Meditação para Dia 11 de Fevereiro

1. Numa era de incredulidade, em um país da culta Europa, onde mais ousadas eram as investidas dos inimigos de Deus para arrancar dos corações a última centelha de fé, a Virgem Imaculada aparece a uma pobre e ignorante pastora. Um grito de alarma, proferido pela incredulidade, passa pelo país:

“Não pode ser! Não dever admitido! Não há milagres!”

A polícia, o poder brutal dos que mandam, a pena dos jornalistas e escritores, embebida no veneno da calúnia, tudo foi empregado para abafar a nascente veneração em Lourdes. Debalde! Maria é mais poderosa, e já não se contam por milhares, mas por centenas de milhares os romeiros de todos os países que anualmente afluem a Lourdes.

2. Ainda há milagres, ainda hoje. Lourdes continua a apresentá-los tão grandes, tão extraordinários e frequentes que a ciência internacional, depois dos mais rigorosos exames, não pode deixar de reconhecê-los como tais. Cegos recuperam a vista, surdos o ouvido, todas as classes de doentes a saúde. Não recorrerás também a ela em tuas doenças de corpo e alma? Ou nada tens a pedir? Pede a Maria, tua carinhosa Mãe, que te faça conhecer quanto te falte, e te inspire confiança filial em seu amor materno.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 56)