Um dia bonito (Por Wiley Purkey)

Um dia bonito (Por Wiley Purkey)


Continuemos nossa reflexão iniciada no dia de ontem. Hoje, abordaremos o segundo aspecto:

b) “Nós nos gloriamos também nas tribulações, sabendo que a tribulação produz… a esperança. E a esperança não decepciona, porque o amor de Deu foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (v. 5).

Por se gloriar na esperança da Glória de Deus em Cristo, o cristão vive sua vida neste mundo à luz da Eternidade, na expectativa do Dia de Cristo! Tudo é vivido e interpretado pelo cristão à luz da Eternidade!

O Apóstolo afirma que somos “filhos do Dia” (1Ts 5,5): devemos viver os tempos, os momentos, as situações de nossa breve corrida neste mundo tendo sempre diante dos olhos o Dia de Cristo. Quando isto não ocorre, nossa vida avança como alguém que caminha sem ter um destino, sem um objetivo… A existência se desenvolve, então, ao sabor dos pequenos e grandes acontecimentos e situações que encontramos no caminho, mas sem um Sentido que dê sentido ao que vivemos e fazemos… Vida besta, à toa, uma vida assim… Vida infra-humana… Não se vive, vagueia-se, perambula-se nas vielas de uma existência medíocre!

Olhe ao seu redor: não é assim que vive o nosso mundo?

A humanidade vai negando o Senhor Deus e vai perdendo a noção do Todo da existência e da realidade… Vai-se, então, vivendo de migalhas da existência… Nada é definitivo, nada leva ao sentido global da existência nossa e do mundo… E se diz: não há felicidade, mas momentos felizes… Na verdade, fala-se isto porque não há um Sentido, mas migalhas de ideias, de pequenos projetos, interesses, ganâncias, prazeres, amoricos, mas, nada que encha a vida do ar fresco de um Sentido que faça compreender a totalidade do que somos, vivemos, fazemos…

O cristão, ao invés, deveria viver à luz do Dia, Dia de Cristo, Dia que é Cristo! Aí tudo em si e ao redor de si seria iluminado, banhado de sentido verdadeiro e, consequentemente, da alegria de existir e saber para que se existe!

Quem vive assim, não teme os sacrifícios e dificuldades, porque lê e interpreta tudo à luz desse Sentido! É o que afirma São Paulo no texto acima: a tribulação, as negações, as perseguições, as dificuldades, os fracassos, as perdas, a morte, tudo isto, vivido à luz do Cristo, Sentido de tudo, faz somente com que o Sentido seja ainda mais vivo no coração do crente e ele, crescendo na perseverança em crer, em amar o Sentido que dá sentido, crescendo no desejo, cresce na certeza, cresce na confiança Naquele que prometeu, que um Dia, virá ao encontro do fiel como amor e recompensa. O nome disto é esperança!

Esperar no Deus Fiel, esperar Deus de Deus unicamente porque Ele é Deus, o Deus que por nós entregou o Seu Filho amado e, ainda por nós, O ressuscitou dentre os mortos! Saber com firme certeza que, Nele, tudo tem sentido e, nas Suas mãos benditas, tudo encontra seu porquê!

Mas, não é só isso! Na verdade, ninguém conseguiria manter-se fiel e crente ante os reveses da vida sem a graça do Senhor: “Sem Vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo“, diz a coleta do XVII Domingo Comum. Por isso, a Escritura explica que é o amor de Deus, amor dado por Deus, derramado por Deus no nosso coração, amor de Deus que se torna amor a Deus e nos sustenta, desperta e mantém firmemente a nossa esperança, que nos mantém numa esperança madura, fundada, crente e amorosa!

Esse Amor é fruto do Espírito Santo de Amor, que, derramado em nós no Batismo, após confessarmos a fé em Jesus, dá-nos os sentimentos de Cristo, as atitudes de Cristo, a conaturalidade com Cristo Jesus!

Dizendo de modo diferente:

Crendo em Jesus, somos batizados;
Na água do Batismo, recebemos o Espírito Santo de Cristo;
O Espírito de Cristo nos configura sempre mais ao Senhor;
Ele, Espírito que nos faz saborear as coisas do Céu, já é penhor da Glória futura;
Assim, como afirma Hb 11,1, já temos a certeza, já temos a experiência, já temos em primícias a posse das coisas do Céu, de modo que sabemos e experimentamos que nossa esperança não será decepcionada, não será desiludida!

Feliz daquele que vive na fé no Senhor,

Feliz daquele que, tendo o Santo Espírito do Senhor em si, transforma, na potência desse Espírito, toda dor, toda tristeza, toda angústia, todo sofrimento, todo pranto em matéria para construir a Eternidade!

Assim vive o cristão: de fé em fé, até chegar na Visão eterna; de esperança em esperança, até chegar à Posse definitiva!

E você… Pense!

Como vê a vida? Como interpreta o que lhe acontece: à luz do Senhor ou à luz das modas ou da sua própria luz?

Sua vida tem um sentido global, que inspira suas escolhas, atitudes e atos? É Cristo o seu Sentido?

Lembre-se: viver em Cristo é viver na Verdade, é viver de verdade!

Encontrar um sentido fora Dele é viver do transitório e, muitas vezes, de ilusões…

Reze o Salmo 30/31