Meditação para o Dia 13 de Junho

1. a) Santo Antônio de Lisboa não é sem motivo o Santo popular de uma à outra parte da terra. Como São Luiz de Gonzaga, ele tem o lírio como símbolo de sua grande pureza, que guardou ilibada desde a infância até à morte. Amas e conservas imaculada, como ele, a santa castidade?

b) Não menos brilha em Santo Antônio uma extraordinária humildade. Dotado de raro talento, soube escondê-lo, como sempre também escondia sua nobre origem. Prestou a seus irmãos de hábito os serviços mais humildes, como se fosse incapaz de pregar e de ensinar. Nele se realizou, porém, a palavra de Maria:

“Deus exaltou os humildes”

2. O verdadeiro amor de Deus, de que era inflamado o Santo, fê-lo trabalhar com zelo indescritível na vinha do Senhor. Ganhar almas era sua máxima e o fim de todos os seus esforços. Deus abençoou-o, convertendo por ele inúmeros pecadores e distinguindo-o pelo dom dos milagres. Imitas a Santo Antônio em suas virtudes principais? Em todas as necessidades, põe nele inteira confiança; a experiência prova que ele não deixa de ouvir os rogos de seus devotos, mesmo nas necessidades temporais. Pede-lhe, mais que tudo, a graça de ser um dia seu companheiro no céu.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 179)