Capítulo XII

PREPARAÇÃO

1. Põe-te na presença de Deus.
2. Pede a Deus que te inspire.

CONSIDERAÇÃO

1. Vai em espírito àquele tempo em que começaste a pecar; pondera quanto tens aumentado e multiplicado os teus pecados de dia a dia, contra Deus e contra o próximo, por tuas obras, por tuas palavras, por teus pensamentos e por teus desejos.

2. Considera tuas más inclinações e com que paixão tu as seguiste; com estas duas considerações, verás que teus pecados sobrepujam o número de teus cabelos e mesmo as areias do mar.

3. Presta atenção especialmente à tua ingratidão para com Deus, pois este é um pecado geral que se acha em todos os outros e lhes aumenta infinitamente a enormidade. Conta, se podes, todos os benefícios de Deus, dos quais a maldade de teu coração se serviu para desonrá-Lo; todas as inspirações desprezadas, todas as moções da graça inutilizadas e todos os diferentes abusos dos Sacramentos. Onde estão, pelo menos, os frutos que Deus esperava dai? Que é feito das riquezas com que o teu Divino Esposo exornou a tua alma? Tudo foi deturpado por tuas iniquidades. Pensa que tua ingratidão foi a ponto de fugires da presença de Deus, para te perderes, enquanto Ele te seguia, passo por passo, para te salvar.

AFETOS E RESOLUÇÕES

1. Sirva aqui a tua miséria para confundir-te. Ó meu Deus, como ouso apresentar-me diante de Vós? Oh! Eu me acho num deplorável estado de corrupção, impureza, ingratidão e iniquidade. É possível que eu tenha levado a minha insensatez e ingratidão a ponto de já não haver um de meus sentidos que não esteja deturpado por minhas iniquidades, nenhuma das potências de minha alma que não esteja profanada e corrompida por meus pecados, e que não se tenha passado um só dia de minha vida que não fosse cheio de obras más?

É este o fruto dos benefícios de meu Criador e o preço do sangue de meu Redentor?

2. Pede perdão de teus pecados e lança-te aos pés do Senhor, como o filho pródigo aos pés de seu pai; como Santa Madalena aos pés do seu amantíssimo Salvador, como a mulher adúltera aos pés de Jesus, seu juiz. Ó Senhor, misericórdia para esta alma pecadora. Ó divino Coração de Jesus, fonte de compaixão e de bondade, tende piedade desta alma miserável.

3. Propõe-te melhorar de vida. Nunca mais, Senhor, me entregarei ao pecado, não, jamais, com o auxílio de Vossa graça. Oh! Amei-o demais, mas agora detesto-o de todo o meu coração. Eu Vos abraço, ó Pai das misericórdias! Em Vós quero viver e morrer.

Acusar-me-ei a um sacerdote de Jesus Cristo, com um coração humilde e sincero, de todos os meus pecados, sem espécie alguma de reserva ou dissimulação. Farei todo o possível para destruí-los em mim até à raiz, especialmente Estes e aqueles que mais me pesam na consciência. Para isso empregarei com generosidade todos os meios que ele me aconselhar e nunca pensarei ter feito bastante para reparar minhas enormes faltas.

CONCLUSÃO

1. Agradece a Deus que até esta hora esperou por tua conversão e te deu estas boas disposições.
2. Oferece-lhe a vontade que tens de servi-lo o melhor possível.
3. Pede-lhe que te dê a Sua graça e a força, etc. Pai-Nosso, Ave-Maria.

Voltar para o Índice de Filoteia ou a Introdução à Vida Devota

(SALES, São Francisco de. Filoteia ou a Introdução à Vida Devota. Editora Vozes, 8ª ed., 1958, p. 50-52)