Meditação para o Dia 15 de Dezembro

1. Deus determinou que seu Filho Unigênito salvasse o mundo por uma humilhação sem igual. Jesus não desceu somente até aos anjos, o que já teria sido uma humilhação infinita, mas até nós, e isto quando a humanidade estava sobremaneira manchada pelo pecado. Não querendo aparecer homem feito, Jesus passou ocultamente nove meses no seio de uma criatura Sua, nasceu em presépio, viveu pobre e desprezado, e pobre e desprezado morreu, após ter sofrido toda a sorte de injúrias, calúnias e perseguições. Permita Deus que não resistas a linguagem tão eloquente e persuasiva!

2. Jesus quis salvar-nos pelo sofrimento. Daí a solidão e os incômodos dos nove meses que precederam seu nascimento. Daí a pobreza na infância, que O acompanhou em toda a vida e nem O deixou na cruz. Rigores do tempo, perseguições humanas, aparente aandono por parte de Deus, nada disto foi poupado a quem veio sofrer aquilo que nós tínhamos merecido. Quanta gratidão não lhe deves! Seja Jesus teu exemplo em todas as contrariedades. Ele, inocente, não mereceu castigo algum: tu, que és culpado, queixar-te-ás?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 364)