Meditação para o Dia 04 de Abril

A doença, dizia São Vicente de Paulo, é um estado quase insuportável à natureza. E, contudo, é ela um dos mais poderosos meios de que Deus se serve para nos fazer entrar no cumprimento de nossos deveres, para desligar-nos dos afetos ao pecado e para nos encher com os dons de Sua graça. É pela doença que as almas se purificam e as que não são virtuosas encontram um meio eficaz de o ser. Nenhum estado há mais próprio do que este para a prática do bem. E por que é assim tão precioso o tempo da doença? Porque na enfermidade se exercita maravilhosamente a fé, brilha a esperança com mais esplendor, a resignação, o amor de Deus, todas as virtudes aí encontram matéria ampla para se exercer.

O verdadeiro tempo de expiar os pecados e de experimentar a graça do perdão é o da doença, diz Bossuet. Enquanto esse espinho nos fere e incomoda, pesa sobre nós a Mão de Deus e Ele próprio nos impõe a penitência, segundo a medida da Sua infinita Misericórdia.

Para que não percamos um tesouro tão grande do Céu, como o que nos vem pela doença, Nosso Senhor só nos impõe uma condição: a que aceitemos conformados e resignados a Sua Santíssima Vontade. Então, por que não aproveitar bem a doença, já que a temos de sofrer de qualquer modo?

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 107)