Meditação para o Dia 27 de Junho

1. A modéstia cristã não consiste numa simples compostura do rosto, dos gestos, das maneiras. Isso só seria apenas uma virtude farisaica, que poderia encobrir um interior bem diferente. A verdadeira virtude tem sua origem no coração, e as aparências não devem ser senão o reflexo da piedade interior. Tal modéstia é a consequência do respeito da presença de Deus, que inspira grave decoro. Em toda parte está Deus, logo em toda parte deves respeitar quem faz tremer céu e terra, quem enche os próprios anjos de santo temor e quem, um dia, pedirá contas de tudo que houveres feito.

2. a) A modéstia é poderoso meio na salvação do próximo. Nem todos podem pregar, mas todos podem e devem edificar seu próximo. São Francisco de Assis pregava por seu modesto andar; São Luís Gonzaga, por seu celestial recolhimento.

b) A modéstia concorre para a própria salvação. Ela conserva fechada as portas, pelas quais o inimigo pudesse entrar. Preserva de muitas tentações e de graves perigos. Ela faz fechar os olhos, ouvidos e boca quando preciso ou útil. A mesma modéstia por isso enche de grande paz e tranquilidade e de grande confiança em Deus, em quem sempre pensa.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 193)