Dom Henrique Soares da Costa
Reze o Salmo 119/118,105-112
Agora, medite, pensando em Jesus, em Is 49,1-9

1«Ouvi-me, habitantes das ilhas, prestai atenção, povos de longe. Quando ainda estava no ventre materno, o Senhor chamou-me, quando ainda estava no seio da minha mãe, pronunciou o meu nome. 2Fez da minha palavra uma es­pada afiada, escondeu-me na concha da sua mão. Fez da minha mensagem uma seta penetrante, guardou-me na sua aljava. 3Disse-me: «Israel, tu és o meu servo, em ti serei glorificado.» 4Eu dizia a mim mesmo: «Em vão me cansei, em vento e em nada gastei as mi­nhas forças.» Porém, o meu direito está nas mãos do Senhor, e no meu Deus a minha recom­pensa. 5E agora o Senhor declara-me que me formou desde o ventre ma­­terno, para ser o seu servo, para lhe reconduzir Jacob e para lhe congregar Israel. Assim me honrou o Senhor. O meu Deus tornou-se a minha força. 6Disse-me: «Não basta que sejas meu servo, só para restaurares as tribos de Jacob e reunires os sobreviventes de Israel. Vou fazer de ti luz das nações, para que a minha salvação che­gue até aos confins da terra.»

7Eis o que diz o Senhor, o redentor e Deus santo de Is­rael, ao desprezado e abandonado pe­las gentes, ao escravo dos tiranos: «Os reis hão-de levantar-se ao ver-te, os príncipes se prostrarão, porque o Senhor é fiel, porque o Santo de Israel te esco­lheu.» 8Eis o que diz o Senhor: «Eu respondi-te no tempo da graça e socorri-te no dia da salvação. Defendi-te e designei-te como aliança do povo, para restaurares o país e repartires as heranças devas­tadas, 9para dizeres aos prisioneiros: ‘Saí da prisão!’ E aos que estão nas trevas: ‘Vin­de à luz!’ Ao longo dos caminhos encon­tra­rão que comer, e em todas as dunas arranjarão alimento.

1. Este é o segundo cântico do Servo Sofredor. Se no primeiro, o Deus de Israel apresentava o Seu Servo, agora, neste, é o próprio Servo Quem toma a palavra. Já vimos: o Servo é o Messias, e Ele personifica em Si, concentra em Si, recapitula em Si todo o Israel do Antigo Testamento. Veja Os 11,1: “Quando Israel era um menino, Eu o amei e do Egito chamei Meu filho” ; compare com Mt 2,13-15, que fala de Jesus nosso Senhor:

“Ali ficou até a morte de Herodes, para que se cumprisse o que dissera o Senhor por meio do profeta: ‘Do Egito chamei o Meu Filho!’”

Vê? Em Jesus, Israel é cumprido, é realizado! É assim: em Jesus nosso Senhor todo Israel é assumido e salvo; e não somente Israel, mas também toda a humanidade, já que Ele é também o Novo Adão, o Homem Novo (cf. 1Cor 15,20-22), imolado e ressuscitado, plenificado em Sua santa humanidade, Ele é o Adão celeste, o Homem que vem do Céu e enche de Espírito de Glória eterna todo aquele que Nele crê e Nele é batizado (cf. 1Cor 15,45-49)! Tudo quanto o Senhor nosso viveu, fê-lo por Israel e por toda a humanidade. Ele é o Salvador de todos, o Redentor do mundo!

2. Agora, neste segundo cântico, o Servo dirige-se a todos os povos da terra; Ele não veio somente para Israel; sua missão é universal! Veja os vv. 1.6! Observe bem o v. 6. Compare com Lc 2,29-32! Jesus é o Servo! Nos vv. 1b e 5, Ele Se apresenta como Aquele que foi chamado pelo Senhor desde o seio materno. Nos evangelhos, Jesus apresenta-Se muitas vezes como o Enviado do Pai e refere-Se ao Pai como “Aquele que Me enviou” (cf. Mc 9,37; Mt 10,40, Jo 16,5.27s).

3. Veja como no v. 2 o Servo, tão manso e humilde no primeiro cântico, é também forte, é uma verdadeira arma do Senhor Deus. Mas, toda esta força não está isenta de sofrimentos, lutas e tentação de desânimo. A vocação do Servo é vivida numa luta constante, confiando sempre em Deus! Leia os impressionantes vv. 3-4. O Servo foi fiel, o Servo combateu o combate do Senhor… A Igreja, no tempo da Quaresma, repete sempre:

“Cristo por nós foi tentado, sofreu e na Cruz morreu…”

A Liturgia repete também, muitas vezes, as palavras de Fl 2,8:

“Cristo por nós Se fez obediente até a morte e morte de Cruz”…

E eu? E você? Escute:

“Não te envergonhes de dar testemunho de nosso Senhor! Participa do meu sofrimento pelo Evangelho, confiando no poder de Deus! Assume a tua parte de sofrimento como bom soldado de Cristo!” (2Tm 1,8; 2,3)…

Aprendamos com o Senhor Jesus a colocar nas mãos do Pai as nossas lutas, os nossos momentos de desânimo e de medo! O Filho eterno do Pai sofreu tudo isto! Leia Hb 5,7-10! Quão alto foi o preço da nossa salvação!

4. Já aqui, neste segundo cântico, aparece o quanto o Servo irá sofrer e ser desprezado (cf. vv. 4.7) e, depois, precisamente pela Sua fidelidade ao Senhor Deus, mesmo na dor e na provação, será exaltado, salvando Israel e toda a humanidade (cf. vv. 6-9)…

5. Que dizer mais? Releia o cântico todo, pensando em Jesus:

“Assim, meus santos irmãos e companheiros de vocação celestial, considerai atentamente a Jesus, o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa profissão de fé!” (Hb 3,1)

Compare estes vv. 6-9 com Lc 4,18s. Agora leia Is 49,8-12: aí está toda a bênção, toda a graça, toda a Vida trazidas pelo Servo, graças à Sua fidelidade, ao Seu sofrimento até a morte!

6. Pronto! Agora louve e bendiga a Deus pelo Seu Servo, com Israel e com as Escrituras. Reze Is 49,13,26!

Atenção: aqui é o Antigo Israel e a Igreja, Novo Israel que cantam e cantarão sempre, até o Dia de Cristo, na Glória! Cante você também!