Meditação para o Dia 02 de Setembro

1. Deus é a caridade“. Ele tirou-te do nada. O corpo, com todas as suas faculdades, é seu presente. A alma, de infinito valor, recebeste-a de Deus; as criaturas ficaram sujeitas a ti; anjos te servem. Deus mesmo, por incompreensível amor, assumiu tua natureza; tornou-se menino, pobre; trabalhou, sofreu e morreu por ti. Fundou a Igreja para tua salvação, instituiu a santa Eucaristia, para se sacrificar muitas vezes por ti e para tu O teres presente. Como correspondes a tanto amor?

2. Ainda outros benefícios te deu; teus pais, tuas condições de vida, tuas faculdades corporais e espirituais, inúmeras graças, repetido perdão – benefícios sem número. Quem é que dá e quem é que recebe? O Infinito – à ingrata criatura. E considera-te, talvez, apenas como o patrão ao criado? Não! Ele quer que lhe dês o nome de Pai. Ele consente em que O ames. Terá Deus alguma vantagem em prodigalizar-te tanto amor? Não! Antes expõe-se a novas ofensas. Seu amor é todo desinteressado, é sem fim, sem limites. Não te envergonhas de preferir ao amor de Deus a afeição a uma criatura e a interesses terrenos? Se outro tivesse recebido de Deus tudo que Ele te deu, talvez seu coração se abrasaria de amor. Mas tu?…

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 260)