Meditação para o Dia 20 de Setembro

1. a) Por amor duma alma, a da Samaritana, Jesus caminhou até cansar e esperou no lugar onde ela havia de aparecer. Quantas vezes Jesus caminhou para te salvar a ti! Por que tardas em correr a Seus braços?…

b) Vindo, enfim, a Samaritana. Jesus disse-lhe:

“Dá-me de beber”

Mulher feliz, porque veio na hora em que era esperada. Jesus lhe pede pouco, para lhe dar muito. O pouco que te pede a ti, recompensará também fartamente. Não negas nada a Jesus?

2. a) Disse-lhe então a Samaritana:

“Tu, sendo judeu, como é que me pedes de beber, a mim, que sou mulher Samaritana?”

Eis com quanto insolência Jesus se deixa tratar. Mas não a condenes tão cedo! Tu, acaso, o tratas melhor? Não recusaste jamais matar-lhe a sede que tem de tua salvação?

b) Convertida, a Samaritana esquece-se da água que viera buscar e do cântaro que havia trazido, e só pensa em instruir-se com Cristo, e em comunicar a todos o tesouro que encontrara. E tu, que não recebeste menos graças que a Samaritana, cuidas também de tua salvação e da de teu próximo?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 278)