Meditação para o Dia 30 de Dezembro

1. Se amas a Maria, tua Mãe, não te pode ser indiferente nada que a ela se refere. Vê-a, pois, novamente, junto à lapinha de Jesus. Sua alegria na pobre gruta de Belém era indizível. Tinha diante de si a quem há tanto tempo e tão vivamente esperara. Viu satisfeito o desejo do mundo inteiro. Mais ainda: pôde chamar de filho ao Salvador, seu filho e seu Deus ao mesmo tempo. Alegrando-te com tua Mãe, pede-lhe que não se esqueça de seres outro filho seu, que tanto precisa de seu cuidado maternal.

2. No meio desta alegria a Santíssima Virgem sentia imensa dor, ao pensar no futuro de seu Filho, que veio à terra para sofrer. Ela, que o tinha tão gentil e mimoso diante de si, veria Seu rosto esbofeteado, coberto de escarro e sangue, Sua cabeça coroada de espinhos, Suas mãos e Seus pés traspassados por grossos pregos, Seu peito aberto por uma lança, tendo em vez do presépio uma cruz por leito. E, todavia, essa heroica Mãe não se opôs a este oceano de dores, em que o filho seria submergido. Pede-lhe perdão da dor imensa e incessante que teus pecados lhe causaram.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 379)