Meditação para o Dia 17 de Agosto

1. O humilde goza de grande paz e tranquilidade. Que é que poderia roubar-lhas? Censuras, em vez de o entristecerem, alegram-no, porque julga merecê-las, ou, pelo menos, tê-las merecido em outras ocasiões. Injúrias e calúnias não o perturbam; os bens da terra e a prosperidade não o ensoberbecem; a preferência dada a outros não o aflige; faltas de atenção não o abatem, não havendo nada que lhe possa roubar a tranquilidade. Se não gozas desta paz constante, examina-te se não é por falta de humildade.

2. a) Da humildade nascem todas as mais virtudes. Ela é o fundamento da castidade. O amor ao próximo e a obediência tornam-se fáceis e agradáveis, quando te desprezares a ti mesmo. A humildade conserva na virtude, faz fugir das tentações e recorrer sempre à fonte da força. Maria foi exaltada, porque era humilde.

b) Usas dos meios necessários para alcançares esta virtude? Ou estás antes acostumado a falar de preferência de ti, a exaltar-te, reclamar atenções e distrações, procurar honras, fugir a todas as humilhações, ocupar-te de ti em teus pensamentos e sonhos de futuro?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 244)