Parte II
Capítulo X

Além da oração mental e vocal, há ainda outros tempos e modos de rezar; e o primeiro exercício de todos é a oração da manhã, que deve ser uma preparação geral para as ações de todo o dia. Aí tens um método de faze-la bem.

1. Adora a Deus com uma veneração profunda e agradece-Lhe de te ter conservado durante a noite; e, se a tua consciência te acusa de alguma coisa desde o último exame, pede-Lhe perdão.

2. Considera que o dia presente te é dado para mereceres a bem-aventurança eterna e propõe-te firmemente empregá-lo todo nesta intenção.

3. Muito útil é preveres as ocupações deste dia, as tuas ocasiões prováveis de glorificar a Deus, as tentações que te proporcionará a cólera, a vaidade ou uma outra paixão. Feito isto, prepara-te por uma santa resolução a aproveitar bem de todos os meios que terás para servir melhor a Deus e progredir na perfeição; ao contrário, arma-te: com toda a firmeza de espírito para evitar ou para combater e vencer tudo o que lhe servir de obstáculo. Esta simples resolução, porém, não é bastante; é preciso firmá-la em prevendo os meios que te serão disponíveis para pô-las em prática. Por exemplo: se prevejo que irei tratar com uma pessoa facilmente irascível, sobre um negócio, não só me hei de precaver dos meios que me estarão a disposição, para não ofendê-la, mas também, para que não se ire, verei como lhe falar branda e gentilmente ou, se for necessário para contê-la, pedirei a outras pessoas que o façam junto comigo. Se prevejo que tenho de visitar alguns doentes, disporei tudo a hora, todas as circunstâncias, as maneiras mais próprias de consolá-los e os socorros que lhes poderei levar.

4. Reconhece diante de Deus, com humildade, a tua completa impotência de fazer qualquer coisa dessas, tanto praticar o bem como evitar o mal, e, fazendo assim como se tivesses o coração entre as mãos, oferece-o com as tuas boas resoluções a divina Majestade, suplicando-Lhe que o tome debaixo de Sua proteção e o fortifique em seu serviço. Dize-lhe:

“Ó Senhor, eis aqui este pobre e miserável coração, a quem por Vossa bondade infinita dais hoje estas boas resoluções; mas, ah! Ele é fraco e inconstante demais para fazer o bem que deseja, sem que lhe deis a Vossa santa bênção. Nesta intenção Vos invoco, ó Pai de misericórdia, pelos merecimentos da paixão de Vosso Filho, a cuja glória eu o consagro neste dia e para todo o resto da minha vida”

A esta breve oração acrescenta a invocação da Santíssima Virgem, do anjo da guarda e dos santos, a fim de que com sua proteção te ajudem. Demais, esta oração que farás pela manhã e, se puder ser, antes de saíres du quarto, deve ser fervorosa e ardente, para que a bênção c.e Deus que aí obtiveres se estenda sobre todo o dia; peço-te encarecidamente, Filotéia, que nunca a omitas.

Voltar para o Índice de Filoteia ou a Introdução à Vida Devota

(SALES, São Francisco de. Filoteia ou a Introdução à Vida Devota. Editora Vozes, 8ª ed., 1958, p. 98-100)