Meditação para Dia 20 de Janeiro

1. a) Jesus, que no céu não pode achar a pobreza, procurou-a e encontrou-a na terra. Vê tu sua morada, seu duro presépio, o bafejo dos animais que aquece seus membros frios. Quase tudo que se tem por necessário lhe falta, e o pouco que tem não podia ser pior. O estábulo aberto não pôde abrigá-lo contra o frio, a umidade e a tempestade.

b) Só os bens eternos tem valor.

“Bem-aventurados os pobres em espírito”

Estes pobres não são os que nada tem, mas aqueles cujo coração não está apegado aos bens da terra. Pertences, como é indispensável, a estes pobres?

2. a) Por maior que fosse a sua pobreza, Jesus jamais se queixou. Sofreu com resignação o frio; a extrema indigência, as dores da circuncisão, a cruel certeza de que para muitos sofria debalde, e tudo mais. Se o médico sofre tanto e com tamanha paciência, o que não cumpre ao doente, a ti, sofrer?

b) Jesus sofre, sem o merecer, e como Ele sofrem os santos. Não tens nada a expiar, a satisfazer? Só pela cruz te tornarás semelhante a teu Deus.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 34)