Nossa Senhora e o Menino Jesus com as Almas do Purgatório, pintura de Luca Giordarno

Nossa Senhora e o Menino Jesus com as Almas do Purgatório, pintura de Luca Giordarno

30 Meditações e Exemplos sobre o Purgatório e as Almas

Por Monsenhor Ascânio Brandão

As almas do Purgatório. – Por caridade, por justiça e por um egoísmo desculpável – podem tanto diante de Deus! – tem-nas muito presentes nos teus sacrifícios e na tua oração.
Oxalá que, ao falar nelas, possas dizer: “As minhas boas amigas, as almas do Purgatório…“.
Caminho, 571

Salve Maria, nossa Dulcíssima Esperança!

Amados irmãos e irmãs em Cristo Jesus, inspirados neste belíssimo exemplo de devoção de São Josemaria Escrivá e acolhendo este mês de Novembro no qual a Igreja dedica e nos convida a rezar pelas Almas do Purgatório, convido-os a meditarmos junto de Monsenhor Ascânio Brandão sobre estas benditas almas.

Como de praxe no Apostolado Rumo à Santidade, o Índice será atualizado conforme as publicações.

E para apreciação de todos, aprofundemos nossos conhecimentos a respeito deste dogma de fé, como nos ensina o Catecismo da Igreja Católica:

III. A purificação final ou Purgatório

1030. Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não de todo purificados, embora seguros da sua salvação eterna, sofrem depois da morte uma purificação, a fim de obterem a santidade necessária para entrar na alegria do céu.

1031. A Igreja chama Purgatório a esta purificação final dos eleitos, que é absolutamente distinta do castigo dos condenados. A Igreja formulou a doutrina da fé relativamente ao Purgatório sobretudo nos concílios de Florença (622) e de Trento (623). A Tradição da Igreja, referindo-se a certos textos da Escritura (624) fala dum fogo purificador:

«Pelo que diz respeito a certas faltas leves, deve crer-se que existe, antes do julgamento, um fogo purificador, conforme afirma Aquele que é a verdade, quando diz que, se alguém proferir uma blasfêmia contra o Espírito Santo, isso não lhe será perdoado nem neste século nem no século futuro (Mt 12, 32). Desta afirmação podemos deduzir que certas faltas podem ser perdoadas neste mundo e outras no mundo que há-de vir» (625).

1032. Esta doutrina apoia-se também na prática da oração pelos defuntos, de que já fala a Sagrada Escritura: «Por isso, [Judas Macabeu] pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres das suas faltas» (2 Mac 12, 46). Desde os primeiros tempos, a Igreja honrou a memória dos defuntos, oferecendo sufrágios em seu favor, particularmente o Sacrifício eucarístico para que, purificados, possam chegar à visão beatífica de Deus. A Igreja recomenda também a esmola, as indulgências e as obras de penitência a favor dos defuntos:

«Socorramo-los e façamos comemoração deles. Se os filhos de Job foram purificados pelo sacrifício do seu pai (627) por que duvidar de que as nossas oferendas pelos defuntos lhes levam alguma consolação? […] Não hesitemos em socorrer os que partiram e em oferecer por eles as nossas orações» (628).

Fonte: Catecismo – Vaticano

Como Lucrar Indulgência para o Dia de Finados e neste Mês de Novembro?

13. Visita ao cemitério

Ao fiel que visitar devotamente um cemitério e rezar, mesmo em espírito, pelos defuntos, concede-se indulgência aplicável somente às almas do purgatório. Esta indulgência será plenária, cada dia, de 1 a 8 de novembro; nos outros dias do ano será parcial.

(…)

67. Visita à igreja ou oratório na comemoração de todos os fiéis defuntos

Concede-se indulgência plenária, aplicável somente às almas do purgatório, aos fiéis que no dia da comemoração de todos os fiéis defuntos visitarem piedosamente uma igreja ou oratório. Esta indulgência poderá alcançar-se no dia marcado ou, com consentimento do ordinário, no domingo antecedente ou subsequente ou na solenidade de Todos os Santos. Esta indulgência já está incluída na const. apost. Indulgentiarum Doctrina, norma 15; aqui se satisfaz aos desejos que neste intervalo se apresentaram à Sagrada Penitenciaria. Na piedosa visita, conforme a norma 16 da mesma const. apost.,5 “se recitam a oração dominical e o símbolo dos apóstolos: Pai-nosso e Creio“.

Fonte: Manual de Indulgências

ÍNDICE

Aos leitores

Declaração

Ladainha pelas Almas do Purgatório

1 de Novembro — O Mês das Almas

2 de Novembro — O Dia dos Mortos

3 de Novembro — Depois da Morte

4 de Novembro — O Purgatório

5 de Novembro — O Purgatório, a Razão e o Coração

6 de Novembro — O Sofrimento do Purgatório

7 de Novembro — Duração do Purgatório

8 de Novembro — As Alegrias e Consolações do Purgatório

9 de Novembro — Os Esquecidos

10 de Novembro — O que leva ao Purgatório

11 de Novembro — O Purgatório e as Almas consagradas a Deus

12 de Novembro — A Santa Missa e o Purgatório

13 de Novembro — A Santa Comunhão pelos Mortos

14 de Novembro — A Oração pelos Mortos

15 de Novembro — Penitência pelos Mortos

16 do Novembro — As Indulgências

17 de Novembro — A Esmola

18 de Novembro — O Ato Heroico

19 de Novembro — Via Sacra e o Rosário

20 de Novembro — As Almas mais Abandonadas

21 do Novembro — Maria Santíssima, Mãe e Consoladora do Purgatório

22 de Novembro — Os Pecadores ou as Almas?

23 de Novembro — As Almas do Purgatório nos Ajudam

24 de Novembro — Liturgia dos Funerais

25 de Novembro — A Missa dos Defuntos

26 de Novembro — O Cemitério

27 de Novembro — As Aparições de Almas do Purgatório

28 de Novembro — Como evitar o Purgatório?

29 de Novembro — As Últimas Vontades dos Mortos

30 de Novembro — Meditação Final

Bibliografia

 

Monsenhor Ascânio Brandão

Monsenhor Ascânio Brandão

AOS LEITORES…

Um historiador francês publicou trabalho curioso e interessante sobre as velhas e tocantes tradições religiosas da França. Numa obra intitulada “Les Rouleaux des morts”, M. Leopold Delisle lembra um velho costume da piedade católica medieval:

“Houve outrora na Idade Média, piedoso costume entre os Monges. Era o rolo dos mortos. Que significa isto? Não havia então como hoje as facilidades da via férrea, do avião, do telégrafo e do telefone. Dificílimas e longas as comunicações. O zelo pelos mortos inventou o rolo. Era um grande pergaminho escrito à mão onde em cada Mosteiro se escreviam os nomes dos Monges falecidos. E um piedoso Irmão leigo chamado o ‘rotuliger’, partia a pé em caminhadas longas a rezar o De Profundis e a meditar na morte. Ao chegar à porta de um convento da Ordem, batia e mostrava ao Abade o rolo: — ‘Rezai pelos mortos e escrevei aqui o nome dos que passaram desta para a vida eterna, para que rezemos todos por eles. Tende compaixão das pobres almas!’.

E ali se inscreviam no pergaminho os nomes dos falecidos Monges, mais recentes.

E o rotuliger seguia a viagem após um breve descanso. E assim se foi estabelecendo em toda Europa tão piedoso e santo costume”

Havia de ser impressionante ouvir-se o rotuliger clamando à porta dos mosteiros e pelas estradas: Tende compaixão dos fiéis defuntos! Lembrai-vos dos mortos! Rezai pelos mortos!

Pois, meus leitores queridos, com este livro quero ser o rotuliger dos fiéis defuntos. Quero bradar à porta de todas as paróquias, de todos os conventos, colégios e comunidades, quero bradar à porta de todas as famílias católicas: Tende compaixão das pobres almas! Tende compaixão das pobres almas! Rezai pelos fiéis defuntos! Quero seja este livrinho o rolo dos mortos e o seu Autor o “rotuliger das almas”. Notei, sempre edificado, a devoção da nossa gente pelas santas almas do purgatório. Há com ela muita superstição, é verdade, e o espiritismo tem explorado o culto dos mortos de uma forma dolorosa, aproveitando mesmo a inclinação da nossa gente e o sentimentalismo do brasileiro pelos mortos. Creio, e disto estou convencido pela experiência, que a verdadeira devoção às santas almas do purgatório, bem compreendida e bem praticada, será o melhor remédio a este mal, o melhor combate a esta praga espírita entre nós. Talvez seja mesmo a ignorância deste dogma tão racional, no dizer de José De Maistre, a causa da propaganda espírita tão avassaladora entre nós. Por todos os títulos a devoção às santas almas do purgatório é necessária e oportuna. Vamos, pois, a esta obra de caridade sem igual. E, permitam-me que como o rotuliger das pobres almas, vá bradando sempre por aí afora com meu livrinho: Tenhamos compaixão das pobres almas! Rezai pelos fiéis defuntos! E, meus leitores, um pedido final: em vossos sufrágios não vos esqueçais de minha alma, se um dia vos chegar a notícia de minha morte.

Mons. Ascânio Brandão

DECLARAÇÃO

Na doutrina, procurei evitar questões mais sutis e curiosas, que edificantes e de proveito para os fiéis. As opiniões dos Santos Doutores e Teólogos seguros, foram as sobre as quais me firmei para estimular os fiéis na devoção às santas almas. Entretanto, como na doutrina do purgatório, a Igreja tem pouca coisa definida em matéria de fé, tudo o mais fica aos doutores, aos teólogos e ao testemunho muitas vezes invocado das revelações particulares bem provadas e muitas delas sujeitas a rigoroso pro¬cesso canônico para averiguação da verdade. Ainda assim procurei os autores mais abalizados e seguros, evitei narrações legendárias e duvidosas, e procurei as mais garantidas, edificantes e impressionantes.

Todavia, se alguma coisa aqui se encontrar que possa estar em desacordo com a boa e sã doutrina ou com qualquer determinação da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, desde já humildemente quero ter a glória de me submeter à minha Mãe a Santa Igreja, da qual sou filho obediente e em cuja fé quero viver e morrer.

O AUTOR

Ladainha pelas Almas do Purgatório

Rezar todas as segundas-feiras, que é dia de orações pelas Almas e todos os Dias de Novembro.

Senhor, tende piedade de nós!
Cristo, tende piedade de nós!
Senhor, tende piedade de nós!
Jesus Cristo, ouvi-nos!
Jesus Cristo, atendei-nos!

Pai Celeste, verdadeiro Deus, tende piedade das almas do purgatório!
Filho, Redentor do mundo, verdadeiro Deus, tende piedade das almas do purgatório!
Espírito Santo, verdadeiro Deus, tende piedade das almas do purgatório!
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade das almas do purgatório!

Santa Maria, rogai pelas almas do purgatório!
Santa Mãe de Deus, rogai pelas almas do purgatório!
Santa Virgem das virgens, rogai pelas almas do purgatório!

São Miguel, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Anjos e Arcanjos, rogai pelas almas do purgatório!
Coro dos Espíritos Bem-Aventurados, rogai pelas almas do purgatório!
São João Batista, rogai pelas almas do purgatório!
São José, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Patriarcas e santos Profetas, rogai pelas almas do purgatório!
São Pedro, rogai pelas almas do purgatório!
São Paulo, rogai pelas almas do purgatório!
São João, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Apóstolos e santos Evangelistas, rogai pelas almas do purgatório!
Santo Estevão, rogai pelas almas do purgatório!
São Lourenço, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Mártires, rogai pelas almas do purgatório!
São Gregório, rogai pelas almas do purgatório!
Santo Ambrósio, rogai pelas almas do purgatório!
Santo Agostinho, rogai pelas almas do purgatório!
São Jerônimo, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Pontífices e Santos Confessores, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Doutores, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Sacerdotes e Santos Levitas, rogai pelas almas do purgatório!
Santos Frades e Santos Eremitas, rogai pelas almas do purgatório!
Santas Virgens e Santas Viúvas, rogai pelas almas do purgatório!
Vós todos, Santos amigos de Deus, rogai pelas almas do purgatório!

Sede-nos propício, perdoai-lhes, Senhor!
Sede-nos propício, ouvi-nos, Senhor!
De seus sofrimentos, livrai-as, Senhor!
Da Vossa cólera, livrai-as, Senhor!
Da severidade da Vossa Justiça, livrai-as, Senhor!
Do remorso da consciência, livrai-as, Senhor!
Das tristes trevas que as cercam, livrai-as, Senhor!
Dos prantos e gemidos, livrai-as, Senhor!
Pela Vossa Encarnação, livrai-as, Senhor!
Pelo Vosso Nascimento, livrai-as, Senhor!
Pelo Vosso doce Nome, livrai-as, Senhor!
Pela Vossa profunda Humildade, livrai-as, Senhor!
Pela Vossa Obediência, livrai-as, Senhor!
Pelo Vosso Infinito Amor, livrai-as, Senhor!
Pela Vossa agonia e Vossos sofrimentos, livrai-as, Senhor!
Pela Vossa Paixão e Vossa Santa Cruz, livrai-as, Senhor!
Pela Vossa Santa Ressurreição, livrai-as, Senhor!
Pela Vossa admirável Ascensão, livrai-as, Senhor!
Pela vinda do Espírito Santo Consolador, livrai-as, Senhor!
No dia do julgamento, livrai-as, Senhor!

Ainda que sejamos pecadores, nós vos pedimos, ouvi-nos!
Vós que perdoastes aos pecadores e salvastes o bom ladrão, nós vos pedimos, ouvi-nos!
Vós que nos salvais por misericórdia, nós vos pedimos, ouvi-nos!
Vós que tendes as chaves da morte e do inferno, nós vos pedimos, ouvi-nos!
Dignai-vos livrar das chamas nossos parentes, amigos e benfeitores, nós vos pedimos, ouvi-nos!
Dignai-vos salvar todas as almas que gemem longe de vós, nós vos pedimos, ouvi-nos!
Dignai-vos ter piedade daqueles que não têm intercessores neste mundo, nós vos pedimos, ouvi-nos!
Dignai-vos admiti-las no número de vossos eleitos, nós vos pedimos, ouvi-nos!

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, dai-lhes o descanso eterno! (3 vezes)

Oração

Ó Deus, Criador e Redentor de todos os fiéis, concedei às almas de vossos servos e de vossas servas, a remissão de todos os pecados, a fim de que, pelas humildes orações da vossa Igreja, eles obtenham o perdão que sempre desejaram. É o que vos pedimos por elas, ó Jesus, que viveis e reinais por todos os séculos. Amém.

BIBLIOGRAFIA

SANTO TOMÁS — Summa Theologica.
TANQUEREY — Synopis theologiae dogmatica.
CHR. PECH, S.J. — Praelectiones Dogmaticae — IX.
KNOL — Institutiones Theologiae Theoretieae — (6).
ROUSIC — Le Purgatoire.
LOUIGI FALLETTI, S.M. — I nostri morti e il purgatorio.
MARTIN JUGIE — Le purgatoire et les moyens de l’eviter.
L’AUTEUR DE LA FORTARESSE IMPRENABLE — Com¬passion des Fideles Trepassés.
DON JUAN LANGUIA — Sermonario breve.
MONSABRÉ — La vie future.
ROSSIGNOLLI, S.J. — Merveilles des annes du purgatoire.
MONS. LOUVET — Le purgatoire d’apres les revelations de Saints.
BERLIOUX — Mois des annes du purgatoire