infernos a padecer, quantos foram os pecados cometidos. Desgraçados dos pecadores que prosperam nesta vida. Tal misericórdia é mais terrível do que qualquer castigo.
Continue reading

© 2018 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑