Meditação para o Dia 06 de Dezembro

1. Não quero a morte do pecador, mas que se converta de seu caminho e viva“. É Deus, três vezes santo, quem o diz… Todo o gênero humano tornara-se réu de morte pelo pecado de Adão; quanto mais culpado és tu, que ainda fizeste pecados pessoais! Os anjos, que tinham pecado antes de Adão, não tiveram um Salvador. O homem peca e é remido. Por que esta preferência? É o mistério do amor de Deus… Infinitas graças nós todos devemos a quem tão desinteressadamente se compadeceu de nós.

2. Deus podia perdoar gratuitamente. Se isto salientaria Sua misericórdia, não faria sobressair Sua santidade, nem Sua justiça, nem a enormidade do pecado. Deus, o Soberano, escolheu, pois, outro meio. Era infinita a culpa; por isso só o Infinito mesmo podia satisfazer plenamente. Deus Filho ofereceu-Se para pagar tudo por meio de humilhações sem igual e de terríveis sofrimentos, como se Ele fora o pecador. Não assumiu para isso, como era possível, a natureza dum Anjo, e sim a nossa, inferior ainda, para servir aos homens de exemplo e para ganhar todos os corações. Que mistério de amor, amor tão pouco correspondido!

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 356)