Meditação para o Dia 15 de Agosto

1. Os justos que morrem na graça de Deus com toda a razão esperam ouvir a doce palavra:

“Servo bom e fiel, entra no gozo de teu Senhor”

Não obstante isso, também muitos deles sentem-se inquietados pela lembrança dos pecados e do bem omitido. Nada disso na Santíssima Virgem. Maria Santíssima, lançando um olhar retrospectivo aos 72 anos de sua vida, nada encontrou que a pudesse inquietar, nenhuma falta, nenhum momento mal empregado. Com quanta satisfação podia dizer:

“Está consumado!”

Que morte doce, única! Que é que tu tens feito para morrer feliz como Maria?

2. Não convinha que o corpo puríssimo de Maria fosse entregue à corrupção do túmulo. Ressuscitada gloriosamente por seu Filho, Maria ascende aos céus, vindo-lhe os anjos, os profetas e os patriarcas ao encontro. Deus assenta-a no trono que lhe compete como sua Filha, Mãe e Esposa. Rainha dos mártires na terra, Maria é agora Rainha do universo no céu.

Deus te chamou também a ti para a eterna glória. Já o mereces? Tornas-te dela mais digno de dia para dia? Lembra-te que todas as graças passam pelas mãos de Maria.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 242)