Meditação para Dia 20 de Fevereiro

1. A Santíssima Trindade resolveu sobre a sorte da humanidade merecedora da morte eterna. A infinita Justiça alegou a excepcional malícia que houve no pecado, ofensa da criatura ao Criador, feita sem o impulso das paixões; alegou a facilidade com que podia ser observado o mandamento, a dura pena previamente ameaçada e a sorte dos anjos caídos. O que teríamos para alegar em nossa defesa? Nada.

“Se olhardes, Senhor, para as nossas iniquidades, quem poderá, Senhor, subsistir em vossa presença?”

Teme o pecado e foge-o.

2. Interveio a Divina Misericórdia. Alegou a fraqueza humana, o ódio e a astúcia da serpente maligna e as terríveis consequências para todo o gênero humano, se Deus não se compadece. Vencerá a Justiça ou a misericórdia? Terrível momento para a humanidade culpada!… Deus se compadeceu. A misericórdia, infinita, impeliu o Criador a ser vítima em lugar da misera criatura. Que abismo de amor!

“O Senhor é cheio de misericórdia e nEle se encontra copiosa redenção”

Não cuidas em mostrar-te grato? Perdido estavas, para sempre, se Deus não tivesse vindo em teu auxílio. Sabe que nunca assaz poderás agradecer!

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 65)