Dom Henrique Soares da Costa
Reze o Salmo 119/118,73-80
Agora, leia com piedade, com atenção e um coração que escuta Dt 27 – 28

Dt 27, 1Moisés e os anciãos de Israel exortaram então o povo: «Observa todos os preceitos que eu hoje te prescrevo. 2No dia em que atravessares o Jordão para entrares na terra que o SENHOR, teu Deus, te há-de dar, ergue umas pedras grandes e reveste-as de cal. 3Nelas escreverás todas as palavras desta Lei, depois de teres passado o Jordão, ao entrares na terra que te há-de dar o SENHOR, teu Deus, terra onde corre leite e mel, como te tinha prometido o SENHOR, Deus dos teus pais.

4E quando tiveres atravessado o Jordão, levantarás essas pedras no monte Ebal, tal como eu hoje te ordeno, e revesti-las-ás de cal. 5Construirás no mesmo local um altar ao SENHOR, teu Deus, um altar feito de pedras, sem que o ferro lhes tenha tocado. 6Construirás o altar do SENHOR, teu Deus, com pedras inteiras e ali oferecerás holocaustos ao SENHOR, teu Deus. 7Oferecerás também sacrifícios de comunhão. Comê-los-ás e alegrar-te-ás diante do SENHOR, teu Deus. 8Escreverás sobre as pedras todas as palavras desta Lei, de forma bem clara.»

9Moisés e os sacerdotes levíticos falaram assim a todo o Israel: «Guarda silêncio e ouve, ó Israel! Hoje tornaste-te o povo do SENHOR, vosso Deus. 10Escuta a voz do SENHOR, teu Deus, e cumpre os seus mandamentos e os seus preceitos, que hoje te prescrevo.»

11No mesmo dia, Moisés deu ao povo a seguinte ordem: 12«Estas são as tribos que estarão sobre o monte Garizim para abençoar o povo, quando tiverdes atravessado o Jordão: Simeão, Levi, Judá, Issacar, José e Benjamim. 13E estas estarão sobre o monte Ebal para amaldiçoar: Rúben, Gad, Aser, Zabulão, Dan e Neftali.»

14«Os levitas tomarão a palavra e dirão em voz alta a todos os homens de Israel:

15‘Maldito o homem
que fizer uma estátua esculpida ou fundida,
objecto abominável ao SENHOR,
obra de um artífice,
e a colocar num lugar escondido!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
16‘Maldito o que desprezar seu pai e sua mãe!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
17 ‘Maldito o que alterar os limites do seu vizinho!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
18 ‘Maldito o que desviar o cego do seu caminho!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
19 ‘Maldito o que defraudar o direito do estrangeiro,
do órfão e da viúva!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
20 ‘Maldito o que tiver relações com a mulher de seu pai,
descobrindo assim o leito paterno!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
21 ‘Maldito o que tiver relações com qualquer animal!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
22 ‘Maldito o que tiver relações com sua irmã,
filha de seu pai ou de sua mãe!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
23 ‘Maldito o que tiver relações com a sua sogra!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
24 ‘Maldito o que ferir às ocultas o seu próximo!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
25 ‘Maldito o que aceitar suborno para derramar sangue inocente!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’
26 ‘Maldito o que não respeitar as palavras desta lei
e não as puser em prática!’
E todo o povo responderá:
‘Ámen!’»

Dt 28, 1«Se escutares a voz do SENHOR, teu Deus, procurando observar todos os seus mandamentos, que hoje te prescrevo, o SENHOR, teu Deus, te tornará superior a todos os povos da terra. 2Todas estas bênçãos virão sobre ti e ficarão contigo, se ouvires a voz do SENHOR, teu Deus. 3Serás abençoado na cidade e abençoado nos campos. 4Bendito o fruto das tuas entranhas, o fruto da tua terra, o fruto do teu gado, as crias dos teus bois e os filhotes das tuas ovelhas. 5Bendito o teu cabaz e a tua arca. 6Bendito serás quando entrares, e bendito quando saíres.

7O SENHOR te entregará os inimigos que se levantarem contra ti; se vierem contra ti por um caminho, por sete caminhos fugirão diante de ti. 😯 SENHOR fará que a bênção fique contigo nos teus celeiros e em todas as tuas obras, e te abençoará na terra que o SENHOR, teu Deus, te há-de dar.

9O SENHOR te constituirá para si em povo santo, como te jurou, enquanto guardares os mandamentos do SENHOR, teu Deus, e andares nos seus caminhos. 10Todos os povos da terra verão que o nome do SENHOR é invocado sobre ti e terão medo de ti.

11O SENHOR te dará em abundância o fruto das tuas entranhas, o fruto dos teus gados e o fruto da tua terra, no país que o SENHOR jurou a teus pais que te havia de dar. 12O SENHOR abrir-te-á os seus preciosos tesouros: o céu, para dar chuva à tua terra no tempo oportuno e para abençoar todas as obras das tuas mãos. Muitos povos te pedirão emprestado, mas tu nunca pedirás emprestado.

13O SENHOR te colocará no primeiro lugar e não no último; estarás sempre no alto, jamais em baixo, enquanto escutares os mandamentos do SENHOR, teu Deus, que hoje te prescrevo, guardando-os e cumprindo-os, 14sem te desviares, nem para a direita nem para a esquerda, de nenhuma das palavras que eu hoje te prescrevo, seguindo outros deuses e adorando-os.»

15«Mas se não escutares a voz do SENHOR, teu Deus, guardando e cumprindo todos os seus mandamentos e preceitos que hoje te prescrevo, cairão sobre ti todas estas maldições e ficarão contigo. 16Serás amaldiçoado na cidade e amaldiçoado nos campos. 17Maldito o teu cabaz e a tua arca. 18Maldito o fruto das tuas entranhas, o fruto da tua terra, a cria dos teus bois e os filhotes das tuas ovelhas. 19Maldito serás quando entrares e maldito quando saíres.

20O SENHOR mandará a maldição, a desgraça e a ruína para tudo aquilo a que lançares mão, até que sejas aniquilado e destruído sem demora, por causa dos teus delitos, por o teres abandonado. 21O SENHOR te enviará a peste até te fazer desaparecer da terra, onde vais entrar para dela tomar posse. 22O SENHOR atingir-te-á com tísica, febre, inflamação, delírio, secura, ardência e palidez, que te perseguirão até sucumbires. 23O céu que está sobre a tua cabeça será de bronze, e a terra, debaixo dos teus pés, será de ferro. 24O SENHOR transformará a chuva da tua terra em cinza e poeira, que descerão sobre ti do alto do céu até seres aniquilado.

25O SENHOR deixar-te-á derrotado diante dos teus inimigos. Se saíres contra eles por um caminho, por sete caminhos fugirás diante deles, e serás escarnecido por todos os reinos da terra. 26O teu cadáver servirá de pasto a todas as aves do céu e aos animais da terra, e ninguém os afugentará.

27O SENHOR te atingirá com os tumores do Egipto, com úlceras, sarna e comichão, de que não te poderás curar. 28O SENHOR atingir-te-á com vertigens, cegueira e perturbações do espírito. 29Andarás às apalpadelas em pleno dia, como um cego na escuridão, sem encontrares o caminho, e serás oprimido e espoliado todos os dias sem haver quem te salve. 30Desposarás uma mulher e outro homem a possuirá; edificarás uma casa e não habitarás nela; plantarás uma vinha e não a vindimarás. 31O teu boi será abatido diante de ti e não comerás dele; o teu jumento será roubado à tua vista e não te será restituído; as tuas ovelhas serão entregues aos teus inimigos e não terás quem as salve.

32Os teus filhos e as tuas filhas serão entregues a um povo estrangeiro; os teus olhos verão e consumir-se-ão de dor, esperando-os todos os dias, sem que lhes possas dar a mão. 33O fruto da tua terra e todo o teu trabalho serão devorados por um povo que não conheces; serás oprimido e maltratado todos os dias. 34Acabarás por enlouquecer com o espectáculo que os teus olhos hão-de ver. 35O SENHOR te atingirá nos joelhos e nas coxas com uma úlcera maligna, da planta dos pés ao cimo da cabeça.

36O SENHOR te conduzirá, a ti e ao rei que escolheres para governar, para o meio de um povo que nem tu nem os teus pais conheceram; e ali servirás outros deuses, que não passam de madeira e de pedra! 37Serás motivo de espanto, de troça e de escárnio, entre todos os povos para o meio dos quais o SENHOR te conduzir.

38Semearás grande quantidade de semente no teu campo, mas pouco colherás, porque os gafanhotos a devorarão. 39Plantarás e cultivarás vinhas, mas não beberás vinho nem o armazenarás, porque será devastado pela lagarta. 40Terás oliveiras por todo o país, mas não te ungirás com azeite, porque as azeitonas cairão.

41Criarás filhos e filhas, mas deixarás de os ter, porque irão para o cativeiro. 42Os insectos devastarão todas as árvores e o fruto da tua terra. 43O estrangeiro que está no meio de ti elevar-se-á acima de ti cada vez mais alto; tu, porém, descerás cada vez mais baixo. 44Ele emprestar-te-á a ti, mas tu não lhe poderás emprestar; ele estará no primeiro lugar e tu estarás no último.

45Todas estas maldições cairão sobre ti, perseguir-te-ão e ficarão contigo até seres exterminado, porque não escutaste a voz do SENHOR, teu Deus, guardando os mandamentos e preceitos que o SENHOR te ordenou. 46Estas coisas acontecerão contigo e com a tua descendência como um sinal e um aviso para sempre, 47por não teres servido o SENHOR, teu Deus, com alegria e bom coração, quando tinhas abundância de tudo. 48Servirás, porém, os inimigos, que o SENHOR enviar contra ti, na fome, na sede, na nudez e na mais completa miséria; eles porão um jugo de ferro sobre o teu pescoço até te aniquilarem.

49O SENHOR fará erguer-se dos confins da terra, contra ti, um povo longínquo, veloz como a águia, cuja língua não compreendes, 50um povo de aspecto feroz que não terá respeito pelo velho, nem piedade pelo adolescente! 51Ele devorará o fruto do teu gado e o fruto da tua terra até seres aniquilado; não te deixará nem trigo, nem vinho, nem azeite, nem a cria dos teus bois, nem os filhotes das tuas ovelhas, até te fazer desaparecer. 52Ele te cercará em todas as tuas cidades, até que caiam em todo o país os teus altos muros e as fortalezas em que punhas a tua confiança; cercar-te-á em toda a terra que o SENHOR, teu Deus, te tiver dado.

53Terás de comer até o fruto das tuas entranhas, a carne dos teus filhos e filhas, que o SENHOR, teu Deus, te tiver dado, tal o aperto e a angústia quando o inimigo te cercar. 54O homem mais sensível e delicado, entre vós, olhará com maus olhos o seu irmão, a esposa que ele ama e os filhos que lhe restarem, 55para não ter de repartir com nenhum deles a carne dos filhos, que vai comer, por nada mais lhe restar, no aperto e na angústia em que o cerco do inimigo te deixou em todas as tuas cidades. 56A mulher mais sensível e delicada, entre vós – que nem sequer ousava pousar na terra a planta dos pés, de tão mimada e delicada que estava – olhará com maus olhos o marido que ama, o seu filho e a sua filha, 57a placenta que lhe sai do ventre, entre as pernas, e os filhos que gerou; porque, na sua miséria total, ela os comerá às escondidas, no meio do aperto e angústia a que te reduzirá o teu inimigo nas tuas cidades.

58Se não procurares cumprir todas as palavras desta Lei, escritas neste livro, em reverência ao nome venerável e temível do SENHOR, teu Deus, 59o SENHOR agravará os teus flagelos e os da tua descendência, flagelos grandes e persistentes, doenças malignas e persistentes. 60Fará recair sobre ti todas as pragas do Egipto diante das quais te aterrorizavas e que não mais te deixarão, 61bem como outras doenças e desgraças, que não estão escritas no livro desta Lei, até que sejas aniquilado. 62Poucos homens de entre vós hão-de escapar, depois de terdes sido tão numerosos como as estrelas do céu; tudo isto, porque não escutaste a voz do SENHOR, teu Deus. 63E assim como o SENHOR se deleitava em vos encher de benefícios e vos multiplicar, assim também se deleitará o SENHOR em vos fazer perecer e vos aniquilar. E sereis arrancados da terra em que ides entrar para dela tomardes posse.

64O SENHOR vos dispersará entre todos os povos de uma extremidade à outra da terra; ali servireis a deuses de madeira e de pedra, que nem vós nem os vossos pais conheceram. 65Mesmo no meio dessas nações, não tereis segurança, nem encontrareis repouso para a planta dos vossos pés. O SENHOR te dará ali um coração inquieto, olhos enlanguescidos e alma angustiada. 66Sentireis a vossa vida suspensa e tremereis noite e dia, sem certeza de continuar a viver. 67De manhã direis: ‘Quem dera que fosse já noite!’; e de tarde direis: ‘Quem dera que já fosse manhã!’ Tudo, por causa da angústia que o vosso coração sofrerá e pelo espectáculo que terão de ver os vossos olhos. 68O SENHOR vos fará regressar em navios ao Egipto, caminho do qual Eu vos tinha dito que não devíeis tornar a ver. Ali procurareis vender-vos aos vossos inimigos como escravos e escravas, e não haverá comprador.»

69São estas as palavras da Aliança que o SENHOR ordenou a Moisés que estabelecesse com os filhos de Israel, na terra de Moab, para além da Aliança que firmara com eles no Horeb.

1. Estes são capítulos tremendos! Depois de apresentar as normas, as leis, os mandamentos, expressão da vontade santa do Senhor Deus de Israel, Moisés proclamará as bênçãos e as maldições que esperam o Povo Santo, dependendo do comportamento que tenha em relação ao Senhor Deus! Sim, diante de Deus não se pode ser neutro! O Eterno é o lastro, o sentido, o fundamento, o sustento, a essência da existência das Suas criaturas! Viver Nele, aberto a Ele, é viver; fechar-se para Ele numa autonomia mentirosa, ilusória, vazia, é viver na mentira, na ilusão, é morrer, é viver na Morte do não-sentido, da não-existência, do absurdo eterno! Toda esta tremenda verdade é expressa na linguagem própria dos tratados de aliança do antigo Oriente Médio, que terminavam evocando bênçãos e maldições sobre quem obedecesse ou desobedecesse ao acordo feito! É disto que tratam estes capítulos. Interessante – e eu já recordei isto antes, ao longo destas meditações – que o Evangelho de Mateus, também nos coloca entre a bênção e a maldição: no início, a bênção (cf. 5,1-12); no final, a maldição (cf. 23,13-29)! Como você pode ver, também o cristão, discípulo do Senhor Jesus, Deus feito homem, tem que escolher entre viver na bênção ou na maldição! Pelo amor de Deus, qual a sua escolha, meu Amigo? Qual a minha? – pergunto-me eu mesmo, olhando a minha própria vida…

– Senhor, Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, pecador! Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, pecador! Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, pecador!

2. Impressiona demais como a Escritura exorta (e esta exortação é viva, é atual, é para o Antigo Israel e para o Novo, a Igreja, é para mim, é para você):

“Fica em silêncio e ouve, ó Israel!” (27,9b)

Tremendo! O silêncio, o coração aberto, o santo temor, o respeito sagrado, o senso da santidade de Deus, com Quem não se pode brincar ou tomar por compadre! Silêncio diante do Senhor! Ouvidos do coração abertos! Pense um pouco:

Qual a sua atitude diante de Deus?

Qual a sua atitude na oração?

Qual a sua atitude nas celebrações litúrgicas?

Tira as sandálias dos pés porque o lugar em que estás é uma terra santa” (Ex 3,5); Eu sou o Senhor teu Deus que te santifico!

3. Depois, a fileira de maldições, de bênçãos, de maldições! São tremendas! E são fundadas no pressuposto único:

“Se obedeceres; se não obedeceres” (28,1.15)

Eu queria ter palavras para incutir no seu coração, meu Amigo, o quanto não se pode fazer pouco de Deus, o quanto não podemos fazer um deusinho do nosso tamanho, um jesusinho do nosso agrado, um evangelhozinho politicamente correto! Só posso repetir:

“Fica em silêncio e ouve, ó Israel!” (27,9b)

4. Verdadeiramente impressionante nas maldições é a constante ameaça de uma destruição sem fim para o Povo Santo: “até que sejas exterminado, até que pereças rapidamente” (28,20); “até que pereças” (28,22); “até que fiques em ruínas” (28,24)… Por que toda esta destruição? Como pode um Deus bom, misericordioso, santo, tratar assim o Seu Povo?

“Uma vez que não obedeceste à voz do Senhor teu Deus, Ele terá prazer em vos destruir e exterminar” (28,62.63)…

Compreenda: a destruição, a escuridão, o extermínio não vêm primeiro de fora; já estão no próprio pecado, na própria rebeldia contra o Senhor! As calamidades externas são apenas expressão exterior da miséria interior, da morte existencial! Basta olhar a nossa sociedade morrendo, a Europa perecendo, o Ocidente cansado, sem graça, envelhecido etária e culturalmente, caminhando a passos largos para a extinção! É a tremenda consequência de virar as costas para o Senhor Deus Vivo e Verdadeiro!

“O Senhor te ferirá com loucura, cegueira e demência; ficarás tateando ao meio-dia como o cego que tateia na escuridão… Sereis arrancados do solo em que estás entrando a fim de tomares posse dele… Jamais terás tranquilidade, e a sola do teu pé não encontrará um lugar para descansar. O Senhor teu Deus te dará um coração inquieto, olhos mortiços e respiração fugidia. Tua vida penderá à tua frente por um fio; ficarás apavorado noite e dia, e não acreditarás mais na vida…” (28,28s.63b.65b)

E a sentença final: “O Senhor vos fará voltar ao Egito” (28,68), que é o símbolo de toda a escravidão, de toda miséria, de toda vida destruída!

5. Talvez, Amigo, você pense: na Nova Aliança, com Jesus nosso Senhor, isto já não mais tem valor! Engano seu! Leia Mt 10,32s; Gl 6,7-10; Hb 10,19-31! Exatamente porque o cristão, pela Cruz do Senhor, conheceu ainda mais o mistério do amor de Deus, é ainda mais obrigado a amar o Senhor; exatamente porque tem no seu íntimo o Espírito de Amor que Cristo derramou sobre nós, o cristão pode ainda mais deixar-se guiar por esse Espírito bendito que nos dá força para cumprirmos os preceitos do Senhor! Pense bem nisto! Reze o Salmo 1.