Meditação para Dia 19 de Janeiro

1. “Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração”

Isto já diz o divino Infante desde o presépio. Deus se humilha ao ponto de vestir-se com a nossa carne. E mais. Aceitando um corpo humano, escolheu o que dos homens é mais desprezado: por mãe – uma virgem pobre; por pai nutrício – um humilde artista; por casa – uma estrebaria; por berço – um presépio; por vestes – pobres faixas. Escondeu sua majestade, seu poder, sua sabedoria e as demais qualidades divinas. Que contraste entre Jesus e teu modo de ver e de agir!

2. a) A humildade é o fundamento indispensável ao céu e à terra. Ela torna agradável ao céu e à terra. Não se jacta, não fala sempre de si, não aspira honras e distinções, não se confunde quando censurada, sofre resignadamente injustiças, cala-se e imita a Jesus, que até ao traidor lavou os pés.

b) O humilde não se julga fora de perigo de cair tanto quanto os outros caíram; mas confia no socorro de Deus e implora-o constantemente.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 33)