Category: O Mistério do Natal

Neste livro, São João de Ávila nos ensina a buscar a nosso Salvador e a prepararmo-nos para sua vinda gloriosa!

Jesus sofrendo em teu lugar

Meditação para Dia 26 de Janeiro

1. A santidade e a justiça de Deus pressupõe um extremo ódio ao pecado. No próprio Filho de Deus, que assumiu a forma do homem pecador, a santidade divina procurou a satisfação. Persegue-o lá no berço, sujeitando-o à pobreza, ao frio, à humilhação; fá-lo fugir até longínquo país. trabalhar em pobre casebre; cobre-o de chagas, de sangue, de ignomínias; tira-lhe o sangue das veias e fá-lo morrer na cruz após martírios inauditos; tudo isto porque Jesus se responsabilizou pelos nossos pecados. Continue a ler

Procurar e Encontrar a Cristo

“E, prostrando-se, o adoraram” (Mt 2, 11)

Dor e Alegria

Ter filhos é uma grande alegria para as mulheres casadas, mesmo que sofram as dores do parto. Diz Jesus Cristo:

Depois que deu à luz um menino, já não se lembra da aflição por causa da alegria que sente pelo filho” (Jo 16, 21)

O dia da alegria das mães é aquele em que dão à luz os seus filhos. Consideram-se grandes maravilhas de Deus “tirar o pobre da imundice” (Sl 112, 7) e “fazer a mulher estéril dar à luz” (cf. Is 54, 1 e 1 Sam 2, 5). Juntemos estas duas coisas e acrescentemos outra maior. Continue a ler

Sinais para Encontrar a Deus

“Eis o sinal: Encontrareis um menino envolto em panos e deitado numa manjedoura” (Lc 2, 12)

Dia de Regozijo e Alegria

“Alegrar-se-á a terra deserta e sem caminho. A estepe regozijar-se-á e florirá como o lírio. Foi-lhe dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Saron” (Is 35, 1-2)

Quem disse estas palavras foi o profeta Isaías, ao ver em espírito este dia e a bem-aventurança da Virgem Maria, Mãe de Deus. Hoje é dia de regozijo. Não houve ali dores de parto, porque, se tivesse havido, o nosso regozijo ter-se-ia velado por causa das dores. Se Maria tivesse sentido dores e gemido, a nossa festa ter-se-ia entristecido. A Virgem não experimentou dor ou tristeza, mas apenas grandíssimo júbilo e alegria.

Alegrar-se-á a terra deserta e sem caminho. Aquela que não conheceu varão vai regozijar-se e alegrar-se frutificando. Quem nos dera ver, Santíssima Virgem, o vosso regozijo e a alegria do vosso rosto! Quem nos dera ver-Vos, Mãe e Virgem, tão virgem como as virgens e tão mãe como as mães! Foi-Vos dado o esplendor do Carmelo e de Saron, dois montes de grande beleza na Judéia. E se quisermos ver alguma formosura na terra, supliquemos ao Senhor que nos dê olhos contemplativos, a fim de que hoje possamos ver uma donzela na gruta de Belém com um Donzel nos braços. Não há nada mais formoso: Foi-lhe dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Saron. Continue a ler

A Vinda de Cristo à Alma. Como Preparar-se?

Nascimento de Cristo

“Eu sou a voz do que clama no deserto” (Jo 1, 23)

Exórdio: o Pregador, outro João Batista

Perguntaram a São João Batista quem era, e ele respondeu:

– “Eu não sou o Messias, nem Elias, nem aquele profeta a quem Deus se referiu ao falar com Moisés: Eu suscitarei um profeta como tu dentre os teus irmãos, e a quem recusar ouvir o que ele disser da minha parte, pedir-lhe-ei contas (cf. Jo 1, 20-21; Dt 18, 18-19). Não sou nenhum desses”, disse São João.

– “Se não és nenhum desses”, disseram eles, “como ousaste impor um novo rito ao povo? Como é que batizas?”

– “Não vos assusteis, porque o meu batismo apenas limpa com água a cabeça e o corpo; a sua função é somente fazer que os que dele se abeiram professem que são pecadores e necessitam de alguém que os limpe dos pecados. (Aquele batismo não era como o nosso, que transmite a graça). Mas no meio de vós está quem vós não conheceis e vos seria conveniente conhecer; esse limpa com água e com fogo, e introduz a mão nas almas, limpando-as de toda a sujidade, e eu sou tão diferente dEle que não sou digno de desatar a correia das suas sandálias; este é aquele que já profetizei e que vos preguei outras vezes, o qual há de vir depois de mim e era antes de mim. É tão superior a mim que eu não sou digno de desatar a correia das suas sandálias nem de servi-lo como escravo”.

– “Não sou quem pensais”, disse João Batista. – “Então quem és?”. E ele disse-lhes: – “Eu sou a voz do que clama no deserto, e este é o meu ofício, a minha honra, a minha dignidade e o meu ser. Eu não sou o Messias, mas a voz do Senhor que quer vir até vós: Endireitai os caminhos do Senhor” (cf. Jo 1, 23).

Pobre de mim e de outros como eu, que temos o ofício de São João Batista sem possuir a sua santidade. O sacerdote, o pregador, anjo – porque “anjo” significa mensageiro -, o pregador é mensageiro de Deus, e Deus fala por sua boca. Somos mensageiros de Deus, anfitriões do rei, mas não sei se é por não sabermos desempenhar este papel, ou por qualquer outro motivo, que os ouvintes nos olham com os meros olhos da carne e atentam apenas para a nossa aparência externa. Continue a ler

© 2017 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑