Meditação para Dia 23 de Fevereiro

1. “Eis, vamos para Jerusalém”. Pela última vez Jesus, acompanhado pelos apóstolos, vai a Jerusalém. Ele conhece o que lá o espera, e o prediz aos discípulos. Não obstante isso, vai pressuroso, como se para Ele não houvesse coisa mais preciosa do que o sofrimento pela nossa redenção. Abraças também, de boa vontade, a cruz que Deus diretamente ou por outros te manda? Há uma única contrariedade que sofres, sem te queixares a ninguém? Mais perfeito é ires ao encontro da cruz, vencendo-te por amor de Deus. Ou não fazes nunca algum sacrifício voluntário por teu Salvador?

2. “E tudo o que está escrito pelos profetas, sobre o Filho do homem, será cumprido”. Com o mesmo amor com que Jesus vai a Jerusalém para começar sua paixão, quer também terminá-la. Por maiores que sejam os sofrimentos, Ele aceita-os em perfeita obediência, cumprindo em tudo as profecias.

“O que perseverar até ao fim, esse será salvo”

Não é começo, mas o fim do combate vitorioso que será recompensado. Por que, pois, recuas na primeira dificuldade? Por que não te levantas mais depressa depois de uma descaída?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 68)