Meditação para Dia 27 de Janeiro

1. Os anjos que pecaram não tiveram um Redentor, mas foram logo, e para sempre, condenados ao inferno. O homem peca e é remido. Os anjos não eram culpados senão de um único pecado, e nós? Por que esta diferença? O homem era indigno da redenção por todos os títulos. Devido a seus pecados previstos, aparecia a Deus como um objeto de horror para a justiça divina, um expulso do paraíso terrestre e um condenado à morte neste e no outro mundo, se não fosse remido. E Deus redime semelhante criatura com preferência aos anjos. Oh! Mistério de Amor!

2. Teria sido para Jesus humilhação incompreensível assumir a natureza dos anjos; foi mais, descer até nós. Escolheu, porém, abaixar-se até ao último grau da nossa natureza. Quis ficar escondido no seio de Maria; depois no presépio; ao sair da infância, na oficina; anos depois em laborioso apostolado, sempre caluniado e perseguido até à morte. Ó tu, que anelas por uma palavra de amor por parte dos homens, não resistas a tão forte lição dada por Deus que te ama!

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 41)