Meditação para o Dia 07 de Maio

1. Há uma só necessidade: salvar a alma; é o dever dos deveres. Nenhum há que urja mais; o descuido de nenhum outro tem tão funestas consequências. Quer vivas pouco, quer muito, nunca terás outra coisa mais necessária a fazer. Sê, pois, justo para contigo mesmo.

“Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder a sua alma?”

Quanto maior loucura será dar a alma, não por todo o mundo, e sim por um punhado de bens, de honras, de satisfações carnais, por afeição humana que terminará, ao menos, com a morte! E que dano terás, perdendo todo o mundo, se salvares a alma? Nenhum; pois, salva a alma, tudo está salvo, o céu e a posse do próprio Deus.

2. A alma vive pela graça santificante. Morta por isso está pelo pecado grave, enfraquecida pelo pecado leve. Em que estado se acha a tua alma? Sê franco e sincero contigo mesmo e com Deus que te observa. Se vives, procura aumentar a vida da graça:

“Eu vim, diz Jesus, para terem a vida, e para a terem em maior abundância”

Firma-te em Jesus, que te diz:

“Eu sou a ressurreição e a vida; o que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 142)