Meditação para o Dia 24 de Julho

1. Grande número de tentações podem ser evitadas por uma séria vigilância. Em vez de ceder aos caprichos dos sentidos, deves dominá-los. Vindo, porém, a tentação, não a tenhas por invencível. Deus não permite que sejas tentado acima de tuas forças. Reza logo, aliando-te assim com Deus, o mais forte e fiel dos aliados. Invoca o nome de Jesus, recomenda-te a tua Mãe, Maria. Sobretudo, resiste imediatamente, que assim o tentador fugirá. Brincar com a tentação é mais perigoso: é o princípio da derrota… Como procedes?

2. Não passando logo a tentação, fortifica-te com pensamentos salutares: Deus me vê! Como tu poderia cometer tamanha maldade perante Seus olhos? Que ganharia? Breve é o prazer, eterno é o castigo! O que prometi a Deus solenemente no batismo, na primeira comunhão, na última confissão! E se eu morresse agora? Ofender a Deus, meu Criador e Salvador, Amigo e Pai? Onde o crucifixo? Eu pagaria assim a Jesus?… Será útil ocupar o espírito com outra coisa, para desviá-lo de seus pensamentos; será ainda melhor vencer o inimigo pela virtude oposta, vencendo-o com as próprias armas. Não voltará então o tentador, para não contribuir para tua maior perfeição. Vencendo nas tentações, não deixes também de agradecer a Deus, que te ajudou.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 220)