Meditação para o Dia 15 de Julho

1. Vícios levam a outros vícios, sobretudo àqueles, para o qual há tanta inclinação: a impureza. Este vício é um horror aos olhos de Deus, do céu e da terra. O Pai celestial destruiu, por fogo do céu, cinco cidades entregues à impureza. Jesus Cristo, que com paciência suportou os nomes de revolucionário, possesso, etc., jamais permitiu que lhe tocassem na sua reputação de inocentíssimo. O Espírito Santo, espírito por excelência, detesta a impureza, que profana seu templo no coração humano. E que pensas tu, ou melhor, como procedes tu neste ponto?

2. Os anjos abominam a impureza, que faz perderem-se tantos de seus tutelados. Os santos tanto mais se horrorizam deste vício, quanto mais o evitaram em sua vida ou quanto mais por ele tiveram de fazer rigorosa penitência. Mesmo os desonestos desprezam este vício. Se conhecessem outros como manchados por este vício, não mais os estimariam. Os impuros a si mesmos desprezam, envergonhando-se de suas quedas e de sua fraqueza. E é tão fácil cair na impureza! Se foste feliz até hoje, não te tenhas por seguro; se caíste, onde está tua penitência? No céu não entra quem na alma tem manchas, que a Deus, aos anjos e aos homens causam horror.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 211)