Meditação para o Dia 05 de Maio

1. Donde vens? Como se explica o maravilhoso organismo de teu ser? Donde tens tua consciência? Donde vem o mundo em que vives? A única explicação admissível é:

“No princípio criou Deus o céu e a terra”

Jamais o vento formará, de madeiras e pedras no chão dispersas, majestosa catedral, jamais os tipos de chumbo, caindo por si, formarão mavioso drama; jamais as tintas esvaziadas por acaso sobre uma tela darão uma pintura de mestre; tão pouco o acaso ou constante desenvolvimento da matéria pode ser a causa de tua existência. És, pois, a obra de Deus. Alta e nobre origem! És grato a teu Criador? Pensas nos direitos que Ele tem sobre ti?

2. O Altíssimo criou-te para si. Permite-te e até te prescreve amá-Lo e servi-Lo, para um dia O possuíres. Este é o teu fim; tudo mais, sem exceção, é dispensável. Ter haveres, saúde, bem-estar, saber, longa vida, pode ser útil; necessário não é, contanto que te salves. Corresponde a tua vida a estas máximas indiscutíveis?

Preferir o serviço de Deus a tudo o mais, longe de amargurar-te a vida, adoçará teus dias e tua morte. Vens de Deus, por isso a Ele terás de voltar; eis o resumo de tua vida.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 140)